sábado, 9 de janeiro de 2010

WSJ - Imagens da semana - Jan. 3 - Jan. 9

Jornal O Estado de SP em PDF, Sábado, 09 de Janeiro de 2010

Plano de Direitos Humanos provoca onda de protestos:
Texto oficial é criticado por religiosos, agricultores e associações de mídia - O detalhamento das 75 páginas do Programa Nacional de Direitos Humanos - amplo a ponto de abarcar propostas que vão do controle social dos meios de comunicação ao marco regulatório dos planos de saúde, passando por taxação das grandes fortunas, mudança na desocupação de áreas invadidas e inclusão de sindicatos nos licenciamentos ambientais - desencadeou uma onda de protestos. Desta vez, não foram só os militares que reagiram ao decreto baixado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 21 de dezembro, mas também representantes da sociedade civil, do empresariado, da Igreja Católica e até de dentro do governo. Stephanes, afirmou que o programa "aumentará a insegurança jurídica no campo", além de "fortalecer organizações radicais", como o Movimento dos Sem-Terra (MST). Ele endossou as críticas da senadora Kátia Abreu (DEM-TO), presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), contrária ao item do decreto que prevê a audiência de uma câmara de conciliação antes da reintegração de posse de uma propriedade invadida.


"O projeto mostra um certo preconceito com a agricultura comercial", protestou o ministro, em entrevista coletiva sobre o resultado da balança comercial do agronegócio de 2009. Stephanes garantiu que o seu ministério foi ignorado em todas as discussões, não só sobre desocupação de terras, mas também sobre trabalho no campo e agricultura comercial.

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, rebateu o colega. "Até onde estou informado, todos os ministérios participaram. O plano busca criar um ambiente de paz no meio rural", disse. Para Cassel, os que reclamam do decreto, "são os que trabalham para um processo de criminalização dos movimentos sociais".

MÍDIA

Entre as dezenas de itens, o decreto sugere o controle social das atividades econômicas, de instituições públicas e privadas e da mídia. Cita até mudanças na Constituição para rever o sistema de outorga e renovação de concessões de rádio e TV. Propõe, ainda, fixar critérios de acompanhamento editorial dos veículos de comunicação e ranking das publicações comprometidas com os direitos humanos ou que cometem violações.

Formato: PDF
Tamanho: 34 Mb

Noite em Paris

29 JPEG | 4000х3000 | 33,5 МВ RAR

Revista história viva | Janeiro 2010 Ed.Nº 75 - PDF

CES Gadgets: Laptop Transparente - Samsung

Papel de parede do dia - 55

Clique para ampliar

Veja - Edição 2146 (6/1/10)

Sonic: Night of the Werehog

Aprenda sem professor - Ano 1 Nr. 03


Guantánamo - um bastião da democracia

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos!

Drift - The JDM Allstars - Wembley 2009

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Imagens engraçadas/curiosas - 08/01/2010


Via Knuttz/Ueba

Papel de parede do dia - 54

Clique para ampliar

Jornal O Estado de SP em PDF, Sexta, 08 de Janeiro de 2010

SP teve recorde de alagamentos em 2009:
Houve problemas até em meses secos. Foram 1.422 pontos, índice 62% maior que em 2008 - Em ano de muita chuva, a quantidade de ocorrências de alagamento pelas ruas de São Paulo no ano passado foi a maior registrada desde 2004, quando o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) começou a apontar os casos na capital. De acordo com levantamento feito pelo Portal Estadão, foram 1.422 ocorrências de alagamento em todo ano que passou, número 62% acima do registrado em 2008 e 13% maior do que o total de 2005, segundo ano com a maior quantidade de registros de alagamentos. Foi a primeira vez nos últimos seis anos que São Paulo sofreu com alagamentos em todos os meses do ano, inclusive nos mais secos, como junho, julho e agosto. Os pontos de alagamentos servem como indicadores de, entre outra coisas, problemas relacionados à drenagem dos rios que cortam a cidade. A quantidade de chuva ao longo do ano passado, que teve o 5º maior índice pluviométrico desde 1943, ano em que Instituto de Meteorologia (Inmet) começou a fazer os registros, é um dos fatores que ajudaram a aumentar os transtornos nas ruas. Choveu 2.017,3 mililitros, valor 21% maior do que a chuva do ano anterior.

Mas essa explicação, a do volume, não pode ser apontada como única justificativa. Em 2006, quando foi registrado o 6º maior índice pluviométrico da série de chuvas em São Paulo, a cidade teve menos ocorrências de alagamentos do que nos dois anos anteriores, menos chuvosos. Foi também em 2006 o primeiro ano em que a obra de aprofundamento da calha do Rio Tietê foi colocada à prova, o que ajudou a diminuir os danos pelas ruas. "A cidade cresceu muito nos últimos anos e se impermeabilizou. A estrutura das galerias e canais que formam as diversas bacias da capital precisam ser reformadas e repensadas. É o que estamos fazendo", afirma o secretário adjunto da Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb), Marcos Rodrigues Penido.

ESTRUTURA

O Estado mostrou ao secretário 30 cruzamentos, ruas e avenidas da capital que aparecem com mais frequência nos registros de alagamentos do CGE. É o caso, por exemplo, da Avenida Aricanduva com a Rua Baqueá, zona leste; da região da Praça das Bandeiras, centro; Avenida Pompeia com Rua Turiaçu, zona oeste; Avenida Roque Petroni Jr. com Avenida Santo Amaro, zona sul; Avenida Olavo Fontoura, zona norte; e Avenida Ricardo Jafet com Viaduto Saioá, zona sudoeste.

Pelo menos em 23 dos 30 pontos onde os registros de alagamentos são mais recorrentes, a causa está relacionada à falta de infraestrutura adequada para conter as águas das diferentes bacias hidrográficas de afluentes do Rio Tietê que agem nessas regiões, segundo análise da Siurb.

Formato: PDF
Tamanho: 27 Mb

Laranjeiras recebe debate sobre patrimônio cultural

Publicada: 08/01/2010
Texto: Suyene Correia / Foto: Jadilson Simões


Foi com uma apresentação do grupo Cacumbi Mirim, que a cidade de Laranjeiras recepcionou o público participante da conferência de abertura do XXXV Encontro Cultural daquela cidade, que aconteceu ontem, pela manhã.O Quarteirão do Trapiche, revitalizado em junho do ano passado, foi palco dos debates em torno do Patrimônio Cultural como base de sustentabilidade de desenvolvimento de um povo, de uma região. Quem comandou a discussão em torno do tema foi a coordenadora de cultura da Unesco, Jurema Machado.Antes, porém, a secretária de Estado da Cultura, Eloísa Galdino; a prefeita de Laranjeiras, Ione Sobral; o diretor do Campus UFS Laranjeiras, professor Gilson Rambelli; o sub-secretário de patrimônio Histórico e Cultural, Luiz Alberto dos Santos, o sub-secretário de Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Turismo, Carlos Augusto Franco Guimarães; a superintendente do Iphan em Sergipe, Terezinha Oliva fizeram seus pronunciamentos na abertura oficial do evento.


Segundo Ione Sobral, para compor a vasta programação da 35ª edição do Encontro Cultural de Laranjeiras, a prefeitura municipal contou com a participação ativa da população. Além disso, o tema proposto para a conferência de abertura é de suma importância para o desenvolvimento da cidade. “Debater a auto-sustentabilidade do povo Laranjeirense, via Patrimônio Cultural é muito importante neste momento. As discussões em torno de estratégias para o desenvolvimento local serão o foco nos dois dias de debates e painéis”.

Para Jurema Machado, a relação entre patrimônio e desenvolvimento é um tema que interessa muito à Unesco e é o centro das discussões nas políticas de preservação do patrimônio no próprio governo brasileiro.

“Já faz tempo que os especialistas compreendem o patrimônio não como uma coletânea de objetos de curiosidade, mas sim, como algo que faça sentido na vida das pessoas e que contribua para o processo de desenvolvimento econômico e construção sólida de relações sociais e humanas que tenham vínculo com o passado, com as tradições. Estamos aqui, num contexto em que essa relação entre patrimônio e desenvolvimento está demonstrada cabalmente, com a alternativa de recuperação do centro histórico de Laranjeiras e está centrada numa nova vertente, num novo caminho de desenvolvimento da cidade”, reflete Machado que visita a cidade histórica pela primeira vez.

A programação do evento que se encerra neste domingo agrega artes plásticas, teatro, dança, vídeo, folclore e música. Durante todo o dia, várias atividades culturais serão desenvolvidas gratuitamente não só nas ruas da cidade, como também nos palcos espalhados pela cidade.

A expectativa da secretária de Cultura do Estado, Eloísa Galdino, é que a cidade de Laranjeiras se torne, a partir de hoje, a capital da cultura sergipana. “Isso será possível tanto do ponto de vista do debate, sobre as perspectivas que temos sobre a política cultural, sobre o nosso desejo de fazer da cultura um vetor de desenvolvimento, como possibilidade de gerar emprego e renda, como do ponto de vista de apresentação da riqueza da cultura popular sergipana”.

Hoje à noite, às 21h, a programação continua com shows musicais no Palco Cultural localizado na Praça de Eventos. Antônio Rogério e Chiko Queiroga, Vanessa da Mata e Olodum são os artistas escalados para animar o evento que recebe o selo do “Projeto Verão 2010”.

Japaratuba inicia Festival de Artes no domingo

O IX Festival de Artes Arthur Bispo do Rosário, realizado pelo município de Japaratuba, tem início neste domingo, 10, e se estende até quinta-feira, 14. O evento vai reunir mais de 70 grupos culturais da localidade. Estima-se que mais de 350 artistas mostrem seus trabalhos durante os cinco dias do festival. Gratuito e de fácil acesso, o festival será realizado na praça de eventos da cidade e aberto oficialmente no domingo, às 22h. O ponto alto da festividade está relacionado à valorização da cultura popular e às diversas manifestações, a exemplo do cacumbi, reisado, maracatu, guerreiro, grupos de dança, teatro e música.

Artistas sergipanos já consagrados estarão abrilhantando a festa, a exemplo de Amorosa, Antonio Rogério, Chico Queiroga e a banda Timbaleiros. O tradicional baile noturno, que vai acontecer no Clube Rita de Cássia, terá como atração principal a banda “Los Guaranis”. O IX Festival de Artes de Japaratuba é uma realização do poder publico municipal e conta com o apoio do governo de Sergipe, Petrobras, Banese, Skol e Câmara de Vereadores do Município. A programação completa pode ser vista no site www.japaratuba.se.gov.br.

Fonte: Jornal da Cidade

Harbin - Festival de esculturas de gelo e neve

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Imagens engraçadas/curiosas - 07/01/2010


Via Knuttz/Ueba

XXXV ENCONTRO CULTURAL DE LARANJEIRAS

WSJ - Imagens do dia - 07/01/2010

Papel de parede do dia - 53

Clique para ampliar

Jornal O Estado de SP em PDF, Quinta, 07 de Janeiro de 2010

Pressão do Planalto faz FAB alterar relatório sobre caças:
Recomendação de compra de aviões suecos será excluída de parecer técnico - O relatório técnico que o Comando da Aeronáutica apresentará ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, com a avaliação dos modelos de caças para a renovação da frota da Força Aérea Brasileira (FAB), não vai conter uma "hierarquização" das propostas internacionais. A FAB iria recomendar o Gripen NG, da empresa sueca Saab, mas foi pressionada pelo governo e não entrará no mérito de qual a melhor opção para o projeto FX-2, que prevê a compra de 36 caças. A versão final do relatório já havia sido "reexaminada", para cortar do texto o ranking das propostas, quando o documento foi publicado pelo jornal Folha de S. Paulo. O novo texto deverá ser apresentado a Jobim na próxima semana. O vazamento foi interpretado pelo Palácio do Planalto como uma derradeira tentativa da Aeronáutica de constranger o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a optar pelo caça sueco, o mais barato entre os três concorrentes.

Seria, na prática, a última cartada para desbancar a França. Motivo: Lula já manifestou diversas vezes sua preferência pelo caça francês Rafale, da empresa Dassault. Na versão preliminar do documento produzido pelo Comando da Aeronáutica, porém, o Rafale ficou em terceiro e último lugar, por ser considerado mais caro e com custo de operação mais alto. O modelo F-18 Super Hornet, da norte-americana Boeing, ocupava a segunda posição.

"Depois que foi apresentado esse primeiro balanço, foi tudo revisado", disse ao Estado um importante auxiliar de Lula. Ele negou, porém, que o presidente ou mesmo Jobim tenham obrigado a FAB a mudar de posição. "A situação é muito complexa e os relatórios são técnicos. Não dá para comparar equipamentos diferentes assim, até porque um dos modelos ainda é um projeto", completou o assessor do Planalto, numa referência ao Gripen.

Jobim está de férias e não quis comentar o assunto. Tanto ele como Lula, no entanto, ficaram extremamente contrariados com a divulgação das conclusões do documento da Aeronáutica.

Formato: PDF
Tamanho: 30 Mb

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Imagens engraçadas/curiosas - 06/01/2010


Via Knuttz/Ueba

Demolição é iniciada

Publicada: 06/01/2010

Fotos: Jorge HenriqueComeçou ontem a demolição da palafita do bar localizado na Croa do Goré, onde parte da estrutura de madeira desabou, na tarde do último sábado, deixando algumas pessoas feridas. O proprietário do bar, Gilson Brito dos Santos, foi à Defesa Civil Estadual e recebeu um prazo de 30 dias para retirar toda a estrutura. Apesar de todas as providências que deverão ser tomadas a partir de agora – como licença ambiental e da Vigilância Sanitária, projeto de engenharia e arquitetura –, o proprietário disse que vai continuar comercializando no local.
“Não vou desistir. Vou continuar o comércio no seco mesmo, quando a maré estiver baixa. O que não pode mais é ser em cima da estrutura”, disse Gilson. Ele falou ainda que reformou toda a estrutura no ano passado e que as tábuas só cederam porque alguns turistas da Bahia pularam no piso enquanto esperavam a chuva passar. Ainda segundo Gilson, somente três pessoas tiveram ferimentos mais visíveis. Ele também lembrou que o bar existe há mais de 18 anos e esse foi o primeiro acidente.

Já o coordenador da Defesa Civil Estadual, major José Erivaldo Mendes, interditou o bar e determinou a demolição. Ele explicou que a estrutura não oferece segurança e foi feita “de forma empírica e artesanal”. Ontem pela manhã, o major recebeu o proprietário do bar na sede da Defesa Civil e explicou que ele precisará de uma autorização da Prefeitura de São Cristóvão e do Corpo de Bombeiros para continuar funcionando, além de licença ambiental, licença da Vigilância Sanitária e de um projeto de engenharia e arquitetura que deverá ser aprovado pelos órgãos responsáveis.

“Do ponto de vista da Defesa Civil o problema está sendo resolvido, porque quando a estrutura for totalmente retirada não haverá mais riscos em relação a desastres. Mas se ele continuar trabalhando no local, os outros órgãos competentes é que deverão fiscalizar”, ressaltou o major Mendes. Os engenheiros da Defesa Civil estiveram no bar, na tarde de segunda-feira, e detectaram que as madeiras do piso e escoras estavam rachadas e/ou apodrecidas.

Capitania

O comandante da Capitania dos Portos de Sergipe, o capitão-de-fragata Berivaldo Vieira Figueiredo, explicou que apenas a cozinha do bar da Croa do Goré é flutuante e que a parte fixa, onde houve o desabamento, não pode sofrer intervenção da Marinha. “A parte que é flutuante é cadastrada na Capitania e inspecionada. Como qualquer outra embarcação, deve ter todos os equipamentos de segurança. Mas como o acidente ocorreu na parte fixa do bar, não podemos interditá-lo”, acrescentou o comandante Vieira. Ele disse ainda que no dia do acidente equipes da Capitania estavam na região do Mosqueiro, já que desde dezembro acontece a Operação Verão, e ajudaram a prestar os primeiros socorros às vítimas.

Fonte: Jornal da Cidade

WSJ - Imagens do dia - 06/01/2010

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos!!!

Revista Motorcyclist - Fevereiro 2010

Made in heaven

Revista Boa Forma | Dezembro de 2009 Angélica Ed. Nº 273

Acidente com navio

Errinho de cálculo... Deu no que deu...

Papel de parede do dia - 52

Clique para ampliar

Jornal O Estado de SP em PDF, Quarta, 06 de Janeiro de 2010

Senadores terão mais verba para passagens:
Na virada do ano, Mesa liberou uso da cota restante de 2009 em 2010 - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende ignorar relatório do Comando da Aeronáutica que avaliou o caça Gripen NG, da empresa sueca Saab, como o melhor para a renovação da frota da Força Aérea Brasileira (FAB), informou um de seus mais próximos auxiliares. Lula já manifestou a preferência pelo caça francês Rafale e tem repetido que a decisão sobre a compra dos 36 aviões é "política e estratégica" para consolidar a parceria entre o Brasil e a França.
O vazamento do relatório do Comando da Aeronáutica para o jornal Folha de S. Paulo - com a avaliação ainda parcial das propostas para o projeto FX-2, de renovação da frota da FAB - irritou Lula e provocou mal-estar no governo. Auxiliares do presidente disseram que o documento já foi modificado e não faz um ranking das melhores propostas, apenas avalia tecnicamente itens como transferência de tecnologia e aspectos comerciais e logísticos. Nota do Comando da Aeronáutica informou ontem que o relatório ainda não foi enviado ao Ministério da Defesa.

A compra dos caças é mais um capítulo da crise do governo com os militares. Na véspera de Natal, os comandantes das três Forças e o ministro da Defesa, Nelson Jobim, ameaçaram se demitir em represália à criação da Comissão da Verdade, prevista no Programa Nacional de Direitos Humanos, que abre brechas para a revisão da Lei de Anistia. Mas o impasse foi temporariamente contornado com a promessa de Lula de reexaminar os pontos de atrito.

A simpatia de setores da Aeronáutica pelo caça sueco já é velha conhecida do governo. Lula não queria, no entanto, que isso viesse a público. Afinal, dera o sim à compra dos Rafale antes mesmo de conhecer o relatório da Aeronáutica. Desde que anunciou sua preferência pelo caça francês, durante visita do presidente Nicolas Sarkozy ao Brasil, em setembro, Lula aguarda que a empresa Dassault reduza em 40% os custos de operação do Rafale. Naquela ocasião, Sarkozy chegou a garantir ao colega brasileiro que melhoraria substancialmente a proposta.

Lula tem demonstrado que não gosta de ser contrariado em decisões tomadas de antemão. Ao dar a entender que poderá ignorar o relatório da FAB, ele praticamente repete o que disse em relação ao Supremo Tribunal Federal (STF), que abriu a possibilidade de responsabilizá-lo, caso opte por não extraditar o ex-militante de esquerda Cesare Battisti. O italiano foi condenado à prisão perpétua em seu país, acusado de quatro assassinatos. Indagado sobre o caso, Lula reagiu: "Não me importa o que disse o STF. Ele teve a chance de fazer e fez. Eu não dei palpite. A decisão é minha. Até lá não tenho comentários a fazer."

Formato: PDF
Tamanho: 22 Mb

Escapou fedendo mas não morreu cheiroso

Potência, muita habilidade e muita, muita sorte mesmo, do cara no final, que pode até não ter sofrido nada, mas que a calça ficou mais pesada ficou! Impressionante!

Gato possuído

WSJ - Imagens do dia - 04/01/2010

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos!!!

Duke Nukem Forver - Trailer - Live action

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Imagens engraçadas/curiosas - 05/01/2010


Via Knuttz/Ueba

Escadas Espirais

Clique na imagem abaixo e confira!!!