sábado, 5 de julho de 2008

Jornal O Estado de SP em PDF, Sábado, 05 de Julho de 2008

Via Downloadscopyleft

Las Mil Islas - Baixe que vale a pena

Clique aqui ou na imagem acima e veja esta apresentação feita com o Microsoft Power Point. Aguarde alguns instantes enquanto as imagens são carregadas, ou, se preferir, salve-a em seu computador.

Para ver essa apresentação é necessário ter instalado o programa Microsoft PowerPoint, que está no pacote Microsoft Office, ou o programa Visualizador do PowerPoint (para download gratuito clique aqui).

SCI-FI - Junho 2008

Rapidshare
Via Blog da Lu

SET - Ed. 252 - Junho 2008

Rapidshare
Via Blog da Lu

Estudo revela por que comer brócolis ajuda contra o câncer de próstata

Um estudo realizado por cientistas na Grã-Bretanha revelou que comer brócolis provoca modificações na atividade de certos genes associados ao desenvolvimento do câncer de próstata.
Pesquisas anteriores já associavam uma dieta com a verdura a uma diminuição dos riscos de desenvolver a doença e de que ela se torne mais agressiva, mas os cientistas até agora não sabiam ao certo porque isso acontecia.

Leia também: Brócolis reduz risco de câncer agressivo na próstata, diz estudo

Segundo os pesquisadores do Instituto de Pesquisas sobre Alimentos de Norwich (sudeste da Grã-Bretanha), comer brócolis produz mudanças na produção, desencadeada por certos genes, de proteínas chamadas fatores de crescimento, como o TGF Beta 1 e o EGF.

Fatores de crescimento tipicamente estimulam a divisão ou o desenvolvimento celular e, com freqüência, desempenham um papel na evolução do câncer.

Crucíferos

Para o estudo, durante um ano, dois grupos de homens considerados sob risco de desenvolver câncer de próstata comeram ou 400 gramas de brócolis ou 400 gramas de ervilhas por semana, além de sua dieta normal.

Amostras de tecidos foram retiradas de suas próstatas aos seis meses da experiência e por ocasião de sua conclusão, e foi medida a atividade de vários genes.

No caso dos homens que comeram brócolis, a análise dessas amostras mostrou a alteração na produção de fatores de crescimento como o TGF beta 1 e o EGF, assim como do hormônio insulina (também associado à evolução do câncer de próstata e outros tumores).

Os estudos anteriores demonstraram que dietas ricas em vegetais da família dos crucíferos, como brócolis, couve-flor, repolho e agrião, podem reduzir o risco de câncer.

Mas "este é o primeiro estudo que dá evidências experimentais obtidas em seres humanos que dão conta de que dietas ricas em vegetais crucíferos podem reduzir o risco de câncer na próstata", disse Richard Mithen, biólogo do Instituto Pesquisas sobre Alimentos que liderou o estudo.

Outros vegetais e frutas

Os resultados deste estudo sugerem que quantidades relativamente baixas de crucíferos na dieta podem ter um grande efeito na atividade dos genes.

"Outras frutas e vegetais também demonstraram reduzir o risco de câncer na próstata e provavelmente agem por outros mecanismos", disse o Mithen.

"Quando nós entendermos isto, poderemos dar recomendações dietéticas muito melhores, em que combinações específicas de frutas e vegetais provavelmente terão benefícios especiais."

Por enquanto, ele aconselha a ingestão de duas a três porções de vegetais crucíferos por semana.
Fonte BBC Brasil

Restaurante de pobre

Prato do dia: Frutos do mar

Porta-Aviões

Clique aqui ou na imagem acima e veja esta apresentação feita com o Microsoft Power Point. Aguarde alguns instantes enquanto as imagens são carregadas, ou, se preferir, salve-a em seu computador.

Para ver essa apresentação é necessário ter instalado o programa Microsoft PowerPoint, que está no pacote Microsoft Office, ou o programa Visualizador do PowerPoint (para download gratuito clique aqui).

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Imagens engraçadas/curiosas - 04/07/2008


Via Knuttz/Ueba

Esses bichos devem ser pauleira!!!!

Revista Galileu - Julho de 2008

Revista Mundo Estranho - Julho 2008

Via Blog da Lu

Jornal O Estado de SP em PDF, Sexta, 04 de Julho de 2008

Via Downloadscopyleft

Eita manguaça!!!!

Motor Trend (08/2008)


Cresce número de mulheres que iniciam vida sexual antes dos 15

Publicada: 03/07/2008

Em dez anos, mais mulheres decidiram ter relações sexuais mais cedo, segundo a Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher de 2006 (PNDS), divulgada nesta quinta-feira (3).

O estudo foi financiado pelo Ministério da Saúde e realizado com cerca de 15 mil mulheres em idade fértil (15 a 49 anos) e 5 mil crianças com até 5 anos, entre novembro de 2006 e maio de 2007. A PNDS foi realizada pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope ), a partir do trabalho do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) com instituições parceiras.

De acordo com o estudo, em 1996, 11% das entrevistadas informaram ter tido a primeira relação até os 15 anos. Dez anos depois, esse índice subiu para 32,6% das mulheres. Nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste, 74% tiveram a primeira relação antes dos 20 anos. O total de jovens entre 15 e 19 anos que se declararam virgens caiu de 67,2% em 1996 para 44,8% em 2006.

Ainda segundo a pesquisa, 64% das mulheres se encontram em união (36,7% formalmente e 27,3% informalmente), sendo apenas 25,8% solteiras.

Fecundidade

A precocidade na vida sexual resultou no rejuvenescimento do padrão reprodutivo. Em 1996, a média de idade das mulheres para o primeiro filho era de 22,4 anos. Em 2006, essa média passou a ser de 21 anos. O percentual de meninas grávidas aos 15 anos também subiu, passando de 3% para 5,8%.

A fecundidade, no entanto, segundo a PNDS, localiza-se em níveis bastante baixos. Considerando o comportamento reprodutivo dos 36 meses anteriores à data da entrevista, a pesquisa indica que a taxa de fecundidade total localiza-se em torno de 1,8 filhos por mulher. Existe pouca diferenciação se considerado o local de residência, se urbano ou rural. Nestes casos, a taxa é de 1,76 e 1,99, respectivamente.

Acesso a contraceptivos

A PNDS aponta que a distribuição gratuita de métodos contraceptivos aumentou nos últimos dez anos. Nesse período, o percentual de mulheres que recorreram ao SUS para adquirir pílulas anticoncepcionais subiu de 7,8% para 21,3%.

A informação sobre a realização ou não do pré-natal não pôde ser obtida para 15 dos 5.056 bebês nascidos vivos. Dentre as 5.041 gestações para as quais esta informação foi obtida, em apenas 1,3% nenhuma consulta de pré-natal foi realizada, sendo o maior percentual encontrado na Região Norte (3,9%), e o menor no Sudeste (0,2%).

No entanto, a realização de no mínimo seis consultas de pré-natal, conforme estabelecido pelo Ministério da Saúde, ocorreu apenas em 77% das gestações. A melhor situação foi registrada na Região Sudeste (84,7%) e a mais insatisfatória na Região Norte (61%).

Conforme esperado, o acesso ao pré-natal foi maior no meio urbano do que no rural, tanto na proporção de mulheres que não realizaram nenhuma consulta (0,8% no meio urbano e 3,6% no meio rural), quanto na realização de pelo menos seis consultas (80% e 66%, respectivamente).

Mercado de trabalho

No que diz respeito à situação da mulher no mercado de trabalho, com exceção das menores de 20 anos, mais de 75% delas já haviam tido algum tipo de trabalho. No entanto, para o total do país, apenas 54,2% das mulheres em idade reprodutiva declararam estar trabalhando no momento da entrevista.

O baixo nível de formalização do trabalho também é um problema enfrentado pelas mulheres, já que apenas 34,5% de todas as mulheres que trabalhavam na época da entrevista ou tinham trabalhado nos 12 meses anteriores à pesquisa tinham registro em carteira assinada.

As mulheres menos escolarizadas foram as que, em maior proporção, nunca trabalharam ou não trabalharam no ano de referência; apresentaram uma menor proporção dentre as que estavam trabalhando no momento da pesquisa e as que apresentam o menor percentual de trabalho com carteira assinada.

Saúde da criança

Entre 1996 e 2006, a mortalidade infantil no Brasil caiu 44% (de 39 para 22 por mil nascidos vivos). Atualmente (2008), a taxa brasileira é de 21,2 por mil nascidos vivos. De acordo com um estudo divulgado neste ano pelo Ministério da Saúde, o Brasil deve atingir a taxa de 14,4 até 2012.

Outro aspecto importante da saúde da criança é o aleitamento materno. Apesar de 96,4% de todas as mães afirmarem que as crianças foram ao menos uma vez amamentadas, a exclusividade desse alimento em bebês com até seis meses de vida alcança apenas 40% das crianças.

Pela primeira vez, a PNDS pesquisou os acidentes com crianças, responsáveis pela morte e também por traumatismos não fatais que deixaram seqüelas. Nos dados coletados, 48% das crianças entrevistadas sofreram algum tipo de acidente no ano anterior à pesquisa, sendo predominante a faixa etária de 1 a 2 anos. Os acidentes mais freqüentes foram as quedas (81%), as queimaduras (10%), o choque elétrico (9%) e as mordidas de animais (8%).
Fonte Jornal da Cidade

Gazeta Mercantil em PDF, Sexta, 04, e Fim de Semana 05 e 06 de Julho de 2008

Via DownloadsCopyleft

Galeria de Cidades perdidas

Tenho que tirar um dia para ficar vendo cada foto dessa galeria.
Clique na imagem abaixo e comece a sua viagem ao passado.
Muito porreta.
E voc|ê? O que achou? Vá Lá nos comentários e diga!!!!!


Demo Flash Vídeo em tela cheia

Galeria BBC de filmes. Impressionantes e lindos clips ao redor do mundo

Galeria com fotos de Paisagens (Várias)

Vale a pena a visita

Revista MAD


ZSHARE
By Revistas Ducatti

Mulher invade loja com Cadillac e tenta comprar cerveja

Ela quebrou vidraças e colocou metade do veículo dentro do estabelecimento.
Funcionário se recusou a vender bebida e ainda chamou a polícia.


Equipe de arte do G1 ilustrou a mulher depois de sair do carro. (Foto: Arte/G1)

Uma mulher de 74 anos invadiu com seu Cadillac ano 1988 uma loja de conveniência em Greenacres (Flórida, EUA), quebrando dois grandes vidros da fachada. Depois de “estacionar” o veículo, ela ainda tentou comprar uma caixa com seis cervejas, segundo a polícia.

Lynne Rice fez essa entrada triunfal à loja Joe's Food Mart and Video no domingo (29). Segundo testemunhas, metade do veículo entrou na loja, mas ninguém ficou ferido. Quando saiu do Cadillac, Lynne foi até a geladeira e pegou seis Budweiser.

“Não sei como ela conseguiu andar”, disse o dono do estabelecimento, identificado apenas como Awada. O funcionário que estava no caixa se recusou a vender a bebida e ainda chamou a polícia. A idosa foi então levada para o hospital e, depois, detida.

Lynne teve de pagar fiança de US$ 15 mil (cerca de R$ 29,3 mil) para ser liberada. O prejuízo para o dono da loja foi de cerca de US$ 8 mil (R$ 12,7 mil), dos vidros da fachada.
Fonte G1

quinta-feira, 3 de julho de 2008

quarta-feira, 2 de julho de 2008