sábado, 20 de março de 2010

O Estado de SP em PDF, Sábado, 20-03-10

Serra assume candidatura e diz que crescimento de Dilma não assusta: Sucessão.
Anúncio sobre a saída do governo paulista no início de abril para se dedicar à campanha presidencial foi feito de maneira cautelosa, sem afirmação explícita, durante entrevista para a TV no dia em que o governador comemorou seu 68º aniversário - O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), falou ontem abertamente, pela primeira vez, sua candidatura à Presidência da República e disse que o crescimento da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT ao Planalto, nas pesquisas de intenção de voto "não assusta". "São cinco pontos de diferença. Mas não me assusta não, até porque eu estava prevendo", afirmou o tucano em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, do programa SP Acontece, um dos mais populares da TV Bandeirantes. Pesquisa CNI-Ibope divulgada na quarta-feira mostrou Serra com 35% e Dilma com 30%. Em fevereiro, a vantagem do tucano era de 11 pontos porcentuais, segundo o mesmo instituto.


Depois de um silêncio absoluto sobre eleição nos últimos dias, Serra admitiu, no dia em que comemorou 68 anos, que será candidato quando confirmou a data de sua saída do governo estadual. "Faltam poucos dias. No começo de abril", afirmou o governador.

Diante da declaração do apresentador de que o tucano estava ali anunciando sua postulação, ele minimizou - a oficialização será em evento em Brasília no dia 10 -, mas falou como se fosse candidato no restante da entrevista. "Não estou negando. Apenas dizendo que neste momento, enquanto eu estiver no governo, não vou fazer campanha."

O tucano rechaçou críticas de que esteja demorando para iniciar a campanha. "Não estou demorando. Tem seis meses para fazer campanha eleitoral."

Em uma crítica indireta à adversária, o governador afirmou que não antecipará o enfrentamento. "Campanha para mim é depois. Eu não antecipei. Meu trabalho de governador ficou sendo meu trabalho de governador e vou fazer isso até o último momento." A oposição acusa Dilma e Lula usarem compromissos de governo para promover a candidatura petista...

Formato: PDF
Tamanho: 40 Mb

sexta-feira, 19 de março de 2010

Imagens engraçadas/curiosas - 19/03/2010

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

''The Shooting War'' - Editorial fotográfico

Clique na imagem abaixo e confira com o trabalho dos principais fotógrafos de zonas de combate do mundo

Lucro da Petrobras cai 12% em 2009, para R$ 28,98 bilhões

Empresa teve receita líquida 15% menor no ano passado.
No 4º trimestre, ganho subiu 31%, para R$ 8,13 bilhões.


Foto: Divulgação


A Petrobras teve lucro líquido de R$ 28,98 bilhões em 2009, valor 12% menor que o registrado em 2008, quando foi de R$ 32,99 bilhões.

A receita líquida da estatal foi de R$ 182,71 bilhões, 15% menos que os R$ 215,12 bilhões registrados em 2008.

Segundo a Petrobras, o lucro líquido "foi influenciado negativamente pela variação cambial". A estatal disse em comunicado que "a combinação entre aumento dos passivos [dívidas] em dólar e queda da taxa de câmbio ao longo do ano afetou negativamente o resultado financeiro".

A empresa disse ainda que resultado do segmento de exploração e produção sofreu impacto da queda dos preços do petróleo no ano passado, apesar do aumento da produção no período. O lucro do segmento caiu de R$ 37,62 bilhões, em 2008, para R$ 19,6 bilhões, no ano passado.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de impostos, juros, amortizações e depreciações, na sigla em inglês) correspondeu a R$ 59,94 bilhões, alta de 5% na comparação com 2008.

4º trimestre

A Petrobras teve lucro líquido de R$ 8,13 bilhões no quarto trimestre de 2009, aumento de 31% sobre os R$ 6,19 bilhões registrados no mesmo trimestre de 2008.

A receita líquida no 4º trimestre caiu 8,6%, para R$ 47,6 bilhões. A geração de caixa medida pelo Ebitda aumentou 62,8%, para R$ 15 bilhões.

Segundo a empresa, "a elevação na cotação média do petróleo brent no 4º trimestre e seu reflexo sobre as exportações, o aumento das vendas no mercado interno (2,3%) e a redução das despesas operacionais" contribuíram para o ganho maior de outubro a dezembro.

Investimento

A Petrobras informou ainda que planeja investir entre US$ 200 bilhões e US$ 220 bilhões entre 2010 e 2014. No período anterior, de 2009 a 2013, o plano de investimentos previa gastos de US$ 174,4 bilhões.

Nos investimentos previstos até 2014 estão incluídos projetos aprovados pela diretoria da empresa, que totalizam R$ 264,8 bilhões.

No ano passado, a Petrobras investiu R$ 70,76 bilhões, principalmente no aumento da produção e em refinarias, segundo a empresa.

Segundo a estatal, a produção total de petróleo e gás natural da empresa subiu 5%, enquanto a produção nacional de petróleo cresceu 6% no ano passado. A empresa também captou um total recorde de R$ 74 bilhões no mercado financeiro, sendo que essas dívidas têm prazo médio superior a dez anos.

A Petrobras também destacou que recuperou valor de mercado em dólares em 2009, passando de cerca de US$ 100 bilhões, no final de 2008, para US$ 199 bilhões, no fim do ano passado.

Fonte: G1

O Estado de SP em PDF, Sexta, 19-03-10

Desbloqueio de celular terá de ser gratuito:
BRASÍLIA - O cliente da telefonia celular poderá desbloquear seu aparelho a qualquer momento, sem nenhum custo ou multa. A medida, aprovada nesta quinta-feira, 18, pelo conselho diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), vai beneficiar um universo de 176 milhões de usuários da telefonia celular no País. Com o telefone desbloqueado, o cliente pode usar em um mesmo aparelho chips de diversas operadoras.
O presidente da Anatel, Ronaldo Sardenberg, disse nesta quinta, ao anunciar a medida, que a decisão vai contribuir para aumentar a competição e consequentemente baixar o preço das tarifas. A conselheira Emília Ribeiro, autora da proposta, explicou que o usuário da telefonia celular vai sair ganhando com a medida porque poderá se beneficiar das promoções e ofertas de diversas operadoras.


Segundo a conselheira, as empresas argumentam que o bloqueio é necessário como uma espécie de fidelização do cliente que adquiriu um aparelho subsidiado, por um valor menor ou de graça. A Anatel, no entanto, quer deixar claro que o bloqueio não pode ser imposto como contrapartida à concessão de benefícios.

Sardenberg explicou que as operadoras não poderão argumentar, por exemplo, que o cliente está dentro do prazo de 12 meses de fidelização para negar o desbloqueio. Segundo ele, as empresas também não podem alegar que o aparelho tenha sido fornecido gratuitamente para rejeitar o pedido de destravar o celular. "A qualquer momento o cliente pode pedir o desbloqueio. Não vai pagar nada e não será cobrada multa", reforçou o conselheiro Jarbas Valente.

O vínculo com a prestadora permanece em relação ao serviço e não em relação ao aparelho. Ou seja, para quem tiver um plano de fidelização, o período de carência para a rescisão do contrato permanece, podendo ser considerado quebra de acordo caso a contratação do serviço seja cancelado pelo usuário. Nessa situação é possível cobrar multa.

A decisão sobre o desbloqueio consta de uma súmula que deverá ser publicada nos próximos dias no Diário Oficial da União, dando uma nova interpretação ao regulamento da telefonia celular, que foi editado em 2007. Pág.B16

Formato: PDF
Tamanho: 26 Mb

Veja - Edição 2156 - 17/03/2010


Tanner Foust Street Drift: Mulholland

Trailer: Robin Hood

Jogos Paraolímpicos de Inverno 2010


quinta-feira, 18 de março de 2010

O Estado de SP em PDF, Quinta, 18-03-10

Milhares protestam por royalties no Rio:
Servidores públicos e trabalhadores das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), transportados em ônibus alugados por prefeituras e pelo governo do Estado, foram o público principal da manifestação, ontem, no centro da cidade, contra a Emenda Ibsen. O governador Sérgio Cabral (PMDB) e dezenas de prefeitos recorreram à máquina pública para garantir o quorum na passeata.
Apesar de tanta mobilização, não houve discursos durante o protesto contra a medida que tira recursos dos royalties de Estados e municípios produtores de petróleo. Apenas música, principalmente funk. Além de políticos, participaram do ato a apresentadora Xuxa, a atriz Letícia Spiller, o sambista Neguinho da Beija-Flor e a cantora Fernanda Abreu. A Assessoria de Imprensa do governo do Estado não informou quanto foi gasto na organização do protesto.

O temporal, no fim da tarde, no entanto, atrapalhou a animação dos manifestantes. Muitos preferiram se abrigar e nem chegaram à Cinelândia, ponto final da caminhada. Às 17 horas, o coordenador de Comunicação Social da Polícia Militar, tenente-coronel Henrique Lima de Castro Saraiva, calculou em 50 mil o público da passeata.

"Mas ainda tem muita gente presa no engarrafamento, que vai chegar mais tarde; o número vai aumentar", previu. Às 19h30, o tenente-coronel elevou a estimativa para "quase 150 mil", o que se aproxima da previsão da véspera, feita pelo vice-governador, Luiz Fernando Pezão.

Comunicado: A edição de ontem, 17-03-2010, ainda não está disponível no site do Estadão.

Formato: PDF
Tamanho: 32 Mb

quarta-feira, 17 de março de 2010

Imagens engraçadas/curiosas - 17/03/2010

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Xangai se prepara para Expo 2010

Queimando pneu

Papel de parede do dia - 89

terça-feira, 16 de março de 2010

Várias páginas de fotos curiosas e inesperadas.

Lesão no punho pode ser evitada com exercícios específicos e atenção

Movimentos repetitivos e de alto impacto são as principais causas do problema

No sobe e desce dos pesos nas mãos, o punho pode acabar sendo vítima de uma lesão indesejada. Esta costuma ser a reação da região - que tem uma estrutura flexível, porém, bastante frágil - , principalmente quando fica vulnerável a movimentos repetitivos de grande impacto e de sobrecarga.

Para manter-se longe do incômodo e evitar dias de molho, nada de afobação durante o treino. "Muitos alunos, geralmente iniciantes, exageram no peso e na frequência dos exercícios. Isso faz com que o punho fique sobrecarregado e ocorram lesões", explica o ortopedista e personal trainer Edson Ramalho.

Impacto + repetição
A conta é simples e o resultado doloroso. Com o impacto dos exercícios, os ossos do punho, que são extremamente maleável, se deslocam bruscamente e infeccionam, pressionando os músculos e causando dores na região.
Quando isso acontece, é preciso detectar o grau da lesão e procurar tratamento adequado. "Imagine deslocar dezenas de vezes uma mesma articulação fazendo força? Ela vai desgastar e ficar ainda mais frágil", explica Edson.

As lesões podem ser de duas origens: traumáticas, decorrentes de queda ou pancada, ou por repetição.

"Estas são menos graves e alguns ajustes de postura e medicamentos podem resolver, já as lesões traumáticas, é preciso imobilizar o local e, dependendo do caso, é necessário passar por cirurgia", explica Eduardo Carrera, ortopedista da Unifesp e do Hospital Albert Einstein.

Sintomas
O personal e ortopedista explica que as lesões em geral não deixam sinais visíveis, mas ah se dói. Numa escala de 0 a 10, se a dor equivale a 7, é um fator que existe um problema. Em geral, não há inchaços e fraturas expostas. O mais comum são as lesões que doem consideravelmente e, após o treino, que é quando o corpo esfriou.

Treinamento contra lesões
A melhor maneira de evitar lesões graves é treinar o punho de acordo com a intensidade dos exercícios que você pratica.

Com o tempo, nossas articulações se adaptam a nova situação e se fortalecem ficando menos vulneráveis às lesões. "É o que chamamos de treinamento de sensibilidade, ou seja, partindo de uma carga menor e menos frequente, o aluno ou paciente vai condicionando as articulações de modo a torná-las mais resistentes", explica Edson Ramalho.

As lesões mais comuns são causadas pela postura errada e pela execução de movimentos repetitivos. "Se você dosar a carga dos exercícios e mantiver a postura adequada, fortalecerá os tendões e impedirá que haja lesões no local", explica Eduardo.

Muita gente investe em munhequeiras achando que ao pressionar a região, vai protegê-la de lesões. Pelo contrário, o punho só é fortalecido com exercícios apropriados para a região.Alongamento
A dica dos especialistas é investir em alongamentos que relaxem toda a região deixando as articulações mais livres de tensões e por isso, menos vulneráveis: "o ideal é fazer exercícios que proporcionem o alongamento total do braço. Apertar e soltar uma bolinha (aquelas molinhas próprias de fisioterapia) ajuda a fortalecer o punho", sugere Edson Ramalho.

"Uma sugestão é esticar o braço por inteiro e puxar os dedos para frente e para traz duas ou três vezes a cada dois minutos", diz Eduardo.

Pare na hora certa
Para não ser acometido por uma dorzinha chata no punho, interrompa seus exercícios a cada meia hora e alongue, assim, vai evitar lesões por repetição: "É preciso aliviar os tendões e relaxar, senão, vai doer mesmo", explica Eduardo.Tratamento
Varia de acordo com a gravidade da lesão. Em casos de lesões por repetição, o tratamento é mais demorado por ser contínuo e requer fisioterapia, uso de luvas e tensores que imobilizam o local impedindo o agravamento do problema e medicamentos.

Já nas lesões provocadas por traumas, o ideal é procurar imediatamente o médico e detectar se há ou não a necessidade de uma cirurgia pra recompor as articulações e tendões.

O tratamento exige fisioterapia e muita paciência já que leva, em média, 3 meses para dar resultados. Quanto mais demorado o socorro ou a detecção do problema, mais decisivo será o tratamento. Por isso, se você sente fortes dores nas articulações do punho e região, procure imediatamente um médico.

Fonte: Minha Vida

O Estado de SP em PDF, Terça, 16-03-10

Acusado de matar Glauco é preso após enfrentar PF na fronteira do Paraguai:
Carlos Eduardo Sundfeld Nunes permaneceu 3 dias escondido em um matagal; aos federais, disse que cumpria 'um chamado de Deus' - A Polícia Federal prendeu Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, de 24 anos, no fim da noite de anteontem. O estudante acusado de matar o cartunista Glauco Vilas Boas, de 53 anos, e seu filho Raoni, de 25, na madrugada de sexta-feira, em Osasco, tentava chegar ao Paraguai por Foz do Iguaçu, região oeste do Paraná. Em depoimento informal a agentes federais, o rapaz disse que apenas cumpria um "chamado de Deus", uma "missão".

O cerco ao estudante chegou ao fim por volta das 23 horas de domingo, quando ele cruzava a Ponte da Amizade em um veículo roubado. A fuga, porém, começou pela manhã, com o roubo de um Ford Fiesta Sedan, na Vila Sônia, zona oeste de São Paulo. Antes disso, ele passara três dias escondido em um matagal, na região do Pico do Jaraguá.

Nunes seguiu viagem para o Paraguai. O estudante não contava, porém, com a troca de informações entre as Polícias Rodoviárias de São Paulo e do Paraná sobre o roubo do automóvel. Quando chegou a Santa Terezinha do Itaipu, já no Paraná, a cerca de 30 km da fronteira, o rapaz foi interceptado por policiais rodoviários. Nesse ponto, ocorreu o primeiro confronto e ele fugiu. Uma hora depois, quase no meio da Ponte da Amizade, o estudante furou um bloqueio da PF, trocou tiros e acabou preso.

O estudante teria confessado o crime, antes mesmo de ser questionado pelos policiais. A PF afirmou não ter entrado em detalhes sobre o crime em razão de o duplo homicídio ser investigado pela Polícia Civil paulista. O delegado federal José Alberto Iegas, no entanto, contou que o rapaz tem um discurso místico no qual declara ser Jesus Cristo.

Formato: PDF
Tamanho: 22 Mb

Petrobras anuncia investimento de R$ 1,5 bilhão na região de Sergipe

Projetos apresentados pelo presidente Gabrielli e pelos diretores Estrella e Graça Foster incluem campanha exploratória inédita no Nordeste, obras em rodovias e a ampliação da Fafen-SE
O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, e os diretores de Exploração e Produção, Guilherme Estrella, e de Gás e Energia, Graça Foster, anunciaram, nesta terça-feira (16/3), o início de uma grande campanha de perfuração exploratória em águas profundas da Bacia de Sergipe-Alagoas, a execução de obras em rodovias sergipanas e a ampliação da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados de Sergipe (Fafen). A solenidade, no Centro de Convenções de Sergipe, contou com a presença do governador de Sergipe, Marcelo Déda, de empresários e lideranças locais. Os investimentos da Petrobras na área de Exploração e Produção no estado somam R$ 1,5 bilhão. Na Fafen, serão US$ 131 milhões. É a primeira campanha exploratória desta magnitude no nordeste brasileiro na história da Petrobras.

Gabrielli comentou a recente descoberta da Petrobras de acumulação de petróleo leve em reservatórios na Bacia de Sergipe, após conclusão da perfuração do poço exploratório 3-PRM-12-SES, na área de Piranema, na seção pós-sal. O volume de petróleo economicamente recuperável é estimado em 15 milhões de barris. O poço exploratório foi perfurado no extremo norte da área de concessão de produção de Piranema, a cerca de 28 quilômetros do litoral de Sergipe, em profundidade de água de 800 metros. A descoberta se deu em reservatórios areníticos a 2.693 metros de profundidade. Estimativas preliminares indicam a presença de petróleo leve (44 graus API), em reservatórios com boa espessura e excelentes condições permoporosas, confirmadas pelos dados obtidos até o momento.

A descoberta é fruto da estratégia exploratória de intensificar os trabalhos próximos a campos em produção (Planóleo) em 2010, a exemplo do que foi feito nos campos de Pampo e Barracuda e visa a aproveitar a capacidade das instalações existentes, diminuir os custos de produção e agilizar a produção de novos volumes de óleo.

Investimento de R$ 1,5 bilhão

Além da campanha exploratória em águas profundas da Bacia de Sergipe-Alagoas, o presidente da Petrobras informou que, em 2010, a companhia investirá R$ 1,5 bilhão em águas rasas e nos campos terrestres de Sergipe. Em exploração, serão investidos R$ 415 milhões.

A bacia de Sergipe-Alagoas produz em diferentes reservatórios há cerca de 50 anos. Apesar do grande número de poços perfurados na porção terrestre e mesmo na área de águas rasas, a seção de águas profundas permanece praticamente inexplorada.

A campanha de 2010 tem como objetivos cumprir os compromissos assumidos nos contratos com a ANP e pesquisar diferentes alvos geológicos e em variadas porções da bacia, nos quais os geólogos e geofísicos identificaram boas oportunidades de perfuração. Os resultados obtidos, além da perspectiva de incorporação de volumes importantes de óleo e/ou gás à carteira da Petrobras, também contribuirão para ampliar o conhecimento geológico e reduzir as incertezas para eventuais participações nos futuros leilões da ANP.

Em águas profundas, estão programadas as perfurações de oito poços, sendo dois no Campo de Piranema e seis em diferentes áreas dos blocos exploratórios denominados BM-SEAL-4, BM-SEAL-10 e BM-SEAL-11, todos operados pela Petrobras. Em águas rasas e nos campos terrestres estão programadas ações como a injeção de água e revitalização do Campo de Carmópolis (US$ 700 milhões), as ampliações de injeção de água e revitalização dos campos Siririzinho (US$ 260 milhões), Riachuelo (US$ 200 milhões), em novas zonas no Campo de Piranema (US$ 280 milhões), e na injeção de água e revitalização dos Campos de Camorim e Dourado (US$ 1 bilhão), ambos em águas rasas. Os projetos de águas rasas dependem da emissão da licença ambiental.

Infra-estrutura

O convênio para execução de obras de implantação, pavimentação, drenagem e sinalização de rodovias sergipanas, no valor de R$ 35.789.044,27, foi assinado com o Departamento Estadual de Infra-estrutura Rodoviária do Estado de Sergipe (DER-SE) e a Secretaria de Estado de Infra-estrutura, representando o governo estadual.

As obras previstas incluem a restauração de trechos das rodovias SE-160 (antiga SE-102) e BR-101; a construção de ponte e a reconfiguração geométrica da SE-160, no trecho do entroncamento com a SE-245 e a entrada da cidade de Riachuelo; rejuvenescimento da pavimentação, sinalização e iluminação da rodovia SE-100, no trecho entre os municípios de Barra dos Coqueiros e Pirambu (R$ 4.054.172,27).

Ampliação da Fafen-SE

A Fafen Sergipe, que produz 1.250 toneladas/dia de amônia e 1800 toneladas/dia de uréia, passará a produzir também sulfato de amônio para atendimento ao mercado do Nordeste. A nova unidade será instalada dentro da Fafen-SE, em Laranjeiras, e demandará investimentos de US$ 131 milhões.

A decisão de produzir sulfato de amônio na fábrica de fertilizantes de Sergipe foi tomada após estudos técnicos indicarem a viabilidade do negócio. O Nordeste é grande consumidor de sulfato de amônio, mas importa aproximadamente 70% das cerca de 400 mil toneladas/ano que usa.

O sulfato de amônio é produzido a partir da reação de amônia com ácido sulfúrico. Das 1.250 toneladas de amônia produzidas pela Fafen-Sergipe, 1.024 toneladas são transformadas em uréia e 226 toneladas são excedentes. Atualmente, o excedente de amônia que não é absorvido pelo mercado da região Nordeste é vendido a consumidores do Sudeste.

O objetivo da Petrobras é processar matérias-primas disponíveis no Nordeste para serem consumidas na própria região. O ácido sulfúrico – produzido a partir do enxofre - virá de refinarias da Petrobras instaladas no Nordeste.

O excedente de 226 toneladas/dia de amônia, combinadas com o ácido sulfúrico, podem produzir 303 mil toneladas/ano de sulfato de amônio. Isso representará um acréscimo importante para reduzir a dependência do Brasil da importação do produto. O sulfato de amônio é usado como fertilizante, por exemplo, em culturas de cana-de-açúcar, milho e algodão

segunda-feira, 15 de março de 2010

O Estado de SP em PDF, Segunda, 15-03-10

União pode compensar Rio no pré-sal:
Deputado Ibsen Pinheiro negocia alternativa de repasse de royalties da União para os Estados produtores prejudicados - Autor da polêmica proposta que mudou a divisão de royalties entre Estados e municípios, o deputado Ibsen Pinheiro (PMDB-RS) quer negociar, com dinheiro da União, uma saída política para as perdas do Rio e do Espírito Santo. Pelo acordo negociado no fim de semana, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) vai apresentar amanhã uma emenda, elaborada por Ibsen, que propõe usar parte do dinheiro de royalties pagos aos cofres federais para compensar os dois Estados ? juntos, Rio e Espírito Santo produzem 90% do petróleo brasileiro.
Na semana passada, a Câmara dos Deputados aprovou, por 369 votos a favor e 72 contra, uma nova divisão dos recursos com a compensação financeira devida pelas empresas que exploram petróleo e gás (royalty). A regra preserva a parcela da União, equivalente a 40% do dinheiro levantado e divide o resto de forma igual entre Estados e municípios, seguindo as regras dos fundos constitucionais (FPE e FPM).

A medida irritou os parlamentares do Rio e levou o governador Sérgio Cabral (PMDB) às lágrimas porque ela acaba com a diferenciação entre produtores e não produtores de petróleo, prejudicando o Rio e o Espírito Santo, que levam hoje a maior parte dos recursos obtidos com a compensação. O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá vetar o mecanismo.

A nova emenda elaborada por Ibsen e encaminhada a Simon diz que a União compensará, com recursos da sua parcela de royalties e participação especial, os Estados e municípios que sofrerem redução de suas receitas em razão da nova lei. "Os prejudicados que perderem vão ser compensados pela União até que a produção atinja níveis que garantam os atuais patamares de remuneração", disse Ibsen. A participação especial é uma espécie de "royalty extra" cobrada nos poços mais rentáveis, fora da área do pré-sal.

Formato: PDF
Tamanho: 29 Mb

domingo, 14 de março de 2010

Haiti - Dois meses após o terremoto


O Jardim de meu pai por Mirko Faienza

Papel de parede do dia - 88

WSJ - Imagens da semana 08/03 - 12/03/10


O Estado de SP em PDF, Domingo, 14-03-10

Serra vai se lançar candidato defendendo 'Estado ativo':
Sinceridade, serenidade, crítica sem agressão, propostas no lugar de promessas são as linhas gerais da campanha presidencial do governador de São Paulo, José Serra, que já estão delineadas e farão parte do discurso dele no ato oficial de lançamento da candidatura, previsto para o fim da primeira semana de abril em Brasília. As datas mais prováveis são sexta-feira, 9, ou sábado, 10 de abril, dias considerados mais eficazes em termos de aproveitamento nos meios eletrônicos. A decisão de não fazer o ato no início da semana é porque logo depois do feriado da Semana Santa os convidados poderiam ter dificuldades de estar em Brasília.

Definida a agenda, a hora agora é de Serra preparar a transição administrativa do governo de São Paulo e pensar na melhor forma de se apresentar ao eleitorado com um esboço de seu programa de governo, onde o conceito de "Estado ativo" é o fio condutor.

Questões políticas ficam para depois. A organização das coligações estaduais será feita em abril e maio, mas a definição do candidato a vice-presidente pode só ocorrer perto da realização da convenção do partido, em junho.

Por enquanto, Serra não quer falar - e gostaria muito que o partido também não falasse - da questão Aécio Neves. No entendimento dele, a pressão é contraproducente.

Tanto para o êxito da formação da chapa tal como os tucanos consideram o ideal, quanto para a candidatura presidencial, pois fica a impressão de que a vitória depende do vice.

A matriz do discurso de Serra, e consequentemente de seu programa, no lançamento da candidatura é o pronunciamento feito na posse como governador de São Paulo, há três anos.

Principal
Formato: PDF
Tamanho: 59 Mb