sábado, 10 de janeiro de 2009

95 MANEIRAS DE CAIR COM SUA MOTO

1 Colocar seu pé num buraco quando estiver parando.
2 Colocar seu pé em algo escorregadio quando estiver parando.
3 Travar a roda dianteira durante uma frenagem com muito entusiasmo.
4 Errar o trilho e escorregar na grama da garagem.
5 Não colocar o apoio lateral ao abandonar a moto.
6 Estar parado e iniciar uma curva no cascalho ou areia, acelerando muito.
7 Não colocar uma placa embaixo do apoio lateral, sobre asfalto num dia quente.
8 Deixar pessoas muito entusiasmadas subirem na sua moto, sendo que é a primeira vez delas.
9 Esquecer que a moto estava engrenada ao sentar o pé no kick starter.
10 Acelerar, soltar a embreagem, colocar os pés nos apoios quando o sinal abre, mas a moto estar em neutro.
11 Não apoiar os pés no chão quando o sinal fecha.
12 Perder o equilíbrio ao tentar subir a moto no apoio central.
13 Pilotar por uma hora, sem luvas, com 5' C, parar num sinal, e soltar a embreagem de soco porque você não sente suas mãos.
14 Ao parar no pedágio, colocar seu pé na faixa de graxa que se acumula ali no chão, quando os carros param.
15 Usar muita potência quando você está saindo do pedágio cheio de graxa.
16 Ignorar a areia que se acumula nas ruas, um dia depois de uma enchente.
17 Sentar o pé com força no apoio lateral, sem ver que ele bateu e voltou.
18 Descer da moto com o motor ligado, sem ver que a moto estava engrenada.
19 Tentar ligar sua primeira moto com o kick start, diversas vezes até ficar com raiva, sem perceber que estava com o corta corrente desligado, e engatar a argola da bota na alavanca do kick starter.
20 Dar a partida na sua moto nova, arrancar com potência e perceber que você não havia tirado a trava da direção.
21 Na mesma moto parar para descer, sem se dar conta que a alavanca do kick start ficou presa dentro da sua calça.
22 Sua calça ou bota engatar na alavanca de marchas com o motor ligado, e botar a moto em primeira, quando você estava tentando recolher o apoio lateral.
23 Num sinal vermelho, ficar acelerando que nem um idiota, pensando que está em neutro, e soltar a embreagem por descuido.
24 O seu irmão gordo que está na garupa se inclina demais para um dos lados, para olhar alguma coisa no asfalto, parados num sinal.
25 A esposa prende o pé num dos alforjes, ao subir na moto antes de você.
26 Pneus carecas, e um chuvisco leve sobre chão de granito.
27 Olhar para a areia na rampa de saída da estrada, em vez de olhar para a curva.
28 Nem você nem seu pai olharem, enquanto ele dá ré com a caminhonete e bate na sua moto.
29 Tentar colocar a moto no apoio central, descobrindo que seus joelhos estão fracos da viagem.
30 Estacionar atrás da minivan do amigo, pensando "com certeza eles vão ver, ainda mais que são 5 dentro do carro".
31 Depois de abastecer, segurando a moto nivelada para poder encher mais, ir ao banheiro e não se dar conta que era você quem estava apoiando a moto e não o suporte central.
32 Prender o cadarço na alavanca de marchas.
33 Sentar o pé no kick start duma moto antiga, e ela dar um kick back.
34 Ficar furioso porque deixou a moto cair para o lado, levantá-la vigorosamente só para ela cair para o outro lado.
35 Tirar a moto do apoio central, sem ver que o apoio lateral também estava abaixado.
36 Entrar na grama molhada com pneus de corrida.
37 Entrar no asfalto molhado com pneus de lama.
38 "Pensar" que o apoio lateral estava abaixado quando ele não estava.
39 O apoio lateral lentamente afundar em solo macio.
40 O apoio lateral lentamente afundar em asfalto quente.
41 Dar ré perpendicular a uma lomba, apoiar-se no pé de baixo numa moto grande com assento alto.
42 Tirar a moto sozinho, de ré, de cima de uma pickup. Por cima de uma tábua.
43 Perder o equilíbrio quando faz uma parada, por causa de fadiga da longa viagem. O vento e o som do motor induzem à uma vertigem inesperada.
44 Pilotar além dos seus limites, tentando acompanhar alguém que provavelmente também está passando dos limites dele.
45 Não prestar atenção no que está fazendo. Se distrair pensando que a esposa/namorada engordou enquanto pilota.
46 Pensar que todas as estradas molhadas são iguais. Elas ficam muito mais escorregadias no início da chuva, até que o óleo e poeira sejam lavados.
47 Imaginar que a situação depois da curva fechada está do mesmo jeito que ontem. Em vez disso você acha galhos/areia/animais mortos/cascalho/lixo/buraco/óleo.
48 Chegar muito rápido numa curva e ter que freiar em cima da hora.
49 Sair sem todo o equipamento de proteção para trilhas só desta vez, mas desta vez não deu, e cair de um barranco.
50 Usar potência demais na primeira curva, após ter colocado pneus novos.
51 Ser muito baixo para a moto que está usando, e parar num sinal.
52 Seu passageiro pula na moto antes que você esteja preparado.
53 Empurrar a moto para a garagem, e deixar ela se inclinar um pouco demais para o lado. Ela cai, puxando você por cima dela.
54 Mexer na roda dianteira quando a moto está no apoio central.
55 Estacionar apontando lomba-abaixo, sem colocar em primeira.
56 Estacionar com o apoio lateral lomba-acima, e o apoio é comprido demais.
57 Deixar que um amigo pilote sua moto, e ele não tem experiência ou muito pouco de vários anos atrás. (ele vai perder o controle, bater de frente no objeto mais próximo, ou cair da moto freiando de soco)
58 Estacionando no supermercado, escorregar num Toddynho derramado.
59 Sentar na sua moto parada, na sua garagem inclinada, e conversar com uma guria muito bonita, esquecendo do mundo e notar que está perto demais do chão para parar.
60 lubrificar a corrente com óleo demais, derramar um pouco no pneu, e fazer uma curva fechada para fora da garagem.
61 Estacionar a moto com o apoio lateral em cima de um calço, de modo que a moto fique vertical, e ter um vazamento no pneu traseiro que faz a moto tombar.
62 Cobrir a moto com uma lona, e deixar o vento derrubá-la.
63 Desaparafusar coisas demais da traseira, até que a moto caia do suporte.
64 Ter um apoio central corroído internamente se quebrando, ao tentar colocar a moto sobre este.
65 Deixar sua esposa pilotar a moto, e o motor morrer lomba acima a 45 graus com a lomba.
66 Ao fazer a moto pegar no tranco, sentar de lado no banco com vigor excessivo.
67 Fazer a moto pegar no tranco, correndo do lado dela, e descobrir que você estava acelerando demais o motor.
68 Levar sua esposa para um passeio, com a primeira moto em mais de 20 anos, e fazer uma curva lenta, fechada em cima de cascalho.
69 Montar na moto com calças muito apertadas.
70 Rodar distâncias curtas montado de lado no assento.
71 Tentar pilotar com álcool no sangue.
72 Se abaixar para pegar óculos/chaves/luvas que caíram no chão.
73 Prestar atenção demais no medidor de inclinação da sua Valkyrie.
74 Arrancar do lado de um morro coberto de humus, que escorrega mais que sabão.
75 O motor morrer quando você está inclinado, tentando fazer uma curva lenta e fechada no estacionamento.
76 Esquecer de remover a trava do freio dianteiro e arrancar com pressa. Também quebra o freio.
77 Pegar no sono.
78 Pedir ajuda ao vizinho para colocar uma 750 em cima de um caminhão, por uma rampa. Com 2/3 do caminho já feitos, ele entra em pânico e a moto cai.
79 Tentar tirar uma abelha de dentro da jaqueta, montado na moto.
80 Arrancar rápido para fazer uma curva fechada, se inclinar em antecipação e o motor morrer porque não tinha se aquecido.
81 Se esquecer de por óleo depois de uma troca de óleo. E ficar se perguntando porque a luz de baixa pressão do óleo não apaga.
82 Após um conserto de freios, esquecer de bombear os mesmos, e se perguntar porque está sem freios ao se aproximar de um cruzamento.
83 Um portão automático fechar em cima de você quando você está passando.
84 Passar numa faixa de areia oculta após uma curva.
85 Ao arrancar, o passageiro olhar para cima. "Olha que avião legal!"
86 Empinar a moto para se exibir para uma guria, empinar demais, quase fazer um looping, freiar com tudo na traseira para compensar, e desmaiar uma quadra depois por falta de sangue no cérebro.
87 Pensar que a poça de líquido no posto de gasolina é água, quando na verdade é uma poça de óleo derramado.
88 No seu terceiro passeio com sua primeira moto. Parar num sinal vermelho. Quando o sinal fica verde, você tem que arrancar lomba acima e virar para a direita ao mesmo tempo.
89 Deixar seu amigo andar com sua moto.
90 E se você é mesmo um idiota, deixar ele andar de novo.
91 Entrar numa rua movimentada, fazer uma curva e só depois lembrar que esta rua tem trilhos de bonde.
92 Dar uma festa na sua casa e transar com uma guria que você conheceu na festa, na sua garagem encima da moto enquanto extremamente bêbado.
93 Saltar por cima de uma cerca com uma moto de cross, usando uma rampa. E na hora de descer, você se dá conta que não sabe aterrissar.
94 Ter uma BMW com o apoio lateral linkado com a alavanca da embreagem, então quando você aciona a alavanca o apoio lateral se recolhe. E você não queria isto.
95 Ao ir para casa depois de comprar sua moto nova em folha, entrar numa estrada de terra e descobrir que ela está em obras, e o seu pneu dianteiro está escorregando na lama solta, porque agora está chovendo. E quando você levanta a moto percebe que uma pedra amassou o tanque de combustível.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Imagens engraçadas/curiosas - 09/01/2009


Via Knuttz/Ueba

Hubless Monster


Vejam algumas fotos:

A arte de Robert Steven Connett

Jornal O Estado de SP em PDF, Sexta, 09 de Janeiro de 2009

Um comboio da ONU e outro do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) foram atacados ontem, na Faixa de Gaza. Pelo menos um funcionário das Nações Unidas morreu, levando a organização a suspender suas atividades humanitárias "até que as autoridades israelenses possam dar garantias de segurança". O CICV, por seu lado, anunciou que prosseguiria com seus trabalhos.

O incidente envolvendo a ONU ocorre dois dias depois de tanques do Exército de Israel terem aberto fogo contra duas escolas administradas pelas Nações Unidas causando 43 mortes, incluindo a de 4 funcionários da organização.

O ataque aos caminhões da ONU ocorreu nas proximidades da passagem de Erez - na fronteira entre a Faixa de Gaza e Israel -, em meio à trégua diária de três horas, estabelecida unilateralmente por Israel para permitir que 750 mil palestinos recebam assistência médica e alimentos das agências humanitárias.

"Nossas instalações foram atingidas e nossos trabalhadores foram mortos, apesar de as autoridades israelenses terem as coordenadas de nossa localização e apesar de os nossos movimentos terem sido informados ao Exército israelense", disse o porta-voz da organização, Chris Gunness.

Segundo a ONU, o caminhão atingido estava identificado com o emblema da organização. O motorista foi morto e três funcionários ficaram feridos depois que um tanque abriu fogo contra o veículo.

No caso do CICV, o motorista de um caminhão foi ferido levemente por disparos de fuzis em Netzarim, segundo disse ao Estado a porta-voz do CICV para o Oriente Médio, Dorothea Krimistas.

Gunnes qualificou de "crítica" a situação humanitária no território palestino e o CICV acusou os militares israelenses de bloquear as operações de remoção de feridos e resgate de corpos.

Durante a pausa de três horas nos combates de ontem, os serviços de emergência palestinos recolheram pelo menos 35 cadáveres em áreas até agora inacessíveis para as ambulâncias. Fontes médicas em Gaza estimam em 763 o número de palestinos mortos desde o início da ofensiva, dia 27.

Pelo menos 1 milhão de palestinos - ou dois terços da população da Faixa de Gaza - está sem eletricidade, 750 mil não têm água potável e os hospitais funcionam apenas com geradores de emergência. "Dispomos de reservas alimentares para alguns dias, mas não para semanas", acrescentou Gunnes.

Em combates na Faixa de Gaza, Israel matou 24 palestinos, segundo informações de fontes médicas. Entre os mortos, há dois irmãos - um de 6 e outro de 13 anos. No total, três soldados morreram nos combates de ontem - elevando para 13 o número de israelenses mortos desde o início do conflito, no dia 27.

Pelo menos 24 foguetes do Hamas atingiram ontem o sul de Israel. Mas a quantidade de disparos diminuiu, o que pode indicar que a ofensiva israelense começa a ter resultados.

MILITANTES EM ESCOLAS

Após o ataque às escolas na terça-feira, Israel alegou que os soldados apenas responderam a disparos que teriam sido efetuados por membros do Hamas do interior do edifício. Mas, ontem, segundo Gunness, "Israel admitiu que os foguetes vieram de fora da escola". A informação não foi confirmada por fontes do governo.
AP E AFP

Formato: PDF
Tamanho: 12 Mb

Satisfação

Motoqueiro perseguido e morto pela polícia do Texas.

Gazeta Mercantil em PDF, Sexta e Fim de Semana, 09, 10 e 11 de Janeiro de 2009

Bolsa se descola de Wall Street e fecha no azul
Apesar de ter iniciado os negócios em queda, repercutindo dados ruins da economia europeia, o índice acionário da BM&FBovespa inverteu a tendência e encerrou a quinta-feira com valorização de 2,86%, aos 41.987 pontos. O giro financeiro somou R$ 2,79 bilhões.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Imagens engraçadas/curiosas - 08/01/2009


Via Knuttz/Ueba

Petrobras investirá US$ 800 milhões em SE

Publicada: 07/01/2009
Texto: Edjane Oliveira/Foto: Heribaldo Martins

Em 2009, a Petrobras estará investindo aproximadamente US$ 800 milhões em Sergipe. “Mesmo em meio à crise econômica mundial, a Petrobras vai manter todos os projetos previstos para este ano em Sergipe”, garantiu o gerente geral da Unidade de Negócios Sergipe/Alagoas, Eugênio Dezen, ressaltando que todos os projetos previstos no plano qüinqüenal da empresa permanecerão. Ele disse que o mesmo valor de investimento será mantido no mesmo nível nos próximos três anos.

De acordo com Eugênio Dezen, a maior parte desses recursos será investida na área de Carmópolis, com a perfuração de novos poços. Ao todo serão 120 novos poços na região de Carmópolis, Siriri, Capela, Riachuelo e Japaratuba. “Vamos também reconstruir toda uma estação de tratamento de óleo e injeção de ar no campo de Carmópolis e também reconstruir uma estação no campo de Siriri, para, desta forma, duplicar a produção nesse campo e em Riachuelo”, afirmou o gerente-geral da Petrobras UN-SE/AL. Dezen ressaltou que até 2012 apenas na parte terrestre será investido algo em torno de US$ 1,5 bilhão.

Na parte marítima, a Petrobras estará interligando com a plataforma, até o mês de março, mais três poços na área de Piranema, ampliando, com isso, a produção. “Estamos buscando disponibilidade de recursos para a contratação de um navio-sonda para substituir o que hoje está perfurando em Piranema, porque ele tem compromisso na Bacia de Campos agora em março”, disse.

Produção ampliada

Segundo o gerente Eugênio Dezen, a Petrobras tem buscado também licença ambiental para perfuração na área rasa. “Nós temos um projeto já aprovado de ampliação e para revitalização desses campos com injeção de água para uma produção maior de petróleo, que deverá ter um investimento em torno de US$ 500 milhões”, afirmou Dezen.

Em águas profundas, tanto ao norte quanto ao sul de Piranema a Petrobras já possui poços demarcados com possibilidade de perfuração, entretanto depende de licença ambiental. A expectativa da estatal é que com a instalação de um escritório regional de licenciamento ambiental para a área de petróleo em Sergipe facilite o processo para que a empresa obtenha a licença que necessita. O escritório deve ser instalado ainda no mês de março.

Atualmente existe apenas um escritório de licenciamento ambiental para a área de petróleo, no
Rio de Janeiro. A solicitação para a instalação de um escritório em Sergipe foi feita pelo governador Marcelo Déda, com o objetivo de diminuir a grande demanda. “A instalação desse escritório vai facilitar o nosso licenciamento ambiental e com isso vamos poder continuar perfurando e buscando oportunidades em águas profundas aqui em Sergipe”, disse Dezen, ao ressaltar também a importância de o Estado abrigar um escritório desse porte, gerando empregos, além do ganho político.

Expectativa

Hoje, Sergipe produz em torno de 52 mil barris de petróleo por dia. A expectativa da Petrobras é que até o final do ano a produção diária na Unidade Sergipe/Alagoas seja de 71 mil barris/dia, dos quais 62 mil extraídos de poços sergipanos. “Para o ano de 2012, nós pretendemos estar produzindo em torno de 90 mil barris/dia em Sergipe, ou seja, quase duplicando nossa produção”, informou Eugênio Dezen. Atualmente, o Estado é o quarto produtor brasileiro de petróleo.

Em todo o Estado existem 17 campos de exploração. Os principais estão localizados em Piranema, Carmópolis, Siriri, Siririzinho, Riachuelo e os campos de águas rasas em Aracaju. Com a entrada em atividade dos novos poços de Piranema, apenas nesse campo estará produzindo, por dia, 19 mil barris de petróleo. A Petrobras está presente em 16 municípios sergipanos.
Fonte: Jornal da Cidade

Laranjeiras respira cultura até o dia 11

34º Encontro Cultural movimenta a cidade, que está animada e colorida para receber os visitantes.
Clique na imagem abaixo e confira toda a programação. Imperdível!!!!

Cenas da faixa de Gaza

Trote da Gabi - Farmácia

Austríaco cria iPhone de ouro e diamantes que custa R$ 5,4 milhões

Modelo chamado de 'Kings Button' é feito em ouro maciço 18 quilates.
iPhone estilizado pelo austríaco Peter Aloisson é o mais caro do mundo.
O designer austríaco Peter Aloisson estilizou um iPhone com diamantes incrustados que custa 1,7 milhão de euros (cerca de R$ 5,4 milhões), sendo o iPhone mais caro do mundo. O modelo idealizado por Aloisson, que é chamado de 'Kings Button', é feito em ouro maciço 18 quilates, com detalhes em ouro branco e ouro rosa. (Foto: Divulgação)
Fonte G1

Boi X Pitubull






Gato X Rato - Tem alguma coisa errada....

O gago de Tapauá

Revista Underwater Photography - Edição 46


Jornal O Estado de SP em PDF, Quinta, 08 de Janeiro de 2009

Temeroso de uma enxurrada de suspensões de contratos de trabalho no País por causa da crise econômica internacional, o Ministério do Trabalho pretende apertar os controles e aumentar as exigências para que as empresas possam recorrer a esse mecanismo, já previsto na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) desde 1999. O temor do governo é que uma onda de acordos entre empresas e sindicatos possa comprometer os recursos do Fundo de Amparo do Trabalhador (FAT), que fica responsável pelo pagamento dos salários dos trabalhadores durante a suspensão.



O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, anunciou ontem que, apesar de estar em vigor no Brasil há dez anos, a interrupção temporária dos contratos, com pagamento de uma bolsa qualificação aos empregados, carece de regulamentação. Segundo ele, os "novos critérios" para utilização desse instrumento devem ser fixados pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), órgão formado por governo, empresários e trabalhadores para gerir os recursos do FAT.

"Não vamos mudar a lei, mas agir para evitar abusos." O ministro disse que as novas exigências podem sair até o fim do mês, mas não deu detalhes. Adiantou apenas que poderão ser feitas exigências mínimas quanto aos cursos de qualificação que devem ser oferecidos pelo empregador durante a suspensão do contrato, como número de horas/aula e objetivos dos cursos. Hoje, não existem exigências.

"Minha preocupação é evitar que o FAT seja um fundo de amparo aos empresários - e também garantir que não seja contra o trabalhador", disse Lupi, para quem, se não houver uma regulamentação, "todo mundo vai ficar usando isso". Nesta semana, duas grandes empresas - a fabricante de eletrônicos Philips e a montadora francesa Renault - anunciaram acordos com os sindicatos para suspender o contrato de trabalho por até cinco meses. A Philips acertou a suspensão para 460 empregados de Manaus (AM), enquanto o acordo da Renault atingiu mil metalúrgicos da fábrica do Paraná.

A lei exige que as suspensões sejam feitas por acordo com os sindicatos. O acordo deve ser homologado nas Superintendências Regionais do Trabalho e constar nas carteiras de trabalho dos empregados. Nesse período, os trabalhadores devem fazer cursos de qualificação profissional financiados pelo patrão e podem pedir nos postos do trabalho uma bolsa entre R$ 415 a R$ 776.

Para a empresa, a grande vantagem é ser dispensada de recolher encargos sociais e de pagar os salários durante o período de suspensão. Daí o temor do governo que o mecanismo seja usado indiscriminadamente.

A suspensão temporária foi criada por lei em 1999. Desde então, 54,3 mil contratos de trabalho foram suspensos pelas empresas dentro do que é previsto na lei. No entanto, disse Lupi, tudo estava sendo feito de "forma automática", sem regulamentação. "O que queremos é fixar quais os caminhos que terão de ser cumpridos para que o instrumento possa ser utilizado."

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Imagens engraçadas/curiosas - 07/01/2009


Via Knuttz/Ueba

Bode come chocolate, bebe cerveja e anda de carro em Petrolina

Glauco Araújo
Do G1, em São Paulo

Bito, como é conhecido, tem quase 2 anos e sente ciúmes da dona.
Jucélia da Silva disse que o animal está fora de forma.

Bode Bito vai completar 2 anos e vive em Petrolina
(Foto: Reprodução/TV Grande Rio)

A agricultora Jucélia Regina Rodrigues da Silva, 45 anos, tem um animal de estimação diferente. Trata-se do bode Bito. O animal virou celebridade em Petrolina (PE) por causa de suas excentricidades. Prestes a comemorar dois anos de vida, ele come chocolate, bebe cerveja escondido e ainda gosta de passear de carro pela cidade.

Jucélia disse que ganhou o bode de um criador em 2007. "O rapaz não estava conseguindo manter a criação por causa da seca e resolveu me dar um deles. Comecei a criar o bodinho com leite na mamadeira e ele foi se apegando a mim. Quando ele completou um ano, fiz bolo de chocolate para ele."
Ele tem ciúmes de sua dona, a agricultora Jucélia da Silva
(Foto: Reprodução/TV Grande Rio)

O carinho foi tanto na criação de Bito, que ele não desgruda de Jucélia, principalmente quando a fome aperta. "Ele não pode ver comida. É muito esfomeado. Nessa parte eu não consegui dar a educação certinha para o Bito", afirmou a agricultora.

Como é criado solto na propriedade de Jucélia, Bito costuma aprontar algumas estripulias. "Ele vive quebrando móveis. Quando entra em casa, sai arrastando tudo que vê pela frente. Antes ele tinha mais acesso ao interior da casa, mas hoje fica mais do lado de fora."
Bode Bito gosta de passear de carro
e se comporta bem no banco do passageiro
(Foto: Reprodução/TV Grande Rio)
Cerveja

A agricultora disse que Bito não pode ver alguém bebendo cerveja que fica por perto para ver se sobra um gole. "Nós não damos cerveja para ele, mas se ficar um resto no copo ou alguém esquecer o copo ao alcance dele, Bito aproveita e bebe escondido", disse Jucélia.

De acompanhamento, Bito gosta de comer salgadinhos, bolacha e até chocolate. "Ele ainda bebe café e refrigerante. A única coisa que ele não gosta de comer é algo que tenha queijo. De resto, ele come ração de cachorro, milho, folhas, frutas. Não escapa nada", afirmou a agricultora.

Tamanha é a diversidade gastronômica de Bito, que Jucélia já começa a se preocupar com o peso do bode. "Ele está muito gordo, com mais de 30 quilos. Levei o Bito no veterinário e já foram encontradas cáries e tártaro nos dentes dele."

Namorado

Jucélia namora há três anos e conta que Bito sente muito ciúmes dela. "Não é só com meu namorado que ele mostra certa impaciência, mas é quem mais sofre com as chifradas dele."
Fonte G1

Revista: Placar - Ed1326 - Janeiro 2009

Placar
Ele Vale Quanto Pesa?

Grenal do Século
No Centenário do clássico, qual dos clubes gaúchos tem mais motivos para sorrir em 2009

Show de Talentos
Veja toda a movimentação no Museu do Futebol para a entrega da Bola de Prata aos craques do Brasileirão

Adeus, Ano Velho
Alegres, tristes, surpreendentes, bizarros: relembre os fatos mais marcantes de 2008

Galo Popular
Com o perfil de dirigente-torcedor, Alexandre Kalil chega a presidência do Atlético-MG com apoio da massa

Edição: 1326 - Janeiro 2009
Tamanho: 12 mb
Formato: pdf
Páginas: 82

Comendo olho de Atum

E você? Comeria um olhão desse aí abaixo? Clique na imagem e confira.

Anúncios bem criativos feitos em bancos de rua

A arte com argila de Pamela Sunday

Jornal O Estado de SP em PDF, Quarta, 07 de Janeiro de 2008

O Exército de Israel matou ontem ao menos 30 palestinos - algumas fontes falam em 42 - que estavam em uma escola da ONU na Faixa de Gaza. Este foi o mais violento ataque contra o território desde o início do conflito, que já deixou mais de 670 palestinos mortos. Muitas das vítimas da ação de ontem eram crianças que tinham sido levadas para a escola justamente por ser considerada um abrigo seguro que não seria alvo de ataques israelenses.

O governo de Israel lamentou as mortes, mas afirmou que a culpa do ataque era do Hamas, que, segundo os israelenses, usa civis como escudo humano. A ONU condenou Israel, afirmando que havia fornecido para o Exército israelense as coordenadas geográficas exatas da escola, onde 350 pessoas estavam abrigadas. Segundo a ONU, cerca de 15 mil palestinos buscaram refúgio em 23 escolas da entidade em Gaza.

Horas antes, Israel havia atacado outra escola da ONU no território palestino, matando três pessoas. Apenas nas operações de ontem, foram confirmadas as mortes de 77 palestinos.

No lado israelense, cinco soldados morreram ontem de madrugada na Faixa de Gaza. Quatro militares foram vítimas de fogo amigo, atingidos por um tanque de Israel, e outro morreu combatendo militantes do Hamas. Desde o início do conflito, dez israelenses foram mortos. Apesar da ofensiva israelense, foguetes do grupo palestino voltaram a atingir o sul de Israel, sem deixar vítimas. Um deles atingiu a cidade de Gadera, a 30 km de Tel-Aviv.

CORREDOR HUMANITÁRIO

Ontem, Israel anunciou a abertura de um "corredor humanitário" em Gaza. Em um comunicado, o governo disse que "setores geográficos serão abertos por períodos limitados durante os quais a população (palestina) receberá ajuda".

A intensificação dos combates, que já atingem zonas urbanas de Gaza, ocorre em meio a uma ampla ofensiva diplomática para obter um cessar-fogo. O Egito e a França propuseram um plano para encerrar o conflito em Gaza, que recebeu apoio dos EUA e da Autoridade Palestina . O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, rompeu ontem o silêncio sobre o conflito e afirmou que está profundamente preocupado com a morte de civis.

Com a proibição do acesso de jornalistas a Gaza por Israel e pelo Egito, a maior parte das imagens exibidas do ataque contra a escola da ONU era da TV Al-Jazira, do Catar, e da TV Al-Aqsa, ligada ao Hamas. Médicos carregavam meninos que foram colocados no chão do hospital, sem ficar claro se estavam vivos. Poças de sangue formavam-se ao redor da escola atingida pelos morteiros israelenses, que deixaram 55 feridos.

Alguns corpos estavam despedaçados por estilhaços da explosão. Um casal passou correndo com o filho ensanguentado no colo. Ambulâncias rumaram para o local. Mas, como não eram suficientes para atender aos feridos, carros particulares e táxis foram usados no resgate.

Os hospitais estavam lotados. A ONU e o Crescente Vermelho dizem que faltam remédios e material para atender aos mais de 2.900 feridos nos ataques de Israel. A ajuda humanitária que tem entrado pela fronteira israelense não é considerada suficiente. O Egito mantém a sua passagem com Gaza fechada.

"Muitos dos feridos haviam perdido partes do corpo e muitos mortos estavam em pedaços'', afirmou Majed Hamdan, fotógrafo da agência de notícias Associated Press. "Vi pais batendo nos próprios rostos em desespero. Alguns desmaiaram. Sabiam que seus filhos estavam mortos", acrescentou. "No necrotério, a maioria dos mortos era criança. No hospital, não havia espaço para os feridos."

"Não há nenhum lugar seguro em Gaza. Todos estão aterrorizados e traumatizados", disse John Ging, principal autoridade da ONU em Gaza.

A chanceler israelense, Tzipi Livni, declarou que "infelizmente, militantes do Hamas escondem-se entre os civis" e Israel tem buscado evitar a morte de inocentes. Os bombardeios das escolas da ONU deve aumentar ainda mais a pressão internacional para o fim do conflito. Em Israel, a morte dos soldados pode provocar uma oposição à ofensiva, que vem sendo apoiada pela maioria da população.

Em declaração no rádio, o premiê de Israel, Ehud Olmert, disse ontem que seguirá adiante com a ofensiva. "O resultado desta operação deve ser, acima de tudo, o fim do tráfico de armamento (por túneis na fronteira entre Gaza e o Egito), com o objetivo de prevenir que essas organizações assassinas sejam capazes de lançar" foguetes contra o território israelense.

Israel lançou a ofensiva militar no dia 27, acusando o Hamas de violar um cessar-fogo vigente havia seis meses. O grupo diz que Israel desrespeitou a trégua em novembro ao matar seis de seus militantes que construíam um túnel. Israel retirou-se de Gaza em meados de 2005, mas manteve o controle aéreo, marítimo e das fronteiras terrestres do território.