sábado, 23 de outubro de 2010

Imagens engraçadas/curiosas - 23/10/2010

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Quatro Rodas - Edição 596 (10/2009)

Trailer: Clow

Jornal O Estado de SP em PDF, Sabado, 23 de Outubro de 2010

Exclusivo: PT e Gilberto Carvalho viram réus em ação sobre propina : Uma decisão da Justiça traz de volta um fantasma que acompanha o PT e transforma em réu o partido e o chefe de gabinete do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Gilberto Carvalho. O assessor e o PT viraram réus num processo em que são acusados de participar de uma quadrilha que cobrava propina de empresas de transporte na Prefeitura de Santo André para desviar R$ 5,3 milhões dos cofres públicos. O esquema seria o precursor do mensalão petista no governo federal. Na segunda-feira, a Justiça tomou uma decisão que abre de vez o processo contra os envolvidos. A juíza Ana Lúcia Xavier Goldman negou recursos protelatórios e confirmou despacho em que aceita denúncia contra Carvalho, o próprio partido, outras cinco pessoas e uma empresa. A juíza entendeu, no primeiro despacho, em 23 de julho deste ano, que há elementos suficientes para processá-los por terem, segundo a denúncia, montado um esquema de corrupção para abastecer o PT. "Há indícios bastantes que autorizam a apuração da verdade dos fatos por meio da ação de improbidade administrativa", disse.

O Estado esteve no Fórum de Santo André na quinta-feira para ler o processo e a decisão de segunda-feira. A Justiça local já enviou para a comarca de Brasília a citação do chefe de gabinete de Lula para informá-lo de que virou réu. No documento, a Justiça pede que Carvalho receba o aviso em sua casa ou no "gabinete pessoal da Presidência da República". O Ministério Público quer que o petista e os demais acusados devolvam os recursos desviados e sejam condenados à perda dos direitos políticos por até dez anos.

A decisão judicial em acolher a denúncia foi celebrada ontem pelos promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) da região do ABC, responsáveis pela investigação. "Ao receber a denúncia, a Justiça reconhece que há indícios para que a ação corra de verdade. É um caminho importante para resgatarmos o dinheiro desviado", disse ao Estado a promotora Eliana Vendramini. Ela destaca que a Justiça decidiu aceitar a denúncia depois de ouvir a defesa de todos os acusados nos últimos três anos.

Segundo a ação, o assessor de Lula transportava a propina para o comando do PT quando era secretário de governo do então prefeito de Santo André, Celso Daniel, assassinado em janeiro de 2002. "Ele concorreu de qualquer maneira para a prática dos atos de improbidade administrativa na medida em que transportava o dinheiro (propina) arrecadado em Santo André para o Partido dos Trabalhadores", diz a denúncia aceita pela Justiça. De acordo com a investigação, os recursos eram entregues ao então presidente do PT, José Dirceu.

Sombra. Apontado pelo Ministério Público como mandante do assassinato de Daniel, o ex-segurança Sérgio Gomes da Silva, o Sombra, é companheiro de Carvalho na relação de réus. Somam-se ao grupo o ex-secretário de Transportes Klinger Luiz de Oliveira Souza, o empresário Ronan Maria Pinto, entre outros. "O valor arrecadado era encaminhado por Ronan ao requerido Sérgio e chegava, em parte, nas mãos de Gilberto Carvalho, que se incumbia de transportar os valores para o Partido dos Trabalhadores", afirma a denúncia. "A responsabilidade de Klinger e Gilberto Carvalho decorre da sua participação efetiva na quadrilha e na destinação final dos recursos." O dinheiro, aponta a investigação, serviu para financiar campanhas municipais, regionais e nacionais do PT. Por isso, o partido também responderá ao processo como réu.

Formato: PDF
Tamanho: 72 Mb

Veja - Edição 2187 (20/10/2010)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Jornal O Estado de SP em PDF, Sexta, 22 de Outubro de 2010

Petista ligado a Dilma furtou dados de tucanos, diz jornalista: Jornalista acusa coordenador de Dilma
Em depoimento à Polícia Federal, Amaury Ribeiro Jr. afirmou que Rui Falcão 'copiou' o conteúdo de sua investigação contra os tucanos, então armazenado num computador pessoal que estava num flat pago pelo próprio PT para ele se hospedar em Brasília - Integrante do comando da campanha da petista Dilma Rousseff, o deputado estadual Rui Falcão (PT-SP) foi acusado pelo jornalista Amaury Ribeiro Jr. de furtar o dossiê com dados fiscais violados de tucanos e familiares do presidenciável José Serra. Amaury foi quem encomendou e pagou diretamente pela violação de sigilo.Segundo Amaury, em depoimento à Polícia Federal, Rui Falcão "copiou" o conteúdo de sua investigação contra os tucanos, então armazenado num computador pessoal que estava num flat pago pelo próprio PT para Amaury ficar em Brasília. "Pois somente ele (Rui Falcão) tinha a chave do citado apartamento", disse o jornalista. As quebras de sigilo realizadas na Receita Federal ocorreram em outubro do ano passado. Nesse período, Amaury preparava sua saída do jornal Estado de Minas, alegando problemas pessoais.
Em abril deste ano, o jornalista foi convidado pelo empresário Luiz Lanzetta para trabalhar na pré-campanha de Dilma. Lanzetta cuidava, então, de montar um "núcleo de inteligência" dentro da campanha petista. Na passagem pela capital, Amaury hospedou-se em um flat no apart-hotel Meliá.

Bunker. Na descrição que deu à polícia, o imóvel pertence a um homem identificado apenas como "Jorge", que segundo Amaury lhe foi apresentado como "responsável pela administração dos gastos da casa do Lago Sul", bunker da campanha de Dilma.

Já em negociação com o grupo petista, Amaury levou para o apartamento um laptop com suas "apurações" - na verdade os documentos fiscais sigilosos da filha e do genro de Serra e de líderes do PSDB.

Na pré-campanha de Dilma, Rui Falcão era um dos mais atuantes articuladores, e àquela altura disputava com o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel o comando da comunicação do partido.

Formaro: PDF
Tamanho: 40 Mb

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

França - A onda de protestos

SuperBike - Dezembro 2010

Jornal O Estado de SP em PDF, Quinta, 21 de Outubro de 2010

Ibope mostra Dilma 11 pontos à frente de Serra:
Ibope mostra Dilma com 51% das intenções de votos, contra 40% de Serra - Em uma semana, a candidata petista oscilou dois pontos porcentuais para cima, enquanto o candidato tucano caiu três pontos, aumentando vantagem de seis para 11 pontos neste segundo turno; sondagem foi feita após o segundo debate entre os presidenciáveis - Em uma semana, a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, ampliou de seis para onze pontos porcentuais sua vantagem em relação ao tucano José Serra, segundo pesquisa Ibope/Estado/TV Globo. A petista tem 51% das intenções de voto, contra 40% do adversário. Em relação à sondagem anterior, divulgada no último dia 13, Dilma
oscilou dois pontos para cima, enquanto Serra caiu três. A pesquisa atual, com entrevistas entre os dias 18 e 20, capta apenas parcialmente os efeitos das entrevistas dos dois presidenciáveis no Jornal Nacional, da TV Globo, mas foi feita integralmente após o debate do último domingo, exibido pela Rede TV.

Levando-se em conta apenas os votos válidos (excluídos nulos, brancos e eleitores indecisos), a candidata do PT lidera com 12 pontos de vantagem (56% a 44%), seis a mais do que na semana passada (53% a 47%). No primeiro turno, ela teve 46,9% dos votos válidos, contra 32,6% do adversário.

Mulheres. O avanço de Dilma pode ser explicado pelo comportamento do eleitorado feminino. Nesse segmento, ela abriu sete pontos de vantagem (48% a 41% dos votos totais), saindo da situação de empate (em 46%) registrada na pesquisa anterior. Entre os homens, a vantagem da petista passou de 12 para 14 pontos (53% a 39%).

Na disputa pelo voto dos religiosos, a candidata governista vem levando a melhor na segunda rodada da eleição, depois de ter perdido simpatizantes na reta final do primeiro turno (leia texto nesta página).

Houve acirramento na diferenciação dos votos entre os mais pobres e mais ricos. Dilma subiu entre os que têm renda familiar de até cinco salários mínimos, e Serra avançou entre os que ganham acima dessa faixa.

Os que estão na base da pirâmide de renda, com ganhos inferiores a um salário mínimo, agora preferem a petista na proporção de dois para um (61% a 31%, contra 57% a 36% na pesquisa anterior).

No topo, entre os que ganham mais de dez salários, o tucano mais que dobrou sua vantagem, de 15 (54% para 39%) para 31 pontos (63% a 32%).

Regiões. A divisão geográfica do eleitorado mostra que Dilma melhorou sua situação em todas as regiões, com exceção do Norte/Centro-Oeste, onde caiu de 51% para 46% e empatou com Serra (47%).

No Nordeste, a petista ampliou sua liderança de 21 para 33 pontos (64% a 31%).

No Sudeste, onde havia um empate técnico, Dilma assumiu a ponta, com 45% a 41%. E no Sul, onde Serra vencia por 13 pontos (54% a 41%), ele agora tem 46%, contra 47% da adversária.

A segmentação dos eleitores por escolaridade mostra que Serra só lidera entre os que tem curso superior (47% a 43%).

Na pesquisa espontânea, na qual os entrevistados manifestam sua opção antes de ler a lista de candidatos, Dilma lidera por 47% a 38%. Nessa modalidade, há 8% de indecisos.

Para 80% dos eleitores, o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é ótimo ou bom. Outros 3% veem a gestão como ruim ou péssima.

Formato: PDF
Tamanho: 51 Mb

Fast Bikes - Dezembro 2010

Classic Bike Guide - Outubro 2010

Cycle World - Dezembro 2010

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Jornal O Estado de SP em PDF, Quarta, 20 de Outubro de 2010

Governo ganha tempo e dólar tem alta de 1,3%:
No primeiro dia em vigor do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 6%, o dólar mudou de direção e subiu 1,32%, para R$ 1,686. É a maior alta diária desde 29 de junho, quando a moeda americana avançou 1,51%. A movimentação dos mercados externos, motivada pela inesperada alta de juros na China, também ajudou a puxar o câmbio. A percepção dos economistas, no entanto, é que o Brasil está apenas "ganhando tempo" para que os países cheguem a uma trégua na "guerra cambial". A tendência é que as medidas adotadas ontem percam vigor e o governo seja obrigado a lançar mão de novos mecanismos para segurar a alta do real. Nos bastidores, técnicos afirmam que o governo vai observar o impacto das medidas, mas, caso julgue necessário, voltará à carga. O cardápio é amplo: elevar o IOF para o investimento estrangeiro em ações, limitar a exposição de bancos e empresas ao câmbio, reduzir a capacidade de gerar negócios com uma mesma operação ou até adotar medidas mais radicais, como fixar uma quarentena para a permanência dos dólares no País.

Na segunda-feira à noite, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou a elevação de 4% para 6% do IOF para investimentos estrangeiros em renda fixa. E, pela primeira vez, atuou no mercado futuro, com alta de 0,38% para 6% do IOF pago nas garantias exigidas para as operações de derivativos.

"Foi uma tentativa de comprar tempo. O Brasil e outros emergentes estão em um fogo cruzado", avaliou Mônica Baumgarten de Bolle, da Galanto Consultoria. O fogo cruzado a que a economista se refere é o excesso de liquidez nos Estados Unidos e o câmbio fixo na China.

Os países emergentes, incluindo o Brasil, estão preocupados com a nova medida econômica prometida pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que pode inundar o mercado de dólares e desvalorizar mais a moeda americana.

Para o economista-chefe do Banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves, as medidas brasileira e chinesa são um recado para os ministros que se reúnem neste fim de semana no primeiro encontro preparatório da cúpula do G-20, que ocorre em novembro na Coreia do Sul. "Todos querem chegar com algo feito. Essas reuniões hoje são o calendário mais importante."

Surpresa. Ontem, era impossível distinguir os efeitos do IOF e da movimentação dos mercados internacionais no câmbio. O aumento de juros na China pegou os investidores de surpresa: o dólar se valorizou em relação a outras moedas (o euro cedeu 1,36%) e os preços das commodities caíram (o petróleo recuou 4,34%), com a expectativa de menor crescimento mundial.

Por isso, os operadores ainda avaliavam qual será o alcance da alta do IOF. Alguns consideraram as medidas "agressivas", principalmente antes do segundo turno das eleições, e o dólar atingiu a máxima de R$ 1,70 no pregão. O gerente de pesquisa da Planner Corretora, Ricardo Martins, acredita que "R$ 1,70 se tornou um piso para o governo".

Mas os investidores também já identificavam maneiras de burlar a taxa. Para o diretor da NGO Corretora de Câmbio, Sidnei Nehme, o governo deixou a "janela aberta". O subsecretário de Tributação e Contencioso da Receita Federal, Sandro Serpa, evitou fazer comentários sobre isso. Ele destacou que a medida não afeta as operações das empresas para se proteger contra variações abruptas do dólar.

Também não havia consenso sobre o IOF entre os principais bancos. Um estudo do Santander apontou que o aumento do imposto tem pouco impacto sobre a tendência do câmbio. "O governo usou uma superdosagem de remédio, mas há outros fatores que atraem dólares para o País", disse o economista Maurício Molan. Em relatório, o Itaú avaliou que os mercados têm "subestimado" o impacto do IOF. "O governo está determinado a continuar nesse caminho. Mais medidas podem vir", frisou. / COLABOROU ADRIANA FERNANDES

Formato: PDF
Tamanho: 32.8 Mb

Imagens da Semana - 15/10

Cd_Ray_Charles_–_Rare_Genius_The_Undiscovered_Masters (2010)

Concord Records está celebrando o 80º aniversário do lendário Ray Charles com um presente especial para sua legião de fãs: "Rare Genius The Undiscovered Masters". É um tesouro de gravações recém-descobertas, com destaque para um dueto com o companheiro Johnny Cash, estará disponível nas lojas em 26 de outubro de 2010.

Lista de Músicas

01 Love’s Gonna Bite You Back 3:54
02 It Hurts To Be In Love 4:53
03 Wheel Of Fortune 4:00
04 I’m Gonna Keep On Singin’ 5:30
05 There’ll Be Some Changes Made 4:04
06 Isn’t It Wonderful 4:13
07 I Don’t Want No One But You 4:20
08 A Little Bitty Tear 3:35
09 She’s Gone 3:11
10 Why Me Lord? (feat. Johnny Cash) 3:57

Info Exame - Edição 296 (10/2010)

Revista: Photo Techniques (09 & 10/2010)