sábado, 1 de janeiro de 2011

Motociclismo Panamericano - Janeiro 2011 PDF for iPad/PC

Jornal O Dia em PDF, Sabado, 01 de Janeiro de 2011

Fogos celebram Réveillon da paz na Penha:
Rio - O Réveillon teve um gosto especial para milhares de moradores do Complexo da Penha. Ocupadas pela polícia há um mês, pela primeira vez após vários anos as comunidades passaram a virada sem medo e o som perturbador dos tiros. A Igreja da Penha, ponto concentrador do foguetório, foi toda acesa com luzes coloridas a quatro minutos da meia-noite. Os fogos explodiram, sob aplausos dos moradores, por mais tempo que os de Copacabana: foram 20 minutos de espetáculo. De vários pontos do bairro, foi possível ver uma frase iluminada na lateral do templo, que traduzia as expectativas de todos os cariocas: “Paz em 2011 e para sempre”. O letreiro foi apagado 20 minutos antes da virada. E aos 17 minutos do ano, foi acesa a palavra Paz. Era a surpresa da Penha. “Nos outros anos, via da janela muitas balas traçantes. Este ano são só fogos”, vibrou a dona de casa Sandra Lúcia, de 52 anos.
Em palco na Praça Santa Emiliana, no conjunto IAPI, vários artistas, entre eles Ed Motta, celebraram a chegada do Ano Novo com os moradores. Às 22h30, o local já recebia pelo menos 2 mil pessoas.

O gari Jayme Pereira Duarte, 53, levou as filhas, os genros e a neta para a festa. Nascido e criado no Complexo do Alemão, ele sempre passava o Réveillon em Copacabana, com medo da violência em seu bairro. “Resolvi apostar na festa da paz”, afirmou. Entusiasmado com a festa e fã do cantor Ed Motta, Jayme reuniu a família pela primeira vez e ainda levou bolsas térmicas com comidas e bebidas.

A filha dele, Janaína Duarte, 35, estava bastante emocionada com a festa.

“Moro na Penha e nunca podia visitar meu pai no Alemão por causa da violência. Passei o Natal com ele e, agora, estamos juntos de novo. Este ano tem tudo para ser ainda mais feliz”.

A primeira passagem de ano no Complexo do Alemão após a pacificação foi muito tranquila. Nesta noite, poucos homens das Forças Armadas circulavam no entorno da comunidade. O Exército montou blitz na Rua Itararé. Os agentes pararam alguns carros e revistavam pessoas e grupos que entravam e saíam, mas ninguém foi preso e nenhuma ocorrência foi registrada na noite que também teve pouco movimento de gente nas ruas.

Formato: PDF
Tamanho: 22 MB

O ano de 2010 em fotos - Parte 03/03

Jornal O Estado de SP em PDF, Sabado, 01 de Janeiro de 2011

Posse no Brasil já gera expectativa na Europa:
A posse da presidente eleita, Dilma Rousseff, no Palácio da Alvorada vem gerando expectativa na Europa sobre o futuro do Brasil pós-Luiz Inácio Lula da Silva. Na última semana, alguns dos maiores jornais do continente publicaram editoriais nos destacando os desafios da nova presidente, que recebeu ontem o título de uma das personalidades do ano pelo jornal francês La Tribune. Entre homenagens aos oito anos de governo Lula, a mídia da Europa fez o balanço dos dois mandatos e projetou os desafios que Dilma enfrentará a partir de hoje. Na Inglaterra, o jornal The Guardian intitulou "Era Lula chega ao fim no Brasil" seu texto sobre a transição política. O periódico destacou a popularidade do atual chefe de Estado, próxima de 90%, e as medidas que retiraram da linha da pobreza 20 milhões de brasileiros. "Amanhã à tarde, a cortina finalmente cairá sobre o reinado de oito anos de Luiz Inácio Lula da Silva quando sua sucessora, a ex-marxista rebelde Dilma Rousseff, descer do Rolls-Royce prateado 1953 e tomar o assento presidencial ainda quente", ilustrou. "Lula, ex-líder sindical, cuja meteórica ascensão quebrou o molde tradicional dos líderes políticos brasileiros, deixa para trás um país radicalmente transformado: os negócios estão crescendo e os sempre excluídos pobres estão deixando na ascendente."

Já o Financial Times se concentra sobre o futuro governo. Para o jornal de economia, Dilma toma o lugar de Lula prometendo a manutenção da prosperidade, mas com novas características. "(A transição) também aponta um estilo mais centralizado de governo, em que Dilma Rousseff vai atuar principalmente como um gerador e gestor de políticas públicas, ao invés de tomar o papel menos intervencionista adotada por Lula", entende o diário.

Na França, Dilma foi escolhida uma das 11 personalidades mais influentes do próximo ano pelo jornal La Tribune. O editorial volta a destacar, como também o fez o Parisien, o simbolismo da eleição de uma mulher, e afirma que "embora não seja a primeira mulher a presidir o destino de um país da América Latina, Dilma Rousseff é a primeira a coordenar o grande líder da região". Para o Les Echos, especializado em economia, Dilma terá de "frutificar e herança de Lula".

Já o Le Monde projetou os desafios da eleita: "Como toda iniciativa inacabada, a de Lula comporta sua parte de sombras, onde Dilma Rousseff enfrentará seus primeiros desafios", entende o maior diário francês, destacando o ensino medíocre, a saúde desigual, a violência das grandes metrópoles, a corrupção e o nepotismo e os problemas de infraestrutura que ameaçam a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

Por sua vez, o espanhol El País se concentrou ontem sobre a cerimônia de posse, destacando o fato de que 11 ex-guerrilheiras da geração de Dilma estarão presentes. "Dilma Rousseff, a cuja cerimônia anunciaram presença representantes de mais de 130 países (...), quis ter ao seu lado, em lugar de honra, 11 amigas ex-guerrilheiras que compartilharam com ela o cárcere durante a ditadura militar", diz o jornal.

Apesar da ampla repercussão midiática, a posse não terá a presença de nenhum líder político dos grandes países europeus. O maior representante do continente deve ser o português José Manuel Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia.


Formato: PDF
Tamanho: 24 MB

Afenganistão - Dezembro 2010

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Jornal O Dia em PDF, Sexta, 31 de Dezembro de 2010

Sérgio Cabral: ‘Podemos deixar um grande legado’
Rio - Prestes a entrar para a história como primeiro governador reeleito pelo povo para comandar o estado do Rio de Janeiro por dois mandatos consecutivos, Sérgio Cabral Filho (PMDB) faz um balanço de seus primeiros quatro anos no poder. Em entrevista exclusiva a O DIA, o governador fala sobre os planos para o futuro e anuncia a realização de novo concurso para a Polícia Militar em 2011. O objetivo é aumentar a tropa da corporação para garantir a instalação de novas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) no estado. Cabral, que toma posse amanhã, também falou sobre as medidas que pretende adotar para acabar com a crise na Educação e nos Transportes. Quando o assunto foi política, o governador anunciou seu candidato na disputa pela presidência da Alerj e falou sobre seu provável futuro sucessor no Palácio Guanabara.

Qual foi a principal marca do seu primeiro mandato de governador?

Acima das UPPs, UPAs (Unidades de Pronto-Atendimento), do Bilhete Único Intermunicipal, que foram grandes conquistas, eu diria que a principal marca deste governo foi a política de gestão que conseguimos implantar. Sem uma boa gestão nada seria possível. Foi isso que nos permitiu ter dinheiro em caixa, pagar os servidores no primeiro e no segundo dia útil do mês. Então, para mim, essa foi a base de todas as nossas conquistas: boa gestão.

Apesar das conquistas, alguns setores, como Educação, deixaram a desejar. Como mudar este quadro?

Isso é uma injustiça. A Tereza Porto (ex-secretária de Educação) fez um excelente trabalho. Mas Educação é uma área que dá resultados a médio e longo prazo. Quando assumimos, o magistério estava sem reajustes desde 1998. Nesses quatro anos procuramos resgatar o respeito ao professor com uma política salarial que, aos poucos, foi devolvendo algum poder aquisitivo ao magistério, mas que ainda está longe do ideal. Então houve já um progresso que vai se aprofundar ainda mais.

Então por que o senhor trocou a secretária de Educação depois da eleição?

Porque havia a necessidade agora de ter nesta área... A Tereza (Porto, ex-secretária) fez um trabalho muito bom de inclusão tecnológica. Com ela, nós saímos da Idade da Pedra. Se você conversar com qualquer professora, ela vai dizer que hoje tem laptop, laboratório de informática na escola. Mas agora precisamos continuar esse trabalho com um bom plano de metas. E o Wilson Risolia (novo secretário de Educação) tem mais o perfil para isso. Ele fez isso muito bem no Rio Previdência, que era uma instituição falida, e hoje é superavitária.

Como está a elaboração deste Plano de Metas?

Está indo bem. O Risolia está trabalhando no detalhamento do projeto, e nós esperamos lançá-lo no começo de janeiro, antes do início do período escolar

Formato: PDF
Tamanho: 25 MB

Revista Veja | 30 de Dezembro 2010 Edição 2197

Jornal O Estado de SP em PDF, Sexta, 31 de Dezembro de 2010

Lula fixa mínimo em R$ 540 e Dilma terá de arbitrar pressão no Congresso: O salário mínimo de 2011 será de R$ 540, apesar da pressão das centrais sindicais por R$ 580. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva já assinou uma Medida Provisória (MP) que entrará em vigor a partir de deste sábado, 1º, segundo anunciou nesta sexta-feira, 31, o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ela deve ser publicada hoje no Diário Oficial. Evitar que o valor seja elevado no Congresso Nacional será a primeira batalha da presidente eleita, Dilma Rousseff, no Legislativo. Embora os partidos da base governista tenham maioria, as discussões ocorrerão num clima de tensão pela disputa de espaço entre o PT e seu principal aliado, o PMDB. O presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, deputado eleito pelo PDT de São Paulo, já anunciou que fará uma emenda à MP, elevando o valor para R$ 580. Vai também propor o reajuste das aposentadorias acima do mínimo em 10%. "Lamento essa decisão do presidente Lula. Ele negociou durante todos os anos de seu governo e, no último, esqueceu de negociar. Perdeu a sensibilidade", comentou.

O presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, informou que as centrais têm três representantes no Congresso. Além de Paulinho, estarão lá o deputado Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho, eleito pelo PT de São Paulo e ligado à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Roberto Santiago (PV-SP), vice-presidente da UGT. "É um tripé que funciona sintonizado", disse Patah. "Eles são nossos instrumentos."

Partiu de Dilma a orientação para a equipe econômica não negociar nenhum valor acima dos R$ 540 propostos pelo governo, o que equivale a um reajuste de 5,88%. Ela quer priorizar investimentos, por isso não pode permitir o crescimento de outros grupos de despesa. A determinação em conter esse gasto é vista pelos analistas de mercado como um sinal que ela vai, de fato, ajustar as contas públicas.

"Com R$ 540 de salário mínimo nós não teremos uma pressão tão grande na Previdência. Então esse é um primeiro dado positivo fiscal para o ano de 2011", frisou Mantega.

Porém, o próprio Lula deixou a porta aberta para a sucessora conceder algum aumento extra ao piso salarial. Na segunda-feira, ele já havia adiantado que assinaria a MP fixando o valor em R$ 540. "Se houver alguma mudança, Dilma é que fará em janeiro", acrescentou.

A pressão no Congresso será forte. Os parlamentares já reservaram R$ 6 bilhões no Orçamento de 2011 para acomodar algum aumento extra para o salário mínimo, segundo observou Paulinho. "Vamos ter que brigar no Congresso e abrir uma nova negociação com o governo." Ricardo Patah observou que os parlamentares não terão como posicionar-se contra uma elevação do mínimo, se eles acabaram de reajustar os próprios vencimentos em 62%.

Mantega explicou que o mínimo de R$ 540 respeita a fórmula de reajuste utilizada nos últimos anos, negociada com as centrais, que leva em conta o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes, somado à inflação do ano anterior. Como a economia brasileira recuou 0,6% em 2009 por causa da crise, a recomposição do piso salarial em 2011 não dará um ganho real para os trabalhadores, apenas vai repor a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). "É o menor aumento real em 15 anos, nem Fernando Henrique deu menos", criticou Paulinho.

O ministro argumentou que nos oito anos do governo Lula o mínimo cresceu mais do que em outros períodos da história. "Portanto, o presidente cumpre a promessa de valorizar o mínimo, estabelecendo uma nova política", disse. "Para o ano que vem (2011) será R$ 540, mas em compensação já sabemos que para o ano seguinte, em 2012, o salário mínimo se beneficiará desse aumento de mais de 7,5% do PIB este ano", afirmou o ministro.

Formato: PDF
Tamanho: 20 MB
Download - Hotfile

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Imagens engraçadas/curiosas - 29/12/2010

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Super Streetbike - Janeiro 2011 PDF for iPad/PC


FAIL Compilation 2010 || Best Fails of the Year

A beleza da Pixar

Jornal O Dia em PDF, Quarta, 29 de Dezembro de 2010

Réveillon de Copa sem churrasco nem ‘farofa’
Prefeitura proíbe acampamento na areia. Mais de 6 mil PMs atuarão no estado - Rio - Com 36 barreiras ao longo da orla para conter ambulantes irregulares, a prefeitura montará um cinturão contra a desordem no Réveillon de Copacabana: não será permitido churrasquinho nem acampar na areia. Um microônibus da PM dará apoio ao Choque de Ordem, no combate a flanelinhas e estacionamento irregular. Além dos 983 agentes do município, a PM contará com 1.350 homens. Ao todo no estado, atuarão no Réveillon 6.717 policiais militares, número 5% maior que o efetivo de 2009: 336 homens, 1.208 viaturas e três helicópteros a mais.

Ontem, a principal atração da Virada em Copacabana, Daniela Mercury, fez ensaio em Vigário Geral. No mar de Copa, começaram a ser feitas oferendas aos orixás enquanto, no calçadão, quiosques já oferecem aluguel de mesa até na areia para assistir ao show. O valor é salgado: lugar para 4 pessoas, sem bebida nem comida, sai por R$ 200. A Secretaria de Ordem Pública esclarece que o serviço na areia é proibido e os donos de quiosques serão multados, já que a orla é área de proteção.

Também não será permitido montar barraca para garantir lugar perto do palco. No show de Roberto Carlos, dia 25, foram apreendidas 50. A diária do depósito custa R$ 158,19. Carros rebocados serão levados para o 23º BPM (Leblon) e poderão ser retirados até as 17h do dia 1º.

Outra recomendação da prefeitura é que a ceia seja levada pronta de casa. Churrasco e fritura feitos na hora serão coibidos mesmo se for para consumo próprio. O cerco será fechado também para os ambulantes, que não poderão usar faca. Dono de barraca há mais de 30 anos, Mário Norberto, 57, torce para que a fiscalização reduza a concorrência. Ele prevê lucro de R$ 1,5 mil por noite: “As cadeiras que alugo por R$ 3 custam R$ 10 no Réveillon. Isso porque o preço do gelo e dos funcionários também dobra”.

Confira as regras da festa

NA AREIA
Não será permitido acampar em barraca para garantir lugar na areia. O material será apreendido. Também é proibido alugar mesas e cadeiras nas areias: nesse caso, donos de quiosques serão multados.

COMIDA
Não pode cozinhar na praia, nem para consumo próprio. Churrasco, queijo e frituras serão coibidos. Sanduíches devem ser levados prontos e frutas, cortadas e embaladas. São permitidos biscoitos industrializados e sorvetes embalados.

BEBIDAS
Pode levar bebida em embalagem de vidro, mas só para consumo próprio. Podem ser vendidas em latas e embalagens plásticas. Também vale coco verde e mate de galão.

SUVENIR
Objetos como bijuterias, brinquedos de plástico e acessórios de praia (guarda-sol, boné, protetor solar) estão liberados.

CENTRO DE OPERAÇÕES
Além dos 36 bloqueios, o Choque de Ordem terá um centro de operações no calçadão da Av. Atlântica com a R. República do Peru.

Formato: PDF
Tamanho: 27.8 MB

O ano de 2010 em fotos - Parte 021/03

Jornal O Estado de SP em PDF, Quarta, 29 de Dezembro de 2010

WikiLeaks revela que EUA associam Brasil ao tráfico de drogas: WikiLeaks põe Brasil na rota da droga
Embaixada dos EUA em La Paz estima que, em apenas dois meses de 2009, 175 aviões suspeitos de carregar cocaína saíram da Bolívia com destino ao território brasileiro; Brasília também expôs receio de vínculos entre governo boliviano e traficantes - Para a diplomacia americana, o Brasil é peça central na rota do tráfico de drogas no mundo, segundo uma série de telegramas enviados de diversas embaixadas dos EUA e vazados pelo WikiLeaks. Os documentos ainda mostram como o Itamaraty estaria "preocupado" com a "conexão entre o governo boliviano e os produtores de coca" e revela dados alarmantes sobre o volume do tráfico entre Bolívia e Brasil.

O Estado mostrou ontem como a droga que sai do Brasil estaria ajudando a financiar as atividades da Al-Qaeda no Magreb. Agora, os telegramas indicam que as rotas são ainda mais complexas e o Brasil, para muitos traficantes, tornou-se o caminho para permitir que a droga chegue à Europa, EUA e Ásia.

Uma das preocupações centrais dos americanos refere-se ao governo do boliviano Evo Morales. Os documentos mostram um debate que chegou a contaminar a eleição presidencial brasileira: o suposto envolvimento de autoridades no tráfico.

Em um telegrama de 19 de fevereiro, o governo americano diz que o Itamaraty vê com grande preocupação a relação entre o governo boliviano e os produtores de coca. Em uma reunião entre o embaixador americano no País, Thomas Shannon, e a subsecretária de Política da chancelaria, Vera Machado, a brasileira não esconde o temor.

"(Vera) Machado acredita que a situação na Bolívia se estabilizou, mas se mantém preocupada sobre as conexões entre o governo e os produtores de coca", registra Shannon. "Ela (Vera) admitiu a ameaça para a região do tráfico de drogas, mas identificou como principal fonte o problema do consumo nos países ricos", disse.

Telegramas da Embaixada dos EUA em La Paz dão uma demonstração de como o Brasil de fato tem motivos para estar preocupado. Em 17 de dezembro de 2009, um telegrama estima em 175 o número de aviões suspeitos de carregar cocaína que cruzaram a fronteira entre Bolívia e Brasil em apenas dois meses.

Autoridades americanas teriam traçado um cenário sombrio a diplomatas americanos: "A falta de controle sobre seu espaço aéreo resulta em praticamente uma liberdade total para o narcotráfico."

Mas, em outro telegrama, de julho de 2010, o presidente do Senado boliviano, Oscar Ortíz, prefere colocar a culpa no Brasil. Em conversa com o embaixador Shannon, Ortíz "lamentou o aumento do tráfico de drogas e o fato de brasileiros e a União Europeia tolerarem isso".

Via Maputo. Mas não é apenas a droga direcionada à Europa que passa pelo Brasil. Em um telegrama de 16 de novembro de 2009, a embaixada americana da capital moçambicana, Maputo, informa Washington como "a rota principal para a cocaína por via aérea que chega em Maputo vem do Brasil".

Segundo a informação, a queda no volume de droga confiscada no aeroporto de Maputo nos últimos meses não seria motivada pela redução do tráfico, mas pelo aumento do controle da polícia e das autoridades de imigração. "Domingos Tivane, o diretor da Aduana, está diretamente envolvido em facilitar o transporte da droga", acusa o telegrama americano.

Parte importante do tráfico seria feito pelo empresário Mohamed Bashir Suleiman, que usaria ainda o porto de Dubai e contêineres com televisão e mesmo carros para esconder a droga. Segundo os americanos, ele teria conexões na Somália, Paquistão, América Latina e Portugal.

O telegrama ainda revela que Suleiman "tem uma relação próxima com o ex-presidente de Moçambique Joaquim Chissano e o atual presidente, Armando Guebuza". "A corrupção endêmica em Moçambique leva a uma situação em que traficantes de drogas têm acesso livre ao país", aponta o telegrama.

Ainda de acordo com o documento, a Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo) - movimento histórico que libertou Moçambique do colonialismo português - "esconde o nível de corrupção da imprensa e da comunidade internacional".

Formato: PDF
Tamanho: 20 MB
Download - Hotfile

Hustler - Março 2011

Webuser - 30 Dezembro 2010

O ano de 2010 em fotos - Parte 01/03

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Imagens engraçadas/curiosas - 28/12/2010

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Download_Caetano_Veloso_–_Que_De_-_Lindo_2010

Finalmente Caetano Veloso lançou o último volume de seu box “Quarenta anos Caetanos” – agora já são 43 anos de carreira –, com direito ao CD bônus “Que de-lindo”. Como o disco agrega músicas que não fazem parte dos álbuns oficiais do artista baiano entre 1995 e 2007, há poucas raridades de verdade no pacote. A luz de Tieta” (do filme “Tieta”, de 1996, em dueto com Gal Costa), “Céu de Santo Amaro” (lançada originalmente no álbum “Por que não tínhamos bicicleta?”, de Flávio Venturini) e “Maluco beleza”, do CD “Uma homenagem a Raul Seixas – O baú do Raul” (2004). Enfim, “Que de-lindo” consegue, com êxito, organizar um pouco a obra esparsa de Caetano.

Lista de Músicas

01 A Luz de Tieta - Part. Gal Costa
02 Vestido de Prata - Part. Margareth Menezes
03 Machado de Xangô
04 Faixa de Cetim
05 Céu de Santo Amaro - Part. Flávio Venturini
06 Merica, Merica
07 Pedra de Responsa - Part. Alcione
08 Vá Morar Com o Diabo - Part. Riachão
09 O Calhambeque (Road Hog)
10 Maluco Beleza
11 Meus Telefonemas - Part. Negra Li
12 Lua de São Jorge - Part. Olodum
13 Que De-Lindo (It's De-Lovely)
14 Cheek To Cheek - Part. Cauby Peixoto
15 Boa Palavra - Part. Maria Odette
16 O Fundo - Part. João Donato
17 O Canto de Dona Sinha - Part. Maria Bethania
18 Voce Não Me Ensinou a Te Esquecer
19 Ó Pai Ó - Part. Jauperi
20 Margarida Perfumada (Ao Vivo) - Part. Tmbalada

Cycle World - Fevereiro 2011

Jornal O Dia em PDF, Terça, 28 de Dezembro de 2010

A nova musa do Rei Roberto Carlos:
Rio - Desde o fim do especial de Natal de Roberto Carlos, só se fala dos elogios rasgados do Rei à cantora Paula Fernandes, que participou da festa. Quem assistiu ao show na Praia de Copacabana se pergunta: afinal, quem é essa morena? A mineira de Sete Lagoas pode não ter o rosto conhecido pelo grande público, mas a voz já esteve em diversas trilhas sonoras de novelas da Globo, incluindo ‘Escrito nas Estrelas’, em que cantou o tema de abertura ‘Quando a Chuva Passar’, e ‘Araguaia’, em que canta com Leonardo. “Já fiz várias músicas, as pessoas reconhecem minha voz, mas não sabem como eu sou”, admite a bela cantora de música sertaneja. Antes desse caminho televisivo, Paula, que gravou seu primeiro disco aos 10 anos, tentou alavancar a carreira em São Paulo por sete anos, mas acabou voltando para Belo Horizonte, onde cantou em barzinhos até ser descoberta pelo produtor musical Marcus Viana, que a ajudou a entrar na novela ‘América’, cantando ‘Ave Maria’.

Paula conheceu o Rei na gravação do DVD ‘Emoções Sertanejas’. Ele gostou tanto dela, que a moça foi convidada por Roberto para cantar no show do centenário do Corinthians. “Nos bastidores da gravação do ‘Emoções’, ele me disse que conhece muitos artistas que têm talento, mas talento com personalidade era difícil”, conta uma envaidecida Paula, que se prepara para lançar, em janeiro, o primeiro DVD, ‘Paula Fernandes Ao Vivo’, gravado em São Paulo.

Um romance entre Paula e Roberto é desmentido pelos dois: “Ando trabalhando demais, sem tempo para namorar. Ele é encantador, me respeita profissionalmente e como mulher, o que me faz admirá-lo ainda mais”, garante ela.

Em entrevista coletiva para apresentar o cartão de crédito Credicard Emoções, ontem, no Rio, o Rei afirmou: “A Paula é uma cantora de muito talento, bonita e atraente, mas nós não temos nada além de uma amizade”. Perguntado se namoraria a moça, foi direto: “Quem não namoraria?”

O cartão de crédito será lançado no dia 19 de abril de 2011, quando Roberto completa 70 anos. Ele vai dar facilidades como pré-venda para os shows, com uma versão pré-paga para quem não tiver crédito aprovado.

Ele vai sambar na Sapucaí

Apesar das dores que sentiu na apresentação do dia 25, Roberto garante que não vai ficar sentado no desfile da Beija-Flor de Nilópolis, que no Carnaval de 2011 homenageia o cantor. “Não! Desfilar sentado de jeito nenhum, tem que ser em pé e sambando”, garante ele.

O Rei conta que caiu quando estava desmontando seu triciclo Bombardier. “Pisei em falso e aí pincei o nervo ciático. Não foi a primeira vez, aliás. Então me afetou muito a parte do joelho e isso me fez fazer o show, ou boa parte dele, sentado, porque dói um bocado”, explicou ele, que anda de triciclo há um ano. “É uma coisa muito gostosa, que eu sempre quis fazer, aí me atrevi e me aconteceu isso agora, três dias antes do show”.

Roberto diz que tomou “litros” de analgésicos e fez um “intensivo” de fisioterapia antes do show em Copacabana. O tratamento continua. “Quero ficar pronto para o Carnaval e para o navio”, anima-se, referindo-se ao cruzeiro Emoções em Alto-Mar, que acontece entre 12 e 16 de fevereiro. Ele está nervoso com o desfile na Sapucaí: “É uma das maiores consagrações da minha vida.”

Outro comentário foi o de um romance com a rainha de bateria da Beija-Flor, Raíssa Oliveira. “Tô vendo que tô bem na foto”, brincou o Rei. “A Raíssa é uma menina linda, maravilhosa. Sambando ela é fantástica, ela é uma artista no que faz, não à toa que é rainha da Beija-Flor. Mas somos amigos”, jura.

Formato: PDF
Tamanho: 27.6 MB

Heineken - A entrada

Jornal O Estado de SP em PDF, Terça, 28 de Dezembro de 2010

Lula diz ter 'ideia fixa' de que Dilma será candidata à reeleição em 2014: A cinco dias de deixar o governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tentou nesta segunda-feira, 27, desfazer o mal-estar causado pela declaração de que poderia disputar um terceiro mandato em 2014, escanteando as ambições da presidente eleita, Dilma Rousseff. Em café da manhã com jornalistas, no Palácio do Planalto, ele disse que fará campanha pela reeleição da petista.
"Trabalho com a ideia fixa de que a nossa companheira Dilma será outra vez a candidata a presidente da República", afirmou Lula. "É justo e legítimo que quem está no exercício do mandato e está fazendo um bom governo continue governando. A Dilma será minha candidata." Na conversa, Lula disse que Dilma só não disputará a reeleição se não quiser. "Ela sabe disso", ressaltou. "Só existe uma hipótese na qual Dilma não seria candidata à reeleição: ela não querer ser. Mas, na minha opinião, é líquido e certo o direito de ela ser candidata à reeleição."

Em entrevista na semana passada, Lula deixou claro que poderá disputar a Presidência. A afirmação causou constrangimentos na própria equipe de governo. Ontem, ele atribuiu aos adversários o debate sucessório. "Isso interessa a quem quer correr contra a Dilma", afirmou. "Cabe a quem está no governo governar e não ficar preocupado com pauta de 2014."

Estranha. Lula ressaltou que Dilma não será uma "pessoa estranha" no Planalto. "Ela sabe onde está a cadeira, conhece as pessoas, sabe quem são os governadores, quem é boa parte dos ministros", disse. "Penso que ela terá uma vida mais facilitada do que eu tive em 2003. Era novidade lidar com a imprensa e os ministros, conhecer o palácio."

Na entrevista, o presidente foi questionado se seria copiloto de Dilma Rousseff. "Não. Ficarei na torcida, na arquibancada."

Lula se esforçou para dar um clima de descontração ao encontro. Ao abrir uma caixinha de manteiga, contou que pediu ao Inmetro que analisasse as embalagens. "No Brasil, as embalagens de manteiga não tinham isso. Um dia peguei no avião e mandei para o Inmetro. Um relatório mostrou que nenhuma empresa tinha o requisito necessário para facilitar a abertura da manteiga", relatou. "Mas tem umas que a gente é obrigado a pegar o garfo e furar."

Memorial. O presidente deixou escapar que ainda sente mágoas da oposição e da imprensa. Disse que vai precisar de tempo para escrever suas memórias. "Você não está preparado para fazer um livro no dia seguinte. Você está com mágoa. É preciso dar um tempo. Imagina se um marido e uma mulher no dia seguinte à separação resolvem escrever um livro? Vai ser um desastre. Você tem que deixar o ódio se assentar."

Embora tenha usado palavras fortes, Lula fez esses comentários com o semblante tranquilo e observou que Juscelino Kubitschek (1956-1960) foi bastante criticado durante seu governo. "Ele todo o santo dia era chamado de corrupto e ladrão. Depois de um tempo, reconheceram a importância dele."

Lula disse ainda que pretende trabalhar na construção de um memorial que permita a todas as pessoas fazerem uma análise própria do que representaram seus oito anos de governo. "Eu pretendo fazer isso devagar. Nada apressado."

OUTROS TRECHOS DA ENTREVISTA

TERCEIRO MANDATO. "Em vez de democracia, você faria uma ditadurazinha. Eu acredito na alternância de poder, pois é preciso ter sangue novo, com pessoas com cabeça para fazer coisas novas. É por isso que eu não pleiteei."

SOLIDÃO. "Ela não deveria existir quando você está no poder, porque você está cercado de gente toda hora. Quando me refiro à solidão, me refiro aos fins de semana, em que você não pode convidar pessoas a irem à sua casa. Você não pode convidar empresários, ministros e amigos para o fim de semana com você. Vou convidar um amigo de São Bernardo e outro vai saber que não o convidei. Então, arrumei um amigo e um inimigo."

Formato: PDF
Tamanho: 22.6 MB

Natal ao Redor do Mundo

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Jornal O Dia em PDF, Segunda, 27 de Dezembro de 2010

Show de superação da dor esgota Roberto Carlos:
Rei só confirmou que cantaria horas antes e caiu no choro após apresentação - Rio - Emoções não faltaram no primeiro show de Roberto Carlos na Praia de Copacabana. Com fortes dores no joelho esquerdo — fruto de queda de moto há seis meses —, o Rei só decidiu que iria se apresentar quatro horas antes de subir ao palco. Para suportar o sofrimento, ele teve que ficar quase o tempo todo num banquinho. Mesmo abatido, deu um banho de talento. “Tudo fica mais difícil quando se passa dos 35 anos, e eu passei há algum tempo. Sofri um pequeno acidente de motocicleta e, por isso, estou com problema no joelho e não vou conseguir fazer o show todo em pé”, explicou o cantor, um eterno apaixonado por velocidade.

Durante a semana, Roberto teria passado a maior parte do tempo de cama, com muitas dores. Ele não participou de ensaios e até adiou a entrevista coletiva. No sábado, dois médicos o acompanharam até Copacabana. No fim do show, ao deixar o palco debilitado, o cantor teria caído no chão, chorando.

Mas a dor não ofuscou o brilho do ídolo. Ao longo da apresentação, os galanteios de Roberto com suas convidadas causaram sensação. A cantora sertaneja Paula Fernandes foi alvo de calorosos elogios do Rei. “Quero chamar uma cantora que tem um estilo muito peculiar, está fazendo sucesso e além de tudo é linda. Ninguém nunca vai confundir a voz dela com a de ninguém” derreteu-se.

De vestido curto com babados, Paula se apresentou sentada ao lado do Rei e precisou ficar com as pernas cruzadas o tempo todo. Juntos, cantaram sucessos da Jovem Guarda. Entre o público, não foram poucos os comentários sobre um possível flerte. Na saída, Roberto voltou a elogiar a moça: “Ela tem um estilo próprio, muito especial. Ninguém vai confundir a Paula com outra cantora. Ouçam o que estou dizendo”.
O talento da jovem também chamou atenção dos artistas presentes. “Essa menina, além de bonita e talentosa, é uma simpatia. Paula mostrou muita desenvoltura no palco”, disse Neguinho da Beija-Flor, que, no show, presenteou o Rei com bandeira da escola de Nilópolis com a frase ‘Como é grande o nosso amor por você.’

Rainha de bateria da agremiação, Raíssa Oliveira — que voltou a exibir o visual moreno e um corpo turbinado após lipoaspiração e silicone nos seios — também despertou olhares de Roberto. “Foi emocionante. Ficamos satisfeitos em poder homenageá-lo. Mas o único clima que rolou foi o de alegria”, garantiu.

Musa sertaneja já foi premiada

Morena de 25 anos, Paula Fernandes é mineira de Sete Lagoas.Com uma voz poderosa e beleza estonteante, a cantora e compositora revelação da música sertaneja realizou pela segunda vez o sonho de cantar com o Rei. Em março, Paula participou do DVD ‘Emoções Sertanejas’, gravado no Ginásio do Ibirapuera, São Paulo, em comemoração aos 50 anos de carreira de Roberto Carlos.

Com dois discos gravados, a jovem, que começou sua trajetória aos 8 anos e teve o primeiro trabalho independente lançado aos 10, possui na bagagem composições incluídas nas trilhas das novelas ‘Pantanal’, ‘O clone’, ‘Paraíso’ e da minissérie ‘A casa das sete mulheres’.

Em 2006, a morena foi indicada ao Prêmio TIM de Música Brasileira na categoria Melhor Cantora, com ‘Canções do Vento Sul’.

Formato: PDF
Tamanho: 22 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Segunda, 27 de Dezembro de 2010

Governo admite que fronteiras estão vulneráveis:
Estudo oficial alerta para abandono e vulnerabilidade das fronteiras do País. Trabalho de 140 páginas assinado por grupo ligado ao Ministério da Integração Nacional registra a forte presença do tráfico de drogas e do contrabando nessas regiões e propõe 34 medidas, incluindo reforço de segurança e medidas para atrair profissionais - A poucos dias do fim do mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o governo concluiu o estudo sobre os problemas encontrados na faixa de fronteira do País. Em 140 páginas, o trabalho constata a conhecida vulnerabilidade das extensas áreas (15,7 mil quilômetros) ao contrabando e ao tráfico e exibe a carência de políticas públicas específicas para essas localidades. O relatório foi preparado pelo Grupo de Trabalho Interfederativo de Integração Fronteiriça e entregue ao presidente neste mês. Teve coordenação do Ministério da Integração Nacional e propõe 34 medidas para tentar reagir aos problemas encontrados. As propostas incluem desde os óbvios pedidos de reforço de efetivo policial e de capacitação de agentes, fiscais e outros profissionais para atuar em ações específicas até a criação de gratificações especiais para incentivar profissionais a se interessarem pelo trabalho nessas regiões.

Foi considerado prioritário o aumento de infraestrutura de transporte rodoviário, ferroviário, hidroviário e aéreo na faixa de fronteira, especialmente nas isoladas áreas da região Norte do Brasil.

Além disso, outra prioridade defendida é a de implementar a infraestrutura hospitalar - quase sempre mínima ou inexistente nesses locais.

O grupo de trabalho ainda sugere a legalização do processo de contratação de médicos e de outros profissionais de países vizinhos, mas apenas para operação nesses locais, e a criação de escolas bilíngues.

A ampliação dos horários de funcionamento das aduanas vem como proposta para tentar aumentar o combate ao contrabando. Além disso, é sugerida a criação de um regime especial ou diferenciado para exportações e importações entre micro e pequenas empresas. Segundo o estudo, essas empresas hoje não conseguem operar por conta dos "requisitos legais e cadastrais aplicados de forma igualitária às médias e grandes empresas".

Armas e drogas. Os problemas nos cuidados da enorme extensão da faixa de fronteira brasileira se refletem em situações cotidianas, como a entrada ilegal de armas e drogas que chegam aos grandes centros urbanos. A faixa abrange 588 cidades, espalhadas por 11 Estados, envolvendo cerca de 10 milhões de habitantes.

Uma característica especial desse vasto território é a presença das chamadas cidades-gêmeas. Na prática, são cidades vizinhas, separadas apenas pela fronteira entre os países. Em alguns casos, isso se resume ao simples gesto de atravessar uma rua.

O estudo do governo mostra que, se as cidades-gêmeas podem ajudar na desejada integração da faixa de fronteira, representam também um caminho de acesso ao Brasil para o tráfico e para o contrabando. "Estas também servem de porta de entrada de produtos ilícitos de diversas naturezas e de saída de recursos naturais e minerais, explorados sem controle e ilegalmente, gerando danos ao meio ambiente", cita o documento.

Além disso, em várias situações, o chamado "fluxo financeiro e econômico não desejável" acaba tendo a tolerância de governos vizinhos.

"Cabe lembrar que nem todos os fluxos financeiros e econômicos observados ao longo da zona de fronteira representam situações desejáveis, na medida em que algumas relações ocorrem à margem da lei. Contudo, tratam-se de características do desenvolvimento dessas regiões que acabam por requerer um olhar especial do poder público, no sentido de modificar os incentivos econômicos e promover a adequação das economias locais aos limites da legislação", descreve o relatório.

Hoje não tem o carderno LINK

Formato: PDF
Tamanho: 20.8 MB

Amateur Photographer - 25 Dezembro 2010 UK PDF for iPad/PC

domingo, 26 de dezembro de 2010

A vida do dentista Eduardo de Andrade Porto

Publicada: 26/12/2010
Fotos: Divulgação

Eduardo de Andrade Porto nasceu a 13 de setembro de 1931, na cidade de Nossa Senhora das Dores / Sergipe. Seus pais: Edson de Figueiredo Porto e Maria Nair de Andrade Porto. Iniciou os estudos em Nossa Senhora das Dores, o ginásio no Colégio Salesiano e o curso científico no Colégio Tobias Barreto.

Dos momentos de infância e adolescência vividos em sua cidade natal, Nossa Senhora das Dores, relembra com saudades os banhos no açude, que segundo ele é um dos principais
atrativos daquela cidade e que deveria ser melhor explorado turisticamente.

A escolha pelo curso de odontologia, foi uma opção pessoal, incentivado pelo cunhado José Rocha Sobrinho, a quem muito admirava e respeitava.

Naquela época, início da década de 1950, a faculdade de odontologia ainda não existia em nosso
Estado, daí resolve prestar vestibular na Universidade Federal da Bahia, logrando êxito na primeira tentativa e concluindo o curso em 13 de dezembro de 1956.

Desse período, costuma sempre relembrar como era diferente o processo seletivo do vestibular, que além das provas escritas (não tinham questões objetivas), também era necessário prestar exame oral, o qual era rigorosamente analisado por uma banca examinadora.

Dentre os professores da faculdade, comenta que foi aluno do pai de Irmã Dulce, Dr. Augusto Pontes, e lembra, com saudades, do diretor da faculdade e mestre José Vicente Torres Homem.
Já formado e residindo em Aracaju, lecionou ciências, por muitos anos, na então Escola Normal, hoje Instituto de Educação Rui Barbosa. Naquela época, a Escola Normal era restrita a estudantes do sexo feminino, e com orgulho, comenta a respeito de muitas de suas alunas que
se destacaram na vida profissional e pessoal.

Ao concluir o curso de odontologia, instalou o seu primeiro gabinete odontológico em sua cidade natal, Nossa Senhora das Dores. Posteriormente, veio morar na capital, e aqui teve seu consultório localizado no primeiro trecho da Rua São Cristóvão. Depois, já casado, transferiu o consultório para a própria residência, situada à Rua Arauá, 688. Mais tarde, com o surgimento dos filhos e uma clientela crescente e consolidada, resolveu instalar-se no Edifício Mayara, 1º andar, esquina dos calçadões das ruas João Pessoa e Laranjeiras.

Ao todo, foram mais de 25 anos dedicados ao exercício da profissão, a qual sempre exerceu com extrema dignidade e reconhecida competência. Além do consultório particular, também clinicou, para a Associação dos Plantadores de Cana, no hospital em Riachuelo, e como dentista do Funrural na cidade de Nossa Senhora do Socorro.

Também exerceu a profissão, até se aposentar, como dentista do Estado, prestando serviços profissionais à Secretaria da Saúde, sendo por muitos e muitos anos, lotado na penitenciária estadual. Sobre o tempo que atendeu na penitenciária, quando os familiares, apreensivos, o questionavam sobre o risco do exercício da profissão naquele local, ele costumava dizer: "Não tenho medo dos que lá estão, perigosos são os que estão soltos, infiltrados na sociedade em que vivemos".

Ainda sobre a profissão, costuma ressaltar que foi o primeiro dentista a instituir o atendimento com horário marcado em Aracaju, porém, não atendia ao público infantil. Durante o período em que exerceu a profissão, nunca se adaptou a trabalhar sentado, como consequência, surgiram as dores na coluna o que acelerou o processo de aposentadoria do exercício da profissão.

Quando não estava trabalhando, sempre gostava de realizar mais de uma atividade. Foi assim que, ainda clinicando, descobriu o gosto pela construção civil, uma verdadeira paixão.

Compartilhava seu tempo entre o exercício da profissão de dentista e o de construtor. Após o término de cada jornada diária no consultório, seguia com lanterna em punho, para inspecionar, com imenso prazer, os trabalhos realizados na obras civis que conduzia.

Outra atividade que desempenhou totalmente distinta às que já exercia, foi a de diretor do Detran-SE, durante o governo do Dr. Paulo Barreto de Menezes. Faz questão de lembrar que foi ele quem instalou o primeiro quebra-molas na cidade de Aracaju, situado no cruzamento da rua Lagarto com a Av. Stanley Silveira, praticamente eliminando os frequentes acidentes que aconteciam naquele cruzamento.

Ainda no contexto das atividades diversas, também realizou o curso da Escola Superior de Guerra e foi membro da Loja Maçônica Cotinguiba.

Durante longos anos na década de 70, foram muito comuns as reuniões (chamadas de senadinho) realizadas à noite, nos jardins de sua residência à Rua Arauá, e como presença cativa, estavam lá, dentre outros: Dr. Ascânio Ferrário de Almeida (amigo de longas datas), Luciano Monteiro Sobral (cunhado e amigo de todas horas) e o saudoso e inesquecível professor Marcos Pinheiro Monteiro, do colégio CCPA, primo de sua esposa, a quem adotou como irmão do coração e por quem sempre nutriu o mais profundo respeito e admiração.

Fruto dessa sólida e recíproca amizade com o professor Marcos Pinheiro, ele tem como um dos maiores orgulhos de sua vida, ter sido o responsável pela construção das instalações do colégio CCPA, no bairro Jardins, inclusive com a construção de uma piscina com dimensões semi-olímpica, em terreno de difícil compactação, o que era um desafio para os recursos disponíveis naquela época.

Homem de hábitos simples, não acumulou riquezas ao longo de sua trajetória, mas construiu com muito trabalho, dignidade e acima de tudo honestidade, uma condição de vida que lhe permitiu, a partir dos 60 anos de idade, usufruir uma vida simples e tranquila cuja atividade principal era ir, diariamente, ao calçadão da Rua João Pessoa, que ele costuma chamar de escritório, enquanto outros preferem chamar de Boca Maldita, para contar e ouvir anedotas e histórias com um pequeno grupo de amigos. “Ali se fala de tudo e de todos. Foi lá que estreitei o laço de amizade com o inesquecível companheiro de prosas, o Sr. Pedro Guerra, então
proprietário de uma casa lotérica, situada no calçadão da rua Laranjeiras e a partir de então, constitui o grupo de amigos que frequentava o chamado escritório do calçadão”.

Já nessa fase da vida, conheceu também um novo amigo, o Sr. José Prata Goes (Zé Rico),
tradicional comerciante de Aracaju, com quem consolidou uma forte e sincera amizade, ao ponto do Sr. Zé Rico dizer que lamentava muito que eles não tivessem se conhecido há mais tempo.
Chegou a ser convidado para fazer parte do grupo de professores que constituiu o curso de odontologia da Universidade Federal de Sergipe, FS, mas declinou do convite.

Desde o ano de 1976, quando se mudou da Rua Arauá para a Rua Dom Bosco, em substituição às reuniões do senadinho, que a essa época, alguns de seus componentes já haviam falecido, ficou instituído as reuniões de domingo à noite, com presença sempre constante do casal, dos filhos e noras, do primo-irmão Marcos Pinheiro e, com certa frequência, o estimado sobrinho Ricardo Hagenbeck Sobral. Até hoje, a família cultiva o hábito dessas reuniões, mesmo já estando Dr. Eduardo, com a saúde muito debilitada, consequência de câncer no intestino com metástase hepática. Ainda assim, impressiona a todos a abnegação e carinho, dispensados por sua esposa Lourdes Maria, companheira fiel e sempre presente em todos os momentos, mãe exemplar e admirada por todos.

Nega que torce por algum time, mas segundo os filhos, que são torcedores do flamengo (Marcio e Carcio) e do fluminense (Eduardo), é notável a queda que o pai tem pelo Vasco, e costuma cair na gargalhada, quando vê os filhos discutindo e defendendo, cada um, o seu time do coração.

Depoimentos dos filhos sobre o pai: “Sem dúvidas, os principais valores de nosso pai, são a honestidade e a sinceridade. Sobre a honestidade, não existe uma pessoa sequer, desde os mais humildes trabalhadores da construção civil, para os quais sempre dispensou especial atenção e acolhimento, passando pelos inúmeros clientes do consultório, familiares, amigos ou mesmo qualquer pessoa que com ele tenha efetuado algum tipo de transação, que exista algo que possa depor contra a sua ilibada conduta. Para ele, a honestidade sempre foi a base de tudo, e isso ele nos ensinou muito bem. Outra característica marcante de nosso pai, é a sinceridade, nunca se furtou de expressar seu ponto de vista sobre qualquer assunto que julgasse pertinente. Essa característica, lhe rendeu muitos desafetos ao longo de sua existência, mas jamais prescindiu de expressar suas convicções.

Sobre religiosidade, nosso pai sempre se declarou agnóstico, temente a Deus como uma força suprema, inexplicável e inalcançável. Avesso a todo e qualquer tipo de religião, costuma dizer que a Deus nada se deve pedir, e sim, sempre agradecer.

Quanto à morte tem a seguinte definição: "A morte é como um sono profundo, sem sonhos e sem fim."

É casado com a farmacêutica química Lourdes Maria Sobral Porto. Se conheceram na Universidade Federal da Bahia, onde ambos estudavam, ele odontologia e ela farmácia.

Casaram-se em 22 de janeiro de 1961, na Igreja Matriz de Laranjeiras, terra natal de sua esposa. Fruto dessa união nasceram seus três filhos: Eduardo, Marcio e Carcio. Segundo o casal, a maior fortuna que possuem. Esses filhos lhes proporcionaram 5 netos: Marcinho, Dulciana, Erick, Luciano e Carcinho, que juntamente com as noras: Marta Simone e Jaqueline, constituem o núcleo da família.

Eduardo de Andrade Porto faleceu na última quinta-feira, 23, às 17 horas e foi sepultado na sexta, 24, em sua terra natal.
Fonte: Jornal da Cidade

Jornal O Dia em PDF, Domingo, 26 de Dezembro de 2010

Roberto Carlos emociona o público em Copacabana:
Com problemas no joelho, o Rei fez show sentado. Alguns fãs chegaram às 5h da manhã - Rio - 'Um milhão de amigos’ lotaram a Praia de Copacabana na noite de Natal para acompanhar de perto o show do cantor Roberto Carlos. Exibido pela Globo, o show deveria ter sido ao vivo, mas só foi transmitido meia hora depois de ter começado. Roberto subiu ao palco às 21h50, agradeceu e cantou ‘Emoções’. “Que prazer rever vocês. Mais uma vez aqui no Rio, mas a primeira nessa praia maravilhosa. Fazer esse show é meu melhor presente de Natal”, disse Roberto, que a partir da segunda música contou que está com um problema no joelho por causa de um acidente de moto e sentou-se num banco.Numa prévia do Réveillon, os esquemas de trânsito, policiamento e limpeza da orla funcionaram bem. A única reclamação ficou por conta de alguns moradores do bairro, que, impedidos de entrar depois do bloqueio dos acessos, às 15h, tentaram furar as barreiras montadas pela Guarda Municipal no Túnel Velho.

A movimentação na praia começou no início da manhã. Os primeiros fãs começaram a se posicionar em frente ao palco — montado na altura do Hotel Copacabana Palace — antes mesmo da Avenida Atlântica ter o trânsito fechado às 7h. Moradoras de São João de Meriti, Conceição Rodrigues, 38, e Judite Teixeira, 45, garantiram lugar na primeira fila quando o relógio marcava 5h. “Vale qualquer sacrifício para ver o Rei”, garantiu Conceição.

Aristides Tênis, 55 anos, levou a coleção de discos na esperança de conseguir um autógrafo do cantor. “Estava de plantão no trabalho, saí hoje cedo e vim direto para Copacabana. Queria muito que ele autografasse os discos”.

Michela Roger, 35, e a família viajaram quase quatro mil quilômetros do Acre até o Rio de Janeiro só para ver o show de Roberto Carlos. “Sou fã do Rei desde menina. Quando soube que ele faria o show falei para o meu marido que se a gente não viesse eu até me separava”, conta.

Charles Chaplin e Michael Jackson foram assistir ao Rei em Copacabana

Os artistas não se limitaram à área reservada para convidados. A praia de Copacabana ontem foi local de encontros inusitados, como o de Charles Chaplin e Michael Jackson. Caracterizado de Chaplin, Robson Martins disse que queria homenagear o Rei.

“Roberto Carlos é pura poesia, como Chaplin”, disse ao lado de Beto Show, que faz cover de Michael.

A paixão por Roberto Carlos também virou sinônimo de lucro para centenas de vendedores ambulantes, que vendiam de faixas a fotos do cantor. Reginaldo Silva, 50 anos, esperava faturar R$600 vendendo fitas com o nome do Rei. “Cada fita custa R$1. Desde o fim da manhã vendi 200, mas ainda tem muito fã para chegar”, dizia.

Reginaldo e outros ambulantes precisaram driblar as equipes da Operação Choque de Ordem. Os agentes apreenderam alimentos, bebidas e outros produtos. No início da noite, os fiscais da Secretaria Especial de Ordem Pública (SEOP) haviam rebocado 108 veículos estacionados em locais proibidos e multado outros 155.

Formato: PDF
Tamanho: 51 MB