sábado, 27 de novembro de 2010

Priscila Fantin – Revista VIP – Dezembro 2010


Trem da neeve

Jornal O Dia em PDF, Sabado, 27 de Novembro de 2010

Traficantes ameaçam atacar postos de saúde e trens do Complexo do Alemão: Rio - Moradores do Complexo do Alemão, na Zona Norte da cidade, relatam que centenas de traficantes, muitos com rosto pintado e roupas pretas ou camufladas, se escondem na favela da Grota, e ameaçam atacar postos de saúde, repartições públicas e trens que circulam pela região. De acordo com reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo neste sábado, os criminosos circulam de moto pelas vielas e mandam o recado aos gritos. Os moradores contam ainda que os bandidos afirmam que também irão atacar o teleférico que estpá sendo construído no complexo de favelas, obra que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A favela da Grota é uma das 12 comunidades pertencentes ao Complexo do Alemão.
Através das redes sociais, os moradores da comunidade relatam a existência de dez corpos na serra da Misericórdia, maciço no qual crescem as favelas do Complexo do Alemão e da Penha.

Vítimas

Desde que a onda de ataques começou no Rio, no domingo, o número total de mortos nos conflitos chega a 47 - 35 casos relatados pela Polícia Militar e sete baleados nos confrontos com a Polícia Civil. De acordo com o balanço dos hospitais públicos do Rio, quatro vítimas seriam moradores.
Entre os feridos, está uma menina dois anos que levou um tiro de fuzil de raspão no braço em casa, na favela Nova Brasília, no complexo do Alemão. A menina já teve alta hospitalar.

Uma aposentada de 62 anos também foi baleada na panturrilha na favela Vila Cruzeiro. Na rua Paranhos, uma das ruas de acesso ao complexo do Alemão, um vigilante também ficou gravemente ferido. Outra vítima dos confrontos entre policiais e traficantes foi um fotógrafo da agência de notícias Reuters, que cobria a ocupação dos militares na região. Paulo Whitaker, de 50 anos, ainda continua internado.

Ataques começaram no domingo ao meio-dia

A onda de ataques violentos no Rio e Grande Rio começou no domingo 21 de novembro, por volta do meio-dia, na Linha Vermelha, quando seis bandidos armados com cinco fuzis e uma granada fecharam a pista sentido Centro, altura de Vigário Geral. Os criminosos, em dois carros, levaram pertences de passageiros e queimaram dois veículos, após expulsarem os ocupantes. Para o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, as ações criminosas são uma reação contra a política de ocupação de territórios do tráfico, por meio das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) e a transferências de bandidos para presídios federais em outros estados.

Na manhã da segunda-feira, cinco bandidos armados atacaram motoristas no Trevo das Margaridas, próximo à Avenida Brasil, em Irajá, também na Zona Norte. Os criminosos roubaram e incendiaram três veículos. No mesmo dia, criminosos armados com fuzis atiraram em uma cabine da PM na rua Monsenhor Félix, em frente ao Cemitério de Irajá. A PM acredita que o incidente tenha sido provocado pelos mesmos bandidos que haviam incendiado os três carros na mesma manhã. À noite, traficantes incendiaram dois carros na Rodovia Presidente Dutra, na altura da Pavuna. Foi o quinto ataque a motoristas em menos de 48 horas. Na Zona Norte, outra cabine da Polícia Militar foi metralhada.

Formato: PDF
Tamanho: 32 MB

Carro Camelo

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Jornal O Dia em PDF, Sexta, 26 de Novembro de 2010

Ministério da Defesa enviará 800 homens do Exército ao Rio: Rio - Para combater a onda de violência, o Rio vai ganhar a ajuda de 800 homens do Exército e 300 agentes da Polícia Federal (PF). Os reforços foram anunciados ontem à noite pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, pelo secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, e pelo superintendente da Polícia Federal, delegado Ângelo Gioia. A Operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi solicitada pelo governador do Rio de Janeiro e autorizada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Também serão enviados dois helicópteros da Força Aérea e dez blindados de transporte, com origem a ser definida em coordenação entre as próprias Forças, inclusive a Marinha, que já se encontra com viaturas em operação.

“O nosso efetivo pode fazer parceria com a PM”, exemplificou Gioia. A prefeitura também vai entrar na defesa da cidade, colocando nas ruas 530 guardas municipais e agentes da CET-Rio auxiliando a PM com carros, motos e reboques até a situação se normalizar. Beltrame não descarta a utilização de fuzileiros navais na guerra contra o tráfico. A Marinha tem ajudado ainda com mapeamento das regiões dominadas pelos traficantes.
Hoje, helicóptero blindado será empregado na ação da Favela Vila Cruzeiro, na Penha, pela polícia. Ontem a aeronave não pôde ser utilizada para fechar o cerco aos traficantes, que fugiam, porque passava por reparos. De acordo com Beltrame, no próximo dia 13, a secretaria receberá mais um helicóptero blindado, porém o equipamento só poderá voar em operações em fevereiro, após treinamento dos agentes.

Ontem, na Vila Cruzeiro, PMs apreenderam três granadas de bocal e uma bomba caseira feita com cilindro de extintor. O artefato foi implodido por agentes do Esquadrão Antibombas. Na avaliação do secretário, mais importante do que prender traficantes é retomar a área que estava antes sob o domínio das quadrilhas. “Tiramos deles o que nunca foi tirado: o seu território”, afirmou. Além da ocupação na Vila Cruzeiro, que não tem prazo para acabar, Beltrame se referia às 12 Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) já implantadas em favelas cariocas. “Já temos 200 mil pessoas diretamente e 500 mil indiretamente livres dos fuzis”, defendeu.

Formato: MP3
Tamanho: 45 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Sexta, 26 de Novembro de 2010

Depois da Marinha, Exército e Aeronáutica entram na guerra do Rio: Depois de cinco dias de confrontos no Rio, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou 800 homens do Exército para a cidade, além de mobilizar Aeronáutica e Polícia Federal. Ontem, em operação policial sem precedentes, já com apoio de blindados da Marinha, a polícia ocupou a Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha (zona norte do Rio), após 40 horas de intenso tiroteio. "Não é humanamente possível que 99% das pessoas sejam molestadas por gente que está na marginalidade. Portanto, o Rio pode ficar 100% tranquilo que o governo dará ajuda", disse Lula em Georgetown, capital da Guiana. Segundo ele, um pedido formal de auxílio para uma Operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi feito anteontem pelo governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB).

O Exército vai garantir a proteção dos perímetros das áreas ocupadas por policiais. Já a Aeronáutica vai enviar dois helicópteros. Ainda serão mandados mais dez blindados das Forças Armadas, além de equipamentos de comunicação e óculos de visão noturna. Pela primeira vez na história, homens da Polícia Federal, pelo menos 300, atuarão no Estado já a partir de hoje.

Pelo menos 35 pessoas já morreram no Rio desde domingo. O número não inclui os mortos de ontem na Vila Cruzeiro, quartel-general do Comando Vermelho - o total não foi revelado pelo governo. Ontem, os ataques continuaram e se espalharam pela cidade, atingindo até o Túnel Rebouças, que liga as zonas norte e sul. Nos cinco dias, pelo menos 61 veículos já foram incendiados.
A ocupação na Vila Cruzeiro mobilizou 510 homens entre policiais militares e civis. Setenta fuzileiros navais ajudaram a operar as viaturas blindadas da Marinha, equipadas com metralhadoras .50. Foram elas que permitiram à polícia do Rio entrar na comunidade e ultrapassar barricadas montadas por traficantes. O espaço aéreo chegou a ser fechado pela manhã, para facilitar a invasão. Vários criminosos fugiram para a favela vizinha.

"O que acontece é que há uma rota de fuga difícil de alcançar", explicou o subchefe operacional da Polícia Civil, Rodrigo Oliveira, referindo-se às imagens do helicóptero da TV Globo que mostraram ao vivo a fuga em massa da Vila Cruzeiro para o Complexo do Alemão pela Serra da Misericórdia. As imagens repercutiram na internet e motivaram críticas no Twitter - usado pelo governo para rebater boatos.

Pela manhã, a chegada de seis blindados da Marinha interrompeu o tráfego de veículos na Avenida Brás de Pina, uma das principais da Penha. Segundo a Marinha, foram empregados na operação 6 veículos blindados M-113, 4 carros-lagarta anfíbios e 3 viaturas Piranha, para transporte de tropas.

Barulhos de explosões e bombas foram seguidos por colunas de fumaça que emergiam das favelas. As ruas da Vila Cruzeiro ficaram totalmente vazias. "Virou uma guerra civil", resumiu a recepcionista Monique Gama, de 30 anos.

Queixas. O apoio do Exército veio após queixas durante o dia do secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame. Ele agradeceu à Marinha por ceder os equipamentos, mas fez uma crítica velada ao Exército. "Não ofereceram nada." Horas depois, os Ministérios da Defesa e da Justiça anunciaram o reforço de Exército e Polícia Federal.

Formato: MP3
Tamanho: 43 MB

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Tensão na Coréias

Jornal O Estado de SP em PDF, Quinta, 25 de Novembro de 2010

Motorista é baleado em ataque a ônibus:
Ataque a ônibus termina com motorista baleado na zona norte do Rio
Dois homens pararam o coletivo e ordenaram que todos os passageiros descessem para incendiar o veículo; mais carros foram incendiados durante a madrugada - O motorista de um ônibus foi baleado, por volta das 23h45 de quarta-feira, 25, na avenida Brasil, no bairro de Cidade Alta, região da Penha, zona norte do Rio, durante mais uma ação dentro desta onda de violência que se espalhou pela capital, Região Metropolitana e Baixada Fluminense desde o último domingo, 21. Segundo a Polícia Militar, dois homens pararam o coletivo, ordenaram que todos os passageiros descessem e incendiaram o veículo. Durante a ação, o condutor do ônibus foi baleado na cabeça. Não se sabe ainda se o tiro foi disparado por um dos dois incendiários ou se por uma terceira pessoa; nem foi esclarecido ainda se houve alguma reação por parte da vítima.

O motorista, ainda não identificado, foi encaminhado em estado grave ao hospital estadual Getúlio Vargas, onde passava por cirurgia. Até a 1h15 desta madrugada de quinta-feira, 25, nenhum suspeito havia sido detido pela polícia. O caso deve ser registrado na 22ª delegacia. Na madrugada, entre a 0h e 1h45 desta quinta-feira, 25, foram incendiados mais dois carros. O primeiro foi encontrado em chamas na rua Jornalista Orlando Dantas, no bairro de Laranjeiras, zona sul. O segundo, na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, zona oeste. Em ambos os casos, os criminosos não foram identificados por testemunhas nem detidos pela polícia. Não houve feridos.

Em patrulhamento pela rua da Laranjeiras, em Laranjeiras, policiais militares detiveram um homem que carregava um coquetel molotov dentro de uma mochila. Não se sabe ainda se ele possui participação no caso ocorrido na rua Jornalista Orlando Dantas.
Formato: PDF
Tamanho: 46.5 MB

Tap! The iPhone and iPad Magazine - December 2010 UK for iPad/PC

Jornal O Dia em PDF, Quinta, 25 de Novembro de 2010

Guerra no Complexo da Penha: Rio - No Complexo da Penha, o medo da população — que viveu sob interminável chuva de tiros — foi traduzido nas ruas desertas. A Avenida Vicente de Carvalho ficou praticamente interditada até o fim da tarde. Poucos carros nas ruas, lojas fechando mais cedo e empresas liberando seus funcionários. Dentro do morro, o clima era ainda mais tenso e assustador.A corrida de 150 metros dos PMs ladeira acima na Rua Maturacá foi debaixo de bala. São sete blindados à disposição da Polícia Militar, que utiliza 150 homens na primeira investida ao chamado Quartel General do Comando Vermelho. É para lá que seguem as ordens dos presídios ordenando a sequência de ataques pela cidade. O primeiro alvo, o Morro da Fé, foi dominado no início da tarde.

A situação ficou crítica na mata, onde um PM foi atingido no braço. O confronto se intensificou, deixando a favela deserta. Só um bêbado se arriscava a perambular. Do outro lado, no vizinho Morro da Chatuba, o quadro do caos aumentava.

Quem chega para dar apoio ao 16º BPM (Olaria) é o Batalhão de Operações Especiais (Bope). A recepção da população é a melhor possível, com aplauso aos caveiras. A dos bandidos é a pior. Uma barricada de ferro fura o pneu do Caveirão, que é atacado a tiros e com coquetéis molotov. O motor é atingido e um princípio de incêndio precisa ser controlado. Era o terceiro carro blindado danificado só ontem. Um teve o pneu destruído e outro caiu num gigantesco buraco feito de armadilha pelos criminosos, no final da rua do Hospital Getúlio Vargas, em um acesso ao Morro da Caixa D’Água.
Pelo radiotransmissor, os traficantes provocavam os policiais. Um deles manda buscar mais munição para continuar atacando a polícia. Outros tomam de assalto as dependências da Igreja Nossa Senhora da Penha. De lá do alto, monitoram os passos dos PMs e orientam a movimentação dos comparsas, sempre sob fogo intenso.

É preciso estar atento a qualquer movimento estranho. Quando o gato cruza o caminho correndo, dois policiais dão o tom exato do clima do local: “Até o gato que tem sete vidas tá correndo”, diz um deles. “Ele não é bobo. Nesse lugar aqui ele já deve ter perdido as outras seis”, responde outro.

Duas toneladas de maconha

Duas toneladas e meia de maconha em tabletes foram apreendidas ontem por policiais militares na Favela da Chatuba. O material foi encontrado numa casa no alto da comunidade, onde o traficante François Soares Suassuna foi morto em 2008. Ele era braço direito do então chefe do tráfico, Tota, também executado.Durante a operação dos homens da tropa de elite, sete fuzis de precisão da marca Garan foram apreendidos, além de duas pistolas, duas balanças de precisão e farto material para endolar drogas. Ao todo, 280 policiais, sendo 120 do Batalhão de Operações Especiais (Bope), participam da ação que vai se estender por tempo indeterminado, segundo a PM.

Formato: PDF
Tamanho: 31 MB

Revista Veja | 24 de Novembro de 2010 | Edição 2192

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Jornal O Estado de SP em PDF, Quarta, 24 de Novembro de 2010

Tombini vai para o BC e Miriam Belchior para o Planejamento: Sem ter falado com o atual presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, a presidente eleita, Dilma Rousseff, escolheu nesta terça-feira, 23, para o comando do Banco Central (BC) o economista Alexandre Tombini, atual diretor de Normas da instituição. Também foi definido que Miriam Belchior, assessora especial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e coordenadora do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), assumirá o Ministério do Planejamento.
Depois das duas definições desta terça, Dilma decidiu anunciar na quarta-feira os três primeiros nomes da equipe econômica: além de Tombini e Miriam Belchior, que substituirá Paulo Bernardo, fará a confirmação oficial da escolha de Guido Mantega para a pasta da Fazenda. A presidente quis fazer o anúncio antes de participar ao lado de Lula, amanhã, em Georgetown (Guiana), da cúpula da Unasul (União de Nações Sul-americanas).

Antes de se tornar funcionário de carreira do Banco Central, Tombini foi coordenador de análise internacional do Ministério da Fazenda e assessor especial da Casa Civil no governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).

Ele já havia sido cotado para a presidência do BC em março deste ano, quando Meirelles cogitou sair do banco para disputar as eleições de outubro passado.

Tombini serviu no governo FHC e Meirelles chegou ao BC no primeiro mandato do governo Lula, em 2003, depois de ser eleito o deputado federal mais votado pelo PSDB de Goiás.

O Estado antecipou em sua edição do dia 6 de novembro que Meirelles não ficaria no BC. No dia 12, Mantega também foi apresentado como o novo ministro da Fazenda.

Fator Mantega

A escolha de Tombini foi dada como certa no início da tarde de terça, depois de uma longa reunião da presidente Dilma com o ministro Mantega na Granja do Torto. Além da presença de Mantega reforçar a condição do ministro como chefe da equipe econômica da presidente eleita, Dilma fez a escolha do novo presidente do Banco Central sem ter feito a prometida reunião com Meirelles.

Dilma havia dito que anunciaria o ministério em blocos e que a equipe econômica seria a primeira a ser escolhida. Ao escolher Mantega, sem definir o futuro de Meirelles, o presidente do BC fez questão de, em conversas reservadas, avaliar que não aceitaria permanecer no cargo se a instituição perdesse a autonomia funcional que ele teve ao longo dos dois mandatos do presidente Lula (2003-2010).

Apesar de ter ficado irritada com as avaliações de Meirelles, Dilma mandou seus assessores da equipe de transição dizer que queria uma conversa, para esta semana, com o presidente do BC. Ficou claro, porém, que Meirelles não ficaria no comando do banco. Alguns assessores admitiam, porém, que ele poderia ser escolhido para um ministério que lhe desse projeção política e eleitoral. Nos bastidores, o próprio Meirelles disse a interlocutores na terça que aguardaria sua conversa com Dilma para avaliar a permanência no futuro governo em uma outra pasta.

Amigos próximos ouviram do presidente do Banco Central que ele deixa o cargo com o sentimento de ter feito um trabalho sólido durante os oito anos do governo Lula, comparando-se a "um bom jogador que deixa o campo em forma".

Cautela

A presidente eleita chegou a ser aconselhada a não criar nenhum padrão de confronto com Meirelles, evitando assim que houvesse uma rejeição política ao convite. Caso ela aprofundasse a polêmica em torno da autonomia do BC, isso poderia reforçar a ideia de que o substituto de Meirelles aceitaria o cargo e também uma tutela maior de Dilma e Mantega sobre a instituição.

Formato: PDF
Tamanho: 31 MB

Cycle World - Janeiro 2011


terça-feira, 23 de novembro de 2010

Jornal O Estado de SP em PDF, Terça, 23 de Novembro de 2010

Dilma sonda quatro nomes para ocupar o lugar de Meirelles: Equipe de Dilma já tem quatro nomes para substituição de Meirelles no BC Transição. O mais cotado para ocupar a presidência é o diretor de Normas do banco, Alexandre Tombini, mas os presidentes do Bradesco, Luiz Carlos Trabucco, da Febraban, Fábio Barbosa (Santander), e o economista Octávio de Barros também são citados - A pedido de Dilma Rousseff, quatro nomes já foram sondados para substituir o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Na prática, a presidente eleita só aguarda a conversa com Meirelles, que deve ocorrer amanhã, em Brasília, para decidir quem comandará a política monetária a partir de 2011."Alguns me perguntam o que espero para o futuro, o que espero para a vida pública. Eu espero terminar, de fato, esse mandato juntamente com o presidente Lula", disse Meirelles, na noite de ontem, ao participar de cerimônia na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Questionado se o discurso tinha tom de despedida, ele abriu um sorriso. "Foi de celebração", respondeu.

Até agora, o mais cotado para a cadeira de Meirelles é uma solução doméstica: Alexandre Tombini, diretor de Normas do Banco Central. Mas também foram sondados o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabucco; o presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Fábio Barbosa (Santander), e o economista-chefe do Bradesco, Octávio de Barros.

Tombini tem bom relacionamento com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que permanecerá no cargo. O plano de Mantega, com o aval de Dilma, é reduzir a dívida interna líquida para 30% do Produto Interno Bruto (PIB) até 2014. A intenção é que os juros reais cheguem a 2% ao ano no fim do mandato.

As especulações sobre a saída de Meirelles provocaram oscilações no mercado ontem. A presidente eleita quer fechar a escalação da equipe econômica até o fim da semana. Ela ficou muito contrariada com Meirelles ao saber que ele impôs condições para ficar no cargo - como a manutenção da autonomia na definição dos juros -, quando estava em Frankfurt, na Alemanha.

Telefonema. O ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci chegou a telefonar para Meirelles para saber se as declarações eram verdadeiras. Ele negou.

Em conversas reservadas, Dilma disse que a autonomia do Banco Central será mantida, em qualquer situação. O mal-estar provocado com a repercussão dos comentários de Meirelles fez com que seus amigos desmentissem que ele tenha rejeitado a hipótese de ocupar um mandato-tampão nos seis primeiros meses do próximo governo.

As divergências entre Mantega e o presidente do BC foram citadas como pano de fundo para o embaraço. Discípulos de Meirelles dizem que a Fazenda promove a "queimação" do chefe da política monetária.

O presidente Lula gostaria que Meirelles permanecesse no primeiro escalão, em outro ministério, pelos serviços prestados ao governo. Uma das áreas cobiçadas por ele é a de Transportes, hoje capitaneada pelo PR. Filiado ao PMDB, o presidente do BC era o nome preferido de Lula para vice de Dilma, por sua credibilidade no mercado financeiro, mas o deputado Michel Temer (SP) foi o indicado.

Planejamento. Dilma quer agora transferir o acompanhamento de planos importantes do governo Lula, como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e o Minha Casa, Minha Vida, para o Planejamento. Xodós da administração petista, os projetos foram preparados quando ela era chefe da Casa Civil e até hoje continuam sob o guarda-chuva dessa pasta.

Os novos formatos da Casa Civil, que ficará mais enxuta, e do Planejamento, com mais musculatura, foram discutidos em reuniões realizadas ontem, na Granja do Torto.

Formato: PDF
Tamanho: 29 MB

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Computer Active - No.332

Pedestre atropelado na faixa

Amateur Photographer - 22 Novembro 2010

Download+Black+Eyed+Peas+The+Beginning:+Deluxe+Edition+(2010)

O sexto álbum do Black Eyed Peas, The Beginning é o seguimento para o álbum de grande sucesso do grupo The END Lançado em junho de 2009, o E.N.D. já vendeu mais de 11 milhões de cópias no mundo e está a 52 semanas no Top 200 Billboard. É também o primeiro álbum em duas décadas a colocar cinco músicas no Top 10 Hot 100 da Billboard, incluindo os sucessos número 1 "Boom Boom Pow", "I Gotta Feeling" (que é o best-seller música digital na história da SoundScan), e "Imma Be", bem como o Top 10 "Meet Me Halfway" e "Rock That Body". Além disso, o E.N.D. foi indicado para seis prêmios Grammy e 2010 ganhou o prêmio de Melhor Álbum Pop Vocal, "Boom Boom Pow" ganhou como Melhor Videoclip e "I Gotta Feeling" ganhou o prêmio de Melhor Performance Pop por um Duo ou Grupo. Enquanto o título de O E.N.D. Foi um jogo de palavras (abreviação de "The Energy Never Dies"), o título do novo álbum, "The Beginning", refere-se ao que está realmente acontecendo no mundo agora ", diz will.i.am. "O começo é um símbolo da adoção de novas tecnologias, tais como realidade aumentada, 3D, e 360 de vídeo. Imperdível!

Lista de Músicas

01 The Time (Dirty Bit) 5:07
02 Light Up The Night 4:21
03 Love You Long Time 3:45
04 XOXOXO 3:45
05 Someday 4:33
06 Whenever 3:15
07 Fashion Beats 5:20
08 Don't Stop The Party 6:07
09 Do It Like This 5:28
10 The Situation 3:46
11 The Coming 4:19
12 Own It 3:13
13 The Best One Yet (The Boy) 4:25
14 Just Can't Get Enough 3:39
15 Play It Loud 4:20

Jornal O Estado de SP em PDF, Segunda, 22 de Novembro 2010

Fluminense vence o São Paulo e é líder do Brasileirão:
SÃO PAULO - O Fluminense é o novo líder do Campeonato Brasileiro. O time venceu o São Paulo por 4 a 1, neste domingo, na Arena Barueri, pela antepenúltima rodada do torneio. Xandão e Richarlyson foram expulsos no segundo tempo, quando o jogo ainda estava empatado, e facilitaram a vida da equipe carioca, que garantiu uma vaga na Copa Libertadores do ano que vem.om o resultado, o Fluminense chegou a 65 pontos, superando o Corinthians, que só empatou com o Vitória por 1 a 1 e foi apenas a 64 pontos, e manteve a vantagem de oito pontos para o quarto colocado Grêmio. Já o São Paulo, estacionou em 51 pontos e deu adeus às chances de chegar ao G-4. Na próxima rodada, a penúltima do campeonato, com todos as partidas no domingo, às 17 horas, o São Paulo visita o Atlético-GO, no Serra Dourada, em Goiânia. O time se despede do Brasileirão em casa, contra o Atlético-MG. O Fluminense segue em seu "mini Paulistão" e pega o Palmeiras, na Fonte Luminosa, em Araraquara. No último jogo, o time encara o Guarani, no Rio.

Ligado. Mais motivado, o Fluminense começou pressionando bastante e chegou até a marcar antes dos 10 minutos, após chute de Mariano, que Rogério espalmou para o impedido Washington completar. No entanto, o árbitro Heber Roberto Lopes anulou acertadamente.

Já praticamente sem aspirações no campeonato, o São Paulo limitou-se a apenas se defender na primeira parte do jogo. O primeiro chute ao gol aconteceu apenas aos 18, na batida fraca de Lucas, que parou nas mãos de Ricardo Berna.

Após a pressão inicial, o Fluminense diminuiu um pouco o ritmo, mas mesmo assim o time abriu o placar aos 34. Conca bateu escanteio da direita e Gum cabeceou firme no meio da área. Rogério ainda tentou, mas não evitou o gol.

Querendo espantar de vez a conversa sobre um possível corpo mole no São Paulo, Jean, Marlos, Lucas e Lucas Gaúcho mostraram serviço e foram a alma do time. Lucas Gaúcho, aliás, só não marcou por que Fernando Berna fez grande defesa, após cabeçada do atacante, aos 37.

Nova comemoração. Antes do final do primeiro tempo, os torcedores de Fluminense e São Paulo comemoraram juntos, após o anúncio do gol de empate do Vitória, diante do Corinthians, no Barradão.

Se Ricardo Berna salvou o Fluminense nas poucas investidas do São Paulo no primeiro tempo, não conseguiu fazer o mesmo no segundo. Aos 10, Jean recebeu na área, cruzou rasteiro e Gum mandou contra o próprio gol para empatar. Lucas Gaúcho, que estava na jogada, saiu comemorando, reivindicando o gol de letra.

Com um a menos. Instantes antes do empate do São Paulo, Washington perdeu um gol incrível, após receber passe de Deco livre na área. O atacante teve tempo de matar a bola, ajeitar o corpo e, cara a cara com Rogério Ceni, mandar por cima.

Mas quem ficou com jogadores a menos de verdade foi o São Paulo. Ao deter com falta por trás um contra-ataque de Fred, Xandão acabou expulso direto, aos 17. Pouco depois, aos 25, Richarlyson fez falta em Rodriguinho, reclamou e recebeu o vermelho direto. Saiu de campo reclamando da arbitragem.

Com dois a mais, o Fluminense dominou completamente o já abalado São Paulo e, aos 29, finalmente chegou ao segundo gol. Após jogada de Carlinhos na entrada da área, Conca recebeu na área, ajeitou e bateu no canto de Rogério Ceni.

O terceiro gol nem demorou a sair. Aos 32, Conca chutou fraco de fora da área, Rogério Ceni rebateu e a bola sobrou para Fred completar para as redes.

Mesmo com a vitória garantida, o Fluminense ainda teve tempo para fazer um quarto gol e consolidar com chave de ouro a retomada da liderança. Aos 42, Conca recebeu na entrada da área, ajeitou e mandou uma bomba, sem chance para Rogério Ceni.

Formato: PDF
Tamanho: 26 MB

domingo, 21 de novembro de 2010

Jornal O Estado de SP em PDF, Domingo, 21 de Novembro de 2010

Anac teme crise no fim de ano e convoca reunião com aéreas:Anac teme crise aérea no fim de ano e convoca reunião urgente com empresas. Aumento no número de passageiros estreantes, venda de passagens além da capacidade e falta de infraestrutura dos terminais preocupam agência - RIO - A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) convocou para segunda-feira uma reunião, em regime de urgência, com os presidentes das principais companhias aéreas, além de representantes da Infraero, Polícia Federal, Receita Federal e Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea). A agência está preocupada com o risco de problemas nos aeroportos em dezembro, durante as festas de fim de ano. Os executivos que comandam Gol, TAM, Webjet e Avianca confirmaram presença, e a Azul deve enviar seu diretor de operações.
O receio desta vez não é a repetição do caos no controle de voo, como ocorreu em 2006, no rastro do desastre do Boeing da Gol.
O risco vem da combinação de três fatores: a afluência em massa de passageiros estreantes, vindos da nova classe média; a venda de passagens além da capacidade das companhias, e o despreparo dos aeroportos em receber usuários que desconhecem os procedimentos de embarque.

Segundo o Estado apurou, a prática de venda de passagens para voos extras ainda não autorizados está preocupando a diretoria da Anac. Apenas uma grande companhia teria vendido cerca de 10 mil passagens acima da capacidade dos voos programados para o período.

Num evento da Câmara de Comércio França-Brasil realizado na noite de sexta-feira no Rio, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, confirmou que a venda excessiva de passagens está entre os assuntos a serem tratados no encontro marcado para amanhã.

"(Vamos) estabelecer uma programação, como a gente fez no ano passado, para ter tranquilidade em relação a horários, atrasos, evitar venda de passagens excessivas, como eles faziam, evitar overbooking, todas essas coisas. Ou seja, vamos estabelecer regras neste sentido", disse o ministro.

"Historicamente, no fim de ano, as empresas vendem entre 10% e 15% de bilhetes acima da quantidade de assentos dos aviões. Também não é raro o pedido de voos extras e a venda de passagens para esses voos antes da autorização formal", disse uma fonte do setor.

Primeira vez

"Calculamos que pelo menos 1,5 milhão de pessoas vão viajar de avião pela primeira vez em janeiro e fevereiro", disse Renato Meirelles, sócio-diretor do instituto Data Popular, especializado em pesquisas de consumo das classes C, D e E. De acordo com projeção do instituto, de julho deste ano a julho de 2011, 8,7 milhões de pessoas farão sua primeira viagem aérea. "É mais do que o dobro do movimento de passageiros registrado na África do Sul durante a Copa", comparou.

Para atender o aumento de demanda no período de alta temporada, as companhias aéreas estão colocando voos extras, o que pode trazer uma sobrecarga ao já tumultuado sistema de aeroportos do País. "Vemos que está aumentando o número de voos. Isso pode acarretar em congestionamento", afirmou o presidente do sindicato dos controladores de voo, Jorge Botelho.

A probabilidade de atrasos em cascata é grande, avaliou Botelho. "Na medida em que se coloca um maior número de voos, tem-se um menor espaçamento de tempo de ocupação da pista de pouso. Se acontece um imprevisto, há atrasos, e isso vai refletir em outra localidade, porque as empresas estão com suas malhas amarradas."

Aos voos regulares e adicionais colocados para atender a demanda pontual, somam-se os fretamentos para operadores de viagens. Só a CVC, líder no segmento, fretará 2.660 voos para a alta temporada, um acréscimo de 25% ante igual período de 2009.

Vigilância

A diretora do Sindicato Nacional dos Aeronautas Graziella Baggio cobra vigilância da Anac sobre os voos fretados. "Há quatro anos a TAM teve um problemão. A CVC solicitou uma série de aeronaves para milhares de passageiros. Como a empresa não podia deixar de fazer os voos da operadora, porque haveria multa, acabou abandonando os voos normais." Em 2006, a prática de overbooking pela empresa gerou caos às vésperas do Natal.

O diretor de Comunicação da Gol, Hélio Muniz, afirmou que os fretamentos tiveram um crescimento "grande" este ano, sem mencionar números. Ele disse que a empresa ainda não solicitou voos extras à Anac, mas não descarta fazê-lo. "Não temos previsão ainda, mas sempre há a possibilidade de abrir voos nessa época. Esse processo é rápido."

O planejamento da Azul para o fim do ano inclui a contratação de cem agentes de aeroporto e reforço na equipe de call center. O presidente da companhia, Pedro Janot, afirmou que os esforços estão sendo feitos não apenas para responder à demanda de alta temporada, mas para acompanhar o crescimento da frota da empresa, que sai de 15 aeronaves em julho para 26 até o fim do ano.

Janot acredita que a companhia não terá grande dificuldade de lidar com um número maior de passageiros, pois já opera com taxas elevadas de ocupação, próximas a 85%. Ele avalia, no entanto, que outras empresas poderão ser mais impactadas.

"Não seria um transtorno operacional para a gente. Já as companhias que operam com ocupação de 62%, 63% podem chegar a 85% nesta temporada. Aí realmente o impacto é maior nos aviões da Gol e da TAM, por exemplo, que são de porte superior", comentou.

As duas maiores companhias aéreas do País também informaram ter planos de contingência. A Gol terá dois aviões de reserva e tripulações extras para assumir os voos. Na TAM, são cinco aeronaves de prontidão e houve reforço do pessoal de aeroporto. No total, a empresa fecha o ano com uma frota de 151 aviões, 19 a mais que no fim de 2009./ COLABOROU SABRINA VALLE

Principal
Formato: PDF
Tamanho: 75 MB
Cadernos: Autos & Imóveis
Formato: PDF
Tamanho: 71 MB

Imagens da semana, 19 de novembro, 2010

Palestras sobre AIDS - Não deixe de participar.

Recebi por e-mail de meu tio Expedito que é Presidente do Lions Clube Aracaju Jardins, o cartaz abaixo. Repassei para todos os meus contatos e publico aqui no Blog. Espero que essa pequena contribuição ajude a divulgar esse evento. Se você tiver oportunidade não deixe de comparecer, vale a pena.
E faça como eu fiz, divulgue!!!

Clique para ampliar

Veja o que dá não respeitar a faixa de segurança

MacUser - 19 Novembro 2010

National Geographic - Concurso de Fotografia 2010