sábado, 11 de dezembro de 2010

Jornal O Dia em PDF, Sabado, 11 de Dezembro de 2010

No Alemão e no Complexo da Penha é hora de mostrar os problemas e fazer cobranças: Rio - Com a ocupação dos complexos do Alemão e da Penha, que libertou os quase 400 mil moradores da região da ditadura do medo imposto pelos traficantes, um pacote de investimentos e serviços públicos começa a chegar às comunidades. O Projeto Prefeitura Itinerante, por exemplo, ficará na Penha até domingo, para ouvir as reivindicações de moradores e dar início a programas em áreas como habitação, saúde, transporte e educação. As enormes filas que se formam todos os dias nas unidades móveis de serviços que chegaram após a entrada das forças de segurança há 14 dias são a prova da carência na região. Senhas passaram a ser distribuídas. Alguns serviços chegaram junto com a ocupação, outros estão entrando aos poucos. “O que mais me impressionou foi a quantidade de jovens sem carteira de trabalho. Empregamos um para trabalhar na tenda nessas condições”, contou o secretário de Trabalho e Renda, Ronald Ázaro, cuja secretaria já atendeu mais de 2 mil pessoas.

O secretário agora está à procura de um imóvel para instalar um posto de trabalho definitivo na área. O mesmo está fazendo o subsecretário estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, Pedro Storzenberg. Entre outros serviços, ele quer garantir assistência jurídica aos moradores. “Convênio com o Ministério da Justiça vai criar postos para esse tipo de atendimento. Não vamos mais sair de lá”, garantiu.

Emissão de documentos, encaminhamento ao mercado de trabalho, pavimentação, rede de drenagem, iluminação, coleta de lixo, assistência social (atendimento para vítimas de violência e dependentes químicos), educação (construção de novas unidades e cursos de capacitação), saúde (campanha de vacinação e contra a dengue) são serviços já em andamento. Regularização do transporte alternativo e das empresas nas comunidades vão começar nos próximos dias.

As prioridades do prefeito

O prefeito Eduardo Paes anunciou ontem melhorias para a região. “Vamos começar construindo creches, fazer a contenção das encostas e priorizar a saúde. Não existe mágica. A pacificação é fundamental para a realização dos trabalhos”, afirmou.

Ontem, também foi inaugurada a Clínica da Família Felipe Cardoso, na Avenida Nossa Senhora da Penha. Com essa unidade de saúde, quase a totalidade do Complexo da Penha será atendida.

O Morro do Sereno e a localidade do Grotão ficaram de fora nesse primeiro momento, mas o prefeito garantiu que em 2011 essas comunidades ganharão uma clínica da família ainda no primeiro semestre.

Teleférico: teste com passageiros este mês

Ontem, o teleférico do Complexo do Alemão passou por mais uma etapa de testes. Funcionários da Empresa de Obras Públicas do estado (Emop) realizaram uma espécie de nivelamento nos eixos de gravidade das gôndolas de transporte de passageiros, em relação aos cabos e elementos de sustentação. De acordo com a Emop, há possibilidade de que os técnicos comecem a testar como seria o transporte de passageiros no fim do mês. A previsão é de que o teleférico seja entregue à população em março.

O Natal dos moradores do Alemão, principalmente das crianças, este ano será mais feliz. Dia 25 haverá distribuição de brinquedos doados durante uma campanha, que começará na próxima semana e será promovida por Rene Silva dos Santos, 16 anos, responsável pelo jornal ‘A Voz da Comunidade’, sobre notícias das favelas. Preta Gil, que fará um show, comandará a festa.

“Ainda estamos estudando como será feita essa campanha. Muitas crianças não ganham presentes porque os pais não têm dinheiro para comprar. Essa é uma boa hora para fazermos isso”, explicou Rene, que já está acostumando a organizar eventos como esse. Na Páscoa deste ano, ele conseguiu arrecadar dinheiro e comprar ovos de Páscoa para as crianças da comunidade.

Formato: PDF
Tamanho: 40 MB

Imagens top 100 - 2010 - Parte 02

Jornal O Estado de SP em PDF, Sabado, 11 de Dezembro de 2010

Esquema de emendas a fantasmas faz governo suspender convênios: Esquema de emendas a fantasmas leva governo a agir e constrange ministro. Provas de que parlamentares destinaram verbas federais a entidades que são de fachada, reveladas pelo ‘Estado’ desde domingo, obrigam Ministério do Turismo a cancelar de imediato convêniosA revelação de que o Ministério do Turismo se tornou alvo de uma avalanche de emendas parlamentares que alimentam esquema de repasse de verbas federais a entidades fantasmas levou o governo a cancelar de imediato ontem convênios de R$ 3,1 milhões com o Instituto Brasil de Arte, Cultura e Lazer(Inbrasil). Conforme revelou o Estado na edição de ontem, o caso agora coloca o ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais), cotado para permanecer no primeiro escalão da presidente eleita, Dilma Rousseff, em situação delicada. A assinatura de Padilha consta em documento que endossou o funcionamento do instituto, que só existe no papel. Em entrevista coletiva, nesta sexta-feira, o ministro voltou a afirmar que não assinou a declaração e que ela se trata de uma montagem. O documento atesta a "idoneidade" da entidade, permitindo, assim, a liberação da verba. "Estou indignado em relação ao documento.

Sou a pessoa mais interessada em esclarecer esse episódio", afirmou. Ele transferiu ainda a responsabilidade sobre a fiscalização do convênio ao Turismo. Nos bastidores, o governo mantém a confiança em Padilha, mas quer apurar os responsáveis pelo fato, já que no documento consta o selo digital da Presidência da República.

Foi a partir da gestão de Walfrido dos Mares Guia na pasta do Turismo que parlamentares foram incentivados a apresentar emendas para obter mais recursos.

Formato: MP3
Tamanho: 67 MB

Peixe elétrico mata Jacaré

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Coroné e Minerim.

Em tempos de eleição, dois candidatos mineiros adversários, um da cidade - o "Coroné", e outro caipira - o "Mineirim", se encontram na mesma barbearia.

Lá sentados lado a lado não se falou palavra alguma.

Os barbeiros temiam iniciar qualquer conversa, pois poderia descambar para discussão e o "Coroné" só andava armado.

Terminaram a barba de seus clientes mais ou menos ao mesmo tempo.

O primeiro barbeiro estendeu o braço para pegar a loção pós-barba e oferecer ao "Coroné", no que foi interrompido rapidamente por seu cliente:

- Não obrigado, a minha esposa vai sentir o cheiro e pensar que eu estava num puteiro.

O segundo barbeiro virou-se para o "Mineirim":

- E o senhor? - indagou.

- Uai, popassá sô! A minha muié num sabe cumé cheiro de puteiro...

(he.he.he.he... Dizem que a barbearia está fechada para reforma até hoje...)

Jornal O Dia em PDF, Sexta, 10 de Dezembro de 2010

Soldados do Bope simulam treinamentos para o 'aspira' Ronaldo: Rio - De férias no Rio, o fenômeno Ronaldo realizou ontem o sonho de ser ‘caveira’ por um dia. Em visita à sede do Batalhão de Operações Especiais (Bope), em Laranjeiras, o atacante do Corinthians se declarou fã da tropa de elite e fez questão de vestir uma camisa com o símbolo do Bope que ganhou do comandante da unidade, tenente-coronel Paulo Henrique Moraes. Mas os ‘homens de preto’ não deram moleza ao jogador e simularam treinamentos para o ‘aspira’ Ronaldo sentir na pele a rotina osso duro de roer dos PMs. A O DIA, o craque disse que sempre quis conhecer a sede do Bope. “Morei fora muito tempo e agora estou direto em São Paulo. Aproveitei a vinda ao Rio para conhecer. O trabalho deles é incrível, fiquei impressionado. Estar com esses heróis é uma experiência única. Nada aqui é lenda, tudo é real como no filme (Tropa de Elite)”, empolgou-se.

Ronaldo fez questão de cumprimentar os policiais, que não perderam a chance de tietar e tirar muitas fotos com o ídolo. “Meu filho vai pirar quando vir a foto do Fenômeno”, festejou um soldado.

O jogador passou cerca de cinco horas no batalhão, acompanhado de três amigos. Almoçou no refeitório com os oficiais, fez muitas perguntas sobre a rotina dos PMs e conheceu cada canto da unidade. A ladeira de 700 metros de acesso ao quartel chamou a atenção do atleta, principalmente quando soube que os ‘caveiras’ têm que subir correndo em apenas seis minutos e carregando equipamentos: “O treino do Corinthians é duro, mas o do Bope é muito mais”.

Em poucos minutos, o visitante ilustre virou alvo de brincadeiras. “Quer moleza, Ronaldo? Tem um treino aqui pra você ‘puxar’”, desafiou o major Vinicius, que guiou o jogador. E, mesmo fora de campo, o Fenômeno teve que suar a camisa: correu, rastejou e pulou durante uma demonstração de como os policiais fazem a progressão em favelas.Perguntado se disputaria uma vaga no próximo curso para ingressar no Bope, ele se esquivou: “Parece muito difícil, um treinamento bem específico. Por isso eles são tão bons no que fazem”.

No fim, Ronaldo abraçou o comandante. “Vir aqui neste momento, quando o Bope trouxe a paz para tantas comunidades, é muito especial. Só tenho a agradecer. Os policiais lutam pela paz e nós, jogadores, pela vitória, mas os objetivos acabam sendo os mesmos. Vou levar comigo essa união que eles têm, que é incrível e que é importante em qualquer lugar”.

Formato: PDF
Tamanho: 32 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Sexta, 10 de Dezembro de 2010

Seis municípios representam 25% do PIB, diz IBGE:
RIO - Os seis municípios com as maiores participações no Produto Interno Bruto (PIB) do País, todos capitais, representavam, em 2008, aproximadamente 25% do PIB brasileiro: São Paulo (SP), 11,8%; Rio de Janeiro (RJ), 5,1%; Brasília (DF), 3,9%; Curitiba (PR), 1,4%; Belo Horizonte (MG),1,4% e Manaus (AM), 1,3%. São Paulo, apesar de se manter como a principal economia, perdeu participação no PIB brasileiro de 2007 (12,1%) para 2008. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, 10, na pesquisa PIB dos Municípios, realizada pelo IBGE. O levantamento mostra que os 1.313 municípios com os menores PIB (onde residiam 3,4% da população) respondiam por apenas 1% do PIB do país. "A concentração permanece semelhante à dos anos anteriores", observam os técnicos do instituto no documento de divulgação da pesquisa.

Os cinco municípios de menor PIB em 2008 foram: Areia de Baraúna (PB), São Luis do Piauí (PI), São Félix do Tocantins (TO), Santo Antônio dos Milagres (PI) e São Miguel da Baixa Grande (PI), em ordem decrescente.

De acordo com a pesquisa, de 2007 para 2008, Campos dos Goytacazes (RJ) apresentou o maior ganho de participação porcentual no PIB do País, de 0,8% para 1,0%, "devido ao aumento de produção de petróleo e gás natural e à alta do preço do petróleo".

Por sua vez, o município de São Paulo, "com economia extremamente integrada à do Estado", perdeu participação principalmente em alguns segmentos da indústria de transformação, como o de metalurgia básica - não ferrosos, produtos farmacêuticos, indústria de máquinas para escritório e equipamentos de informática. Nos serviços, houve perdas em alguns itens do varejo (revendedores de veículos e distribuição de combustíveis).

No que diz respeito ao PIB per capita, o município de São Francisco do Conde (BA) tem o maior do País (R$ 288.370,81). A coordenadora da pesquisa, Sheila Zani, ressalta que o resultado do PIB per capita representa a geração de riqueza nos municípios dividida pela população e não revela a riqueza apropriada. Ou seja, muitas vezes o tamanho da população é que determina a posição de determinado município no ranking. São Francisco do Conde, por exemplo, tem baixa densidade demográfica e abriga a segunda maior refinaria em capacidade instalada de refino do País.

O Município de Jacareacanga (PA), localizado no sudoeste do Estado e na divisa com o Amazonas e Mato Grosso, possuía, em 2008, o menor PIB per capita (R$ 1.721,23) entre os 5.564 municípios brasileiros. Os técnicos do IBGE explicam que esse município tinha, aproximadamente, 60% da sua economia dependente da administração pública e alto grau de dependência de transferências governamentais.

Formato: PDF
Tamanho: 33 MB

Melhor escapar fedendo do que morrer cheiroso...

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Imagens engraçadas/curiosas - 09/12/2010

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Trem Vs Água

Playboy - Brasil - Edição 427 (12/2010) - Versão Completa

Veja - Edição 2194 (08/12/2010)

Vulcão Kawah Ijen de noite

Crash Carnage #44

Ajude crianças a ter um Natal mais feliz!

Jornal O Estado de SP em PDF, Quinta, 09 de Dezembro de 2010

Emendas para esquema fraudulento tiveram salto de 2.351%: BRASÍLIA - O esquema de pagamento de verbas federais a entidades de fachada - que derrubou o senador Gim Argello (PTB-DF) da relatoria do Orçamento de 2011 após denúncia do Estado - é um verdadeiro hit entre os parlamentares. O governo obteve sinais da farra, mas não conseguiu tampar o ralo. A previsão de gastos em promoção de eventos para divulgação de turismo interno em 2010, que originalmente era de R$ 32,6 milhões, saltou para R$ 798,8 milhões após receber 577 emendas de parlamentares.
O levantamento foi realizado pela ONG Contas Abertas. Houve um aumento de 2.351% no montante das emendas.
Coisa semelhante ocorreu com as verbas para outra ação, "fomento a projetos de arte e cultura". A proposta de R$ 116,9 milhões foi turbinada para R$ 391,5 milhões, um aumento de 235%, graças a 258 emendas.

"Houve uma verdadeira febre dos parlamentares para fazer emendas nessas ações", disse o fundador e secretário-geral da Contas Abertas, Gil Castello Branco. Ele suspeita que a causa não é o inconformismo dos parlamentares com o descaso do Executivo em relação ao turismo interno e às manifestações culturais. "Elas configuram um ralo por onde há uma corrupção bilionária relacionado a repasses de verbas via ONGs."

A verba reservada este ano para repasses a entidades sem fins lucrativos, nas quais se enquadram ONGs, atinge R$ 4,5 bilhões. Desses, R$ 2,7 bilhões já foram liberados até ontem. Nessa bolada, estão misturadas entidades sérias que de fato prestam serviços à sociedade e organizações de fachada para as quais são desviados recursos públicos.

A preferência pela promoção de festas para desviar dinheiro federal tem uma explicação. "São despesas de caráter subjetivo. Quanto custa um show? Quanto custa uma festa? Qual o valor correto para a iluminação, o som, o palco?" questionou Castello Branco. É diferente de uma obra, por exemplo, na qual há critérios objetivos para determinar se ela está ou não superfaturada.

Suspeita

O escoadouro de verbas pela via da realização de eventos não é segredo na Esplanada dos Ministérios. Não é por acaso que a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2011 já proibiu emendas que determinem o repasse de verbas federais para entidades privadas realizarem eventos na área de turismo. Depois das denúncias do Estado, a restrição será estendida à área de cultura.

"Avaliávamos que estava frágil, que não estava bom", disse o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, ao comentar as proibições da LDO. Ele acrescentou que, já em 2010, o governo converteu a maior parte das emendas para patrocínio de festas pelo Ministério do Turismo em emendas voltadas a investimentos em infraestrutura turística. De fato, dos R$ 798,8 milhões que os parlamentares queriam aplicar em festas, R$ 433 milhões viraram obras.

Formato: PDF
Tamanho: 54 MB

Michael não tem os braços, mas....

Michael atira sua 45 com seus pés

Michael manuseia sua 45 com seus pés

Jornal O Dia em PDF, Quinta, 09 de Dezembro de 2010

Mosquito da dengue espalha nova doença: Rio - A identificação de três casos de doença provocada por um vírus que jamais circulou no Brasil colocou o Ministério da Saúde em alerta. Sobretudo porque ela é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo da dengue. A entrada do vírus da febre Chikungunya no País ocorre num momento em que o número de Aedes é elevado em diversos locais. E em que epidemia de dengue, no Rio e em outras cidades, não está descartada. Segundo o ministério, de agosto a novembro três brasileiros — um carioca da Barra e dois moradores de São Paulo — tiveram a febre Chikungunya. Tida como menos grave do que a dengue — devido à quantidade menor de casos fatais — a Chikungunya se caracteriza por febre alta e dores intensas nas articulações das mãos e pés, que podem se prolongar por até um ano, impossibilitando a pessoa de desenvolver sua rotina.

“Tivemos três casos importados. Tudo leva a crer que não houve transmissão no País. Todas as medidas de prevenção, como a busca de focos de mosquito nas proximidades das residências dos pacientes, aplicação de fumacê e rastreamento de novos casos foram feitas”, afirmou o coordenador do Programa de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, Giovanini Coelho.

Uma das preocupações das autoridades é que, devido ao grande número de criadouros do Aedes, a doença se instale no País. “A presença do mosquito nos deixa vulneráveis. Quanto menos Aedes nas casas e nos espaços urbanos, menor o risco. Não há vacina contra o Chikungunya”.

Os dois homens — um carioca de 41 anos e outro paulista de 55 — voltaram da Indonésia contaminados. O morador do Rio tinha ido ao país asiático surfar. Uma mulher, também paulista, de 25 anos voltou da Índia. A notificação de casos ao ministério é obrigatória e imediata, em até 24 horas.

“Estamos intensificando a vigilância para detectar possíveis novos casos. Nos reunimos com diversas sociedades médicas para alertar. E pedimos que as pessoas que chegarem dos locais em que há transmissão do vírus e tiverem febre procurem hospitais. A auto-medicação não é indicada”, afirma Giovanini.

Formato: PDF
Tamanho: 33 MB

Mike Wilson

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Imagens engraçadas/curiosas - 08/12/2010

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

ComputerActive - 9-22 Dezembro 2010 UK PDF for iPad/PC

Matou a mãe e já virou celebridade....

Imagens top 100 - 2010 - Parte 01


Natal na Itália

Clique aqui ou na imagem acima e veja esta apresentação feita com o Microsoft Power Point. Aguarde alguns instantes enquanto as imagens são carregadas, ou, se preferir, salve-a em seu computador.

Para ver essa apresentação é necessário ter instalado o programa Microsoft PowerPoint, que está no pacote Microsoft Office, ou o programa Visualizador do PowerPoint (para download gratuito clique aqui)

Hustler - Holiday 2010

E o vento levou....

Jornal O Dia em PDF, Quarta, 08 de Dezembro de 2010

Ação altera cálculo no INSS: Rio - A vitória do segurado do INSS que conseguiu retirar do cálculo de seu benefício o fator previdenciário e o chamado ‘pedágio’ da aposentadoria proporcional pode abrir caminho para nova enxurrada de ações na Justiça. O processo venceu em primeira instância e tem tudo para ir ao Supremo Tribunal Federal. Assim, quem “pagou” pedágio para se aposentar desde 1998 pode ter o benefício reajustado em até 34% e ainda obter brecha para reivindicar valores retroativos. Segundo o advogado Périsson Andrade, autor da ação, a Lei 8.213/91 prevê que a aposentadoria proporcional deverá consistir em 70% do salário de benefício. Acrescenta-se 6% por ano trabalhado a mais — até o máximo de 100% do salário de benefício. Mulheres têm que contribuir, pelo menos, por 25 anos. E os homens, 30. A Emenda Constitucional 20/98 criou uma regra de transição que estabeleceu que todos com menos de 30 ou 25 anos de contribuição em dezembro de 1998 (data da publicação) só teriam direito à aposentadoria proporcional se cumprissem um tempo adicional (pedágio) de 40% do tempo restante para completar os mencionados 30 ou 25 anos.

Situação pior para os sem emprego

EXEMPLO
Um homem que pretende se aposentar tinha, em 1998, 20 anos de contribuição. Quanto tempo faltava para completar o mínimo exigido? 10 anos. Então, ele multiplica esse tempo por 40% (10 X 40/100), que equivale a 4 anos. Então, para se aposentar na proporcional, são 34 anos. Muitas vezes, não é vantagem, porque a integral exige 35 anos de descontos ao INSS.

VALOR
O cálculo da aposentadoria proporcional é feito da seguinte forma: é de 70% do salário de benefício (ou média). Para cada ano a mais trabalhado, além do exigido, a pessoa ganha 6%, que vão sendo acumulados ano após ano.

APÓS JULHO DE 91
Inscritos no INSS a partir de 25 de julho de 1991 devem ter, pelo menos, 180 contribuições mensais. Para quem contribui desde antes dessa data, há a tabela progressiva.

Formato: PDF
Tamanho: 40 MB

Hustler - Fevereiro 2011

Jornal O Estado de SP em PDF, Quarta, 08 de Dezembro de 2010

Gim Argello renuncia à relatoria do Orçamento da União de 2011: O senador Gim Argello (PTB-DF) acaba de renunciar à relatoria do Orçamento da União de 2011. Ele caiu depois das denúncias do Estado de envolvimento dele com emendas parlamentares para entidades fantasmas e empresas de fachadas em nome de laranjas. O Ministério Público no Tribunal de Contas da União decidiu na última segunda-feira, 6, investigar o esquema, revelado pelo Estado, de institutos fantasmas e empresas de fachadas envolvendo emendas orçamentárias de parlamentares de São Paulo, Bahia, Goiás, Distrito Federal, entre outros Estados. Entre os autores dessas emendas estão o senador Gim Argello (PTB-DF), ex-relator do Orçamento da União de 2011, e os deputados Luciana Costa (PR-SP), Carlos Alberto Lereia (PSDB-GO), Sandro Mabel (PR-GO) e Rodovalho (PP-DF), entre outros. O dinheiro é destinado a eventos culturais bancados pelos ministérios do Turismo e da Cultura.

O procurador Marinus Marsico, representante do Ministério Público no TCU, avisou que vai recomendar até quarta-feira, por escrito, que os ministérios do Turismo e da Cultura abram imediatamente uma apuração interna sobre as suspeitas apontadas. Ao mesmo tempo, vai solicitar todos os convênios suspeitos para realizar uma investigação dentro do próprio tribunal, além de oficiar o comando do TCU para que entre no caso. "Os ministérios deveriam se encarregar da lisura dos processos e se cercar para que não repasse dinheiro a entidades que não existem. É preciso, pelo menos, confrontar informações, CNPJs", afirmou. "Se comprovarmos as irregularidades publicadas pelo Estado, vamos pedir a suspensão dos repasses dos recursos e apontar os responsáveis", afirmou. O procurador avalia ainda que seria importante que o Ministério Público Federal entrasse no caso para investigar desvio de verbas e suposto pagamento de propinas.

Investigação feita pelo Estado mostra que ao menos R$ 1,4 milhão foi repassado para institutos fantasmas por meio de emendas individuais de Gim Argello no Orçamento. E, logo depois, o dinheiro foi repassado para a conta de uma empresa que tem um jardineiro e um mecânico como donos - tudo sem licitação. Os papéis revelam que essas entidades compram estatutos de associações comunitárias de periferia e viram "institutos" somente para intermediar sem licitação os convênios com o governo, em troca de uma comissão, conforme relatos de dirigentes em conversas gravadas.

Formato: PDF
Tamanho: 34 MB

Digital Camera World - Janeiro 2011 UK PDF for iPad/PC

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Imagens engraçadas/curiosas - 07/12/2010

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Jornal O Dia em PDF, Terça, 07 de Dezembro de 2010

Juiz chama goleiro Bruno de covarde: Juiz diz que Bruno é covarde e tem 'conduta desajustada' em sentença - Rio - O juiz Marco José Mattos Couto, da 1ª Vara Criminal de Jacarepaguá, chama o goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza de covarde e destaca sua "conduta desajustada e reprovável" na sentença que condenou o atleta por manter Eliza Samudio em cárcere privado, em outubro de 2009. Na ocasião, seu amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, também foi condenado pelo mesmo crime. A condenação do goleiro Bruno foi noticiada com exclusividade na edição desta terça-feira do jornal O Dia, na coluna Justiça & Cidadania, de Adriana Cruz. Bruno foi condenado a 4 anos e 6 meses de prisão por cárcere privado, lesão corporal e constrangimento ilegal. Macarrão foi condenado apenas por cárcere privado, com pena de 3 anos. Na sentença, o magistrado estipulou a pena acima do mínimo legal por julgar "exorbitante" a culpabilidade da dupla.

No texto, o juiz ainda lamenta ainda que crianças já tenham visto Bruno como ídolo durante um período da sua carreira ("o réu não é digno de qualquer admiração") e destaca que a sua personalidade, diante do que ficou apurado, revelou-se criminosa.

Pelos motivos expostos, o magistrado nega aos réus a possibilidade de recorrer a pena em liberdade. Bruno, Macarrão e os outros suspeitos no desaparecimento de Eliza Samudio são mantidos presos na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Os presos estão em celas isoladas, de 6m² e sem comunicação entre elas.

Veja abaixo trechos da sentença condenatória:

A pena do réu Bruno Fernandes das Dores de Souza (...) deve ser fixada acima do mínimo legal. A culpabilidade é exorbitante na medida em que se percebe que é absolutamente reprovável a conduta do réu, já que praticou os crimes que ensejaram a sua condenação com o propósito de se ver livre do status de pai que não desejava desempenhar.

Ora, se o réu optou por uma aventura amorosa inconsequente, cabia-lhe arcar com as responsabilidades que dela decorreram, e não agir como de fato agiu. Ao conhecer a vítima em determinado evento (uma orgia na versão do réu ou um churrasco na versão da vítima) e optar pelo sexo irresponsável, não lhe cabia fazer o papel que fez ao saber da gravidez da vítima. A sua covardia, pois, impõe resposta penal adequada.

É certo que o réu não tem maus antecedentes. Mas a sua personalidade, diante do que ficou apurado, revelou-se criminosa. O réu juntou-se a supostos "amigos" e, então, foram fazer pressão para que a vítima provocasse aborto. Não é tal conduta que se espera de um cidadão de bem.

Quis o destino que o réu se destacasse em sua profissão, mas o mesmo destino se incumbiu de trazê-lo ao banco dos réus. Diante da personalidade do réu, lamenta-se que crianças e amantes do futebol já tenham admirado o acusado. Isso porque o réu não é digno de qualquer admiração, consideradas as circunstâncias reveladas nestes autos. A conduta social do réu, quase blindada pela sua fama, se melhor investigada, revela-se criticável....

Formato: PDF
Tamanho: 57.2 MB

Os cães são fantásticos também

Jornal O Estado de SP em PDF, Terça, 07 de Dezembro de 2010

Orçamento de 2011 repete contratos com entidades fantasmas: Emendas do Orçamento da União de 2011 repetem ‘farra dos institutos’ Parlamentares continuam a alimentar esquema fraudulento de distribuição de verbas para institutos fantasmas e laranjas que têm convênios com setores culturais e de turismo, conforme revelaram reportagens do ‘Estado’ desde domingo. BRASÍLIA - A farra dos institutos fantasmas com o dinheiro público tem tudo para continuar em 2011. O projeto do Orçamento da União do ano que vem, relatado pelo senador Gim Argello (PTB-DF), prevê, pelo menos, R$ 16 milhões em emendas de parlamentares a essas entidades criadas apenas para intermediar convênios com o governo federal.
Esses contratos são assinados para a realização de eventos culturais, cujos orçamentos e prestações de contas são superfaturados, fraudulentos e assinados por laranjas. Os institutos costumam levar uma comissão de 5% pela intermediação, sem licitação.

Entre o total de emendas previstas Orçamento de 2011, pelo menos R$ 10 milhões são destinados a dois institutos: Planalto Central e Conhecer Brasil. São entidades registradas em endereços falsos e que compraram estatutos de associações comunitárias para funcionar e intermediar convênios nos últimos dez meses, conforme esquema revelado por reportagens do Estado desde o último domingo.

O dono do Conhecer Brasil, Carlos Henrique Pina, foi quem colocou o jardineiro Moisés da Silva Morais como "laranja" numa empresa de assessoria e marketing, também de fachada, subcontratada pela maioria desses institutos fantasmas sediados em Brasília. Agora, Pina quer ganhar dinheiro com o próprio instituto. "Estou na correria", contou ao Estado.

Os campeões de emendas destinadas a essas entidades para o exercício de 2011, segundo análise feita pela reportagem, foram Laerte Bessa (PSC-DF), Luciana Costa (PR-SP) e Geraldo Magela (PT-DF). Também de fachada, o Instituto Brasil Sempre à Frente recebeu, por exemplo, R$ 2,2 milhões em emendas para 2011.

O instituto é presidido por Vanildo Gomes Soares Júnior e recebeu R$ 1,1 milhão em 2010 para realizar shows em 20 cidades do interior paulista, embora seja de Brasília. Vanildo é filho de Izanete Gomes Soares, que dirige o Instituto Renova Brasil, cuja sede é registrada numa vidraçaria. Essa entidade recebeu R$ 532 mil de uma emenda de Gim Argello e repassou todo o dinheiro para a RC Assessoria e Marketing, numa prestação de contas assinada por laranjas.

A vice-presidente desse instituto, Jordana de Assis, é irmã de Divino de Assis, presidente do Planalto Central, beneficiado em 2010 por emendas dos deputados Sandro Mabel (PR-GO), Carlos Alberto Lereia (PSDB-GO) e Bispo Rodovalho (PP-DF). Os parlamentares também destinaram pelo menos R$ 3 milhões em emendas de 2011 ao instituto Integração Brasileira de Educação e Turismo (Inbraest), outra entidade que vive do esquema de convênios da União. Também só existe no papel dentro desse esquema, que agora será investigado pelo Tribunal de Contas da União.

O Inbraest funciona numa sala de fisioterapia. Seu presidente, Randerson de Oliveira, admitiu ao Estado, em conversa gravada, que suas despesas são pagas pelo que o instituto recebe, embora não se recorde dos últimos convênios assinados: "Agora eu ‘tô’ vagabundo. Trabalho com negócio de moda. Aí ‘tô’ na entidade aí".

O Inbraest recebeu, em setembro, R$ 534 mil de uma emenda de Gim Argello para realizar um evento cultural em Brasília. Mas repassou os recursos para a RC Assessoria, em nome do jardineiro Moisés da Silva Morais e do mecânico José Samuel Bezerra.

Os deputados citados na reportagem foram procurados, mas apenas Geraldo Magela (PT-DF) respondeu ao Estado. Ele disse que listou as entidades que podem ser beneficiadas, mas só decidirá em 2011 quem receberá recursos. "Eu listo todas as entidades que me pedem."

Formato: PDF
Tamanho: 43.2 MB

Incêndio florestal em Israel

Looney Tunes Coyote Falls 2010

Top 100 Imagens de Esportes de 2010

Tyler Bradt - Saltando de caiaque cachoeira de mais de 57 metros

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Imagens engraçadas/curiosas - 06/12/2010

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Jornal O Dia em PDF, Segunda, 06 de Dezembro de 2010

O guerreiro Conca e o general Muricy: Rio - Foram 38 batalhas até a vitória final do Fluminense. Um desempenho heroico, levando em conta o risco do rebaixamento no ano anterior. Duas figuras foram essenciais na campanha, uma delas o pequeno gigante Darío Conca, com seus passes certeiros, raça e gols decisivos. Ele personificou perfeitamente a alcunha de guerreiro entoada pela torcida e comandou seus companheiros mesmo nos momentos mais difíceis do torneio. A outra figura é a do comandante Muricy Ramalho, que tornou um grupo desorganizado num time disciplinado e vencedor. Homem de palavra, abriu mão da seleção brasileira e seguiu no clube, o que o faz merecedor de seu quarto título brasileiro como treinador. Montou uma zaga segura com Leandro Euzébio e Gum. Um meio-de-campo firme com Diguinho e Diogo, até então contestados pela torcida. Muricy soube contornar as seguidas lesões das estrelas Fred, Deco e Emerson, ao mesmo tempo em que, quando estavam em campo, explorou bem as qualidades de cada um.

São todos guerreiros, mesmo Washington, com seu sofrimento solitário no amargo jejum de gols. Jamais deixou de lutar. Como bons guerreiros, os jogadores tricolores sofreram e vibraram durante o Brasileirão. Entretanto, a raça de cada um contribuiu para que o torcedor do Fluminense sorrisse mais uma vez no fim do ano. Desta vez, não com a mera permanência na Série A, mas sim com a glória máxima do futebol nacional: o título do Campeonato Brasileiro, depois de 26 anos de jejum.

Formato: PDF
Tamanho: 36.9 MB

Popular Photography - 01 - 2011

Jornal O Estado de SP em PDF, Segunda, 06 de Dezembro de 2010

Após 26 anos, Flu é campeão brasileiro: O Fluminense é o campeão do Campeonato Brasileiro 2010. Venceu neste domingo o Guarani por 1 a 0, com gol de Emerson, e conquista pela segunda vez o título nacional no Estádio do Engenhão, no Rio, encerrando um jejum de 26 anos na principal competição nacional. E coroa Muricy Ramalho como "Rei do Brasileirão", pelo quarto título da Série A em cinco anos. A torcida ocupou todos os lugares e incentivou o time tricolor o tempo todo. O calor não atrapalhou nem quando fizeram mosaicos ou com o nervosismo. A excitação pela expectativa de ser campeão estava em campo também, nos noventa minutos e em seus acréscimos.
Ao entrar em campo com oito minutos de atraso, Muricy e seus comandados queriam jogar com a vantagem de saber os resultados de seus concorrentes ao título (Corinthians e Cruzeiro). E essa vantagem lhe fez saber que o título era seu com mais de cinco minutos antes do apito final do árbitro Carlos Eugênio Simon.

Sabendo que precisava vencer, o Fluminense tentou atacar bastante, mas falhava na hora de lançar ou de cruzar a bola na área. Conseguiu duas no primeiro tempo, ambas cabeçadas por Fred com perigo, que o goleiro Emerson, do Guarani, defendeu. Parecia, aliás, que o time tricolor só tinha a jogada pelo alto - uma "tradição" dos times de seu treinador.

A aposta ofensiva tinha um preço: o mano a mano na marcação. E com isso o time campineiro gerava alguma apreensão quando atacava - em todas, porém, justificava porque está rebaixado para a Serie B em 2011, pois errava demais. Maycon e Ailson, por exemplo, trocaram agressões e foram advertidos.

Líder em 23 das 38 rodadas, ou 60%, era mais do que justo o Fluminense vencer. E o gol da conquista saiu aos 16 minutos do segundo tempo: Carlinhos cruzou, Washington disputou e Emerson, de pé esquerdo, chutou forte para fazer a 1 a 0 (a bola passou entre as pernas do zagueiro e do goleiro). Emerson exibiu, na comemoração, a chuteira com a mensagem "Paz no Rio".

Os dois minutos de acréscimo, já sabendo dos resultados dos adversário, foram de agonia para o começo da festa dos torcedores do Fluminense. Uma festa que não acabará neste domingo.

FLUMINENSE - 1 - Ricardo Berna; Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Valencia, Diguinho, Júlio César (Washington) e Conca; Emerson (Rodriguinho) e Fred (Fernando Bob). Técnico: Muricy Ramalho.

GUARANI - 0 - Emerson; Guilherme (Pablo), Ailson e Aislan; Apodi, Fabiano, Maycon, Ronaldo e Paulinho e Márcio Careca (Geovane); Reinaldo (Douglas). Técnico: Vagner Mancini.

Gol - Emerson, aos 16 minutos do segundo tempo; Árbitro - Carlos Eugênio Símon (RS); Cartões amarelos - Emerson, Mariano, Gum (Fluminense), Maycon, Ailson, Paulinho e Fabiano (Guarani); Público - 35.527 pagantes; Renda - R$ 2.859.450,00; Local - Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

Formato: PDF
Tamanho: 29.5 MB

Twist & Go Magazine - January/February 2010