sexta-feira, 11 de março de 2011

Imagens engraçadas/curiosas - 11/03/2011

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Japão atingido por violento terremoto e tsunami

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Jornal O Dia em PDF, Sexta, 11 de Março de 2011

Sósia vive dia de Rei nas ruas
Cover foi confundido com cantor na Sapucaí e ontem, no Centro do Rio, ao distribuir rosas - Rio - O título da Beija-Flor foi importante para Roberto Carlos. Mas para Carlos Evanney, a vitória foi um empurrãozinho em seu sonho. O sósia do cantor cruzou a Marquês de Sapucaí no desfile da Beija-Flor como destaque do 7° carro, sobre o cruzeiro comandado por Roberto, e foi confundido por milhares de pessoas com o Rei. Ontem, ele foi às ruas da cidade para comemorar o título e entregar rosas para fãs do cantor, assim como foi feito no desfile da escola.

FOTOGALERIA: As melhores fotos do desfile em homenagem a Roberto Carlos

Disputa

Apesar de não serem beijadas pelo legítimo Roberto, as rosas foram disputadas como um troféu pelas admiradoras do Rei. “Como não tenho a oportunidade de chegar perto do Roberto de verdade, pelo menos me sinto próxima estando ao lado do Evanney”, explicou a copeira Ednólia Oliveira Neto, de 48 anos.

O cantor baiano, que há 15 anos se passa diariamente por Roberto Carlos, acredita que homenagear o Rei com o seu talento seja a razão de sua vida: “Não vim com essa aparência à toa”, está convencido.

A semelhança é tanta que diversas pessoas que estavam na Sapucaí o fotografaram achando que era o verdadeiro Roberto Carlos. “Eu percebi que as pessoas paravam para me olhar, mas logo viam o Roberto vindo no carro de trás e percebiam o engano”, lembrou.

FOTOGALERIA: Torcida e integrantes vibram com o campeonato da Beija-Flor



A advogada Cláudia Regina Leoni, 42 anos, foi assistir o desfile da Beija-Flor e se confundiu. “De longe eles são iguais. Tirei foto dele e tudo achando que era o Rei”, revelou. O sósia contou que na concentração do desfile a semelhança com o cantor foi elogiada pelo comediante Tom Cavalcante e pelas cantoras Martinha e Rosemary.

Ingressos estão esgotados. Trânsito muda amanhã perto do sambódromo

A presença de Carlos Evanney no desfile das campeãs, no sábado, está confirmada, assim como a de Roberto Carlos. Os últimos 850 ingressos foram vendidos ontem em uma hora e meia.

As ruas do entorno do sambódromo serão fechadas de amanhã até o meio-dia de domingo. Quem vier da Praça da Bandeira ou Tijuca com destino ao Centro deve seguir pela Rua do Matoso, Barão de Itapagipe, Bispo, Estrela, Itapiru, Dr. Agra, Coqueiros, Eleone de Almeida, Túnel Martim de Sá e Avenida Henrique Valadares.Quem vem do Centro com destino à Tijuca pela Rua Frei Caneca deve seguir pela Praça da República e pegar a Av. Presidente Vargas, sentido Zona Norte. Pelo Túnel Santa Bárbara com destino à Zona Norte deve-se seguir pelo viaduto e pegar alça de acesso da Pres. Vargas ou seguir em direção ao Santo Cristo.

Formato: PDF
Tamanho: 27.9 MB

Cycle News | 08 Março 2011

Jornal O Globo em PDF, Sexta, 11 de Março de 2011

Primeiro Caderno. Uma tragédia nacional. Estradas nunca mataram tanto como neste carnaval. Somente nas rodovias federais, o número de mortos chega a 213.

* Segundo Caderno. Com a boca no trombone OSB não comparece a reunião com músicos e crise entre a orquestra e os profissionais se agrava.

* Esportes. Fla vence com gol aos 50 minutos. O Flamengo sofreu contra o Bangu, em Macaé, mas acabou vencendo por 2 a 1 com gol de Diego Maurício aos 50 minutos do 2º tempo.
Ronaldinho fizera, em pênalti polêmico, o primeiro gol.

* Revista Rio Show. Carine Rezende, à frente do Amendoeira, prova que as mulheres conquistaram o poder nos botecos cariocas.

Formato: PDF
Tamanho: 26 MB

Tsunami atinge o Japão após terremoto de 8.9 (CNN - imagens impressionantes)

Imagens da Semana | 07 de Março 2011

Nova Orleands | Mardi Gras 2011

Jornal O Estado de SP em PDF, Sexta, 11 de Março de 2011

Apoio dentro e fora do Brasil leva à libertação
Campanha por soltura de repórter do ''Estado'' mobiliza governos do Brasil e Líbia, além da imprensa e grupos não governamentais - A libertação do jornalista Andrei Netto pelas autoridades militares da Líbia ocorreu após uma série de iniciativas que resultaram na formação de uma rede de informações e alertas pelo mundo todo, que se somaram aos esforços diplomáticos dos governos do Brasil e da Líbia.

O Estado perdera contato direto com o jornalista na quarta-feira, dia 2. Mas até o domingo de carnaval, dia 6, vinha tendo informações por terceiros sobre o paradeiro de seu enviado. Nesse dia, aquelas informações começaram a rarear, tornaram-se contraditórias e se interromperam. A partir daí, o jornal, que até então acreditava na retomada do contato e agia com cautela, decidiu contactar oficialmente as diplomacias brasileira e líbia e organismos jornalísticos e humanitários do mundo todo.

O Itamaraty foi contactado por meio do ministro interino, Ruy Nogueira. O chanceler Antonio Patriota, em viagem à Índia, também foi informado. A presidente Dilma Rousseff, informada do episódio, passou a acompanhar seus desdobramentos e determinou providências ao Itamaraty e à Embaixada do Brasil em Trípoli (leia nesta página).

Veja também:
som Território Eldorado: Ouça o relato de Andrei Netto
especial Twitter: Acompanhe os relatos de Lourival Sant'anna
especial Linha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia
blog Arquivo: Kadafi nas páginas do Estado
especial Infográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio


Na segunda-feira, a direção do jornal procurou o embaixador da Líbia no Brasil, Salem Omar al-Zubaidi, que se encarregou de enviar à Líbia cópias dos documentos do jornalista, fornecidas pelo jornal. O Estado também procurou o Fórum Mundial de Editores, por meio do seu representante no Brasil, o jornalista Marcelo Rech, do Grupo RBS. A partir daí, centenas de editores e correspondentes no mundo todo foram informados do desaparecimento do jornalista na Líbia.

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), fez chegar à embaixada líbia carta na qual seu presidente, Fernando Rodrigues, do Grupo Folha, pede "que o governo da Líbia tome todas as providências necessárias para informar a localização do repórter Andrei Netto, assim como providenciar sua eventual liberação no caso de estar detido pelo exercício da profissão de jornalista".

Rede de apoio. A partir do instante em que a redação perdeu contato com seu enviado, jornalistas brasileiros na região passaram a ajudar com informações - entre eles o enviado da Folha de S. Paulo, Samy Adghirni, e a correspondente de O Globo, Déborah Berlinck, além de Lourival Sant"Anna, também do Estado.

A operação contou ainda com o esforço de agências humanitárias, como o Comitê Internacional da Cruz Vermelha - que fez contatos com o Crescente Vermelho, seu equivalente no mundo muçulmano. O pesquisador brasileiro de tecnologia de novas mídias Rosenthal Calmon Alves, da Universidade do Texas, EUA, enviou nota ao International News Safety Institute pedindo ajuda. Giancarlo Summa, do Centro de Informação da ONU no Rio, contactou os escritórios do organismo em Genebra e Nova York.
"Não há dúvida de que, somada aos esforços diplomáticos de Brasil e Líbia, toda essa rede de informações e alertas que se formou mundialmente foi decisiva na libertação do jornalista", disse o diretor de Conteúdo do Estado, Ricardo Gandour. "Mais uma mostra da importância, para a liberdade, do livre fluxo das informações." Da embaixada da Líbia o jornal recebeu, em resposta aos seus pedidos, nota segundo a qual Netto havia sido detido "por ter entrado ilegalmente pela fronteira com a Tunísia". A argumentação do governo líbio era que a prisão havia ocorrido "pelo motivo de proteção do repórter, visto a grande preocupação do governo com a segurança da mídia estrangeira".

Antes disso, a Comissão de Relações Exteriores do Senado, por meio dos senadores Paulo Paim (PT-RS) e Eduardo Suplicy (PT-SP), havia enviado nota de protesto contra a prisão de Netto ao embaixador líbio.

Depois de anunciada a libertação, a família do jornalista se disse "tocada pelo engajamento de todos" e agradeceu "à diplomacia do governo brasileiro e suas instituições", além de organismos internacionais e jornalistas, "que seguiram em contato constante com nossa família e mobilizados com o caso".

AUXÍLIO VITAL - Abraji

Entidade que promove o jornalismo investigativo fez chegar à embaixada líbia carta na qual seu presidente pede "que o governo da Líbia tome todas as providências necessárias para informar a localização do repórter Andrei Netto"

Fórum Mundial de Editores

Entidade informou centenas de editores e correspondentes no mundo sobre o desaparecimento do jornalista na Líbia

Comitê Internacional da Cruz Vermelha

Foi encarregada de fazer os contatos com o Crescente Vermelho, seu equivalente no mundo muçulmano

Jornais

Por meio de seus contatos na Líbia, os jornais "O Globo", "Folha de S. Paulo" e o britânico "The Guardian" auxiliaram com a apuração de informações e o envio de detalhes da situação de Netto ao Brasil

Formato: PDF
Tamanho: 42 MB

Carnaval 2011

Casa do desenho Disney "Up" criada na vida real pela National Geographic

quinta-feira, 10 de março de 2011

Imagens engraçadas/curiosas - 10/03/2011

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Veja - Edição 2207 (09/03/2011)

Jornal O Globo em PDF, Quinta, 10 de Março de 2011

Rei dá à Beija-Flor recorde de títulos no Sambódromo Tradição de Nilópolis destrona a modernidade da Unidos da Tijuca:
O Rei Roberto Carlos deu à Beija-Flor não apenas o campeonato de 2011, mas também o recorde de títulos no Sambódromo — sete, desde 1984, ultrapassando a Imperatriz com quem dividia o trono, com seis, cada. Na história da escola de Nilópolis, este é o 12o- campeonato.
“Quando eu estou aqui, eu vivo este momento lindo”, disse Roberto Carlos, na quadra da escola. A Beija-Flor só não teve dez em dois quesitos: mestresala e porta-bandeira e em samba- enredo. A diferença sobre a segunda colocada, Unidos da Tijuca, foi de 1,4 ponto. A Renascer de Jacarepaguá venceu no Grupo de Acesso A e chegará pela primeira vez ao Grupo Especial. Ontem de manhã, Caetano Veloso desfilou num Sambódromo vazio, mas ajudou a Paraíso do Tuiuti a conquistar o título e subir para o grupo A. ● Nesta edição, pôster da escola campeã Páginas 10 a 19

Formato: PDF
Tamanho: 16.7 MB

Jornal O Dia em PDF, Quinta, 10 de Março de 2011

‘Um milhão’ de amigos festejam a vitória do Rei
Membro da comissão de carnaval da Beija-Flor, Alexandre Louzada, tem destino incerto na escola

Rio - Aliando a simplicidade de um mito ao luxo de suas fantasias e alegorias, a Beija-Flor de Nilópolis soltou o grito de campeã preso na garganta desde 2008, quando conquistou o último título no Carnaval carioca. A quadra ficou pequena para tantas emoções e ainda contou com a presença ilustre do homenageado no enredo ‘A Simplicidade de um Rei’. Emocionado, Roberto Carlos se derramou em elogios aos apaixonados súditos. “Obrigado pela confiança e por essa linda homenagem. Obrigado por tudo. Amo vocês”, festejou o Rei, que chegou à quadra às 20h20, onde ficou por duas horas. Ao receber o microfone, o cantor entoou a primeira frase de ‘Emoções’, tentando explicar o que sentia ao ser ovacionado pela multidão: “Quando eu estou aqui, eu vivo esse momento lindo”. Os mais de 8 mil torcedores explodiram de felicidade. Depois, ele beijou a mão da rainha de bateria, Raíssa Oliveira, e da porta-bandeira Selminha Sorriso.

Roberto contou que desfilar na escola de Nilópolis está entre as maiores emoções que viveu. “Sempre fui Beija-Flor de coração. Desfilar e ainda ganhar o título é muita emoção”, afirmou ele, que acompanhou a apuração em casa, na Urca.

"No início, fiquei bastante nervoso, principalmente quando a Mangueira passou a Beija-Flor. Depois, só comemorei”, contou o artista, garantindo que sábado estará no Desfile das Campeãs e que já pensa em novo e ousado projeto: CD de sambas. “Nunca havia pensado nisso. Não é minha praia, mas é uma possibilidade a ser estudada”.A festa da vitória em Nilópolis começou antes do fim da apuração. Desde cedo torcedores lotavam a quadra, intercalando trechos do samba-enredo com o grito ‘ei, ei, ei, Roberto é nosso rei’. A cada nota, uma mistura de emoção e nervosismo. Os dois 9,9 recebidos pelo casal de mestre-sala e porta-bandeira foi o momento de maior indignação. “Lamentei muito a perda desses décimos preciosos. A diretoria, componentes e até membros da Liesa nos cumprimentaram pela atuação”, comentou Selminha.

Após a escola disparar na pontuação e a vitória se desenhar, a multidão começou a gritar em coro ‘a campeã voltou’! Trinta mil latinhas de cerveja foram distribuídas.

Seis melhores voltam no sábado

Sábado, seis escolas voltarão à Sapucaí. Com 299,8 pontos, a campeã Beija-Flor será a última a entrar na Avenida. O desfile começará às 21h com Imperatriz Leopoldinense, que terminou em sexto lugar, com 295,5 pontos. A segunda a desfilar será o Salgueiro, quinto colocado, com 296,2 pontos. Quarta no ranking, a Vila Isabel, que atingiu 297 pontos, será a terceira atração. E Mangueira, terceiro lugar (297,2 pontos) será a quarta a desfilar. A penúltima escola da noite será a vice-campeã Unidos da Tijuca (298,4 pontos).

Confira o resultado geral do Grupo Especial:

1º- Beija-Flor - 299,8
2º- Unidos da Tijuca - 298,4
3º- Mangueira - 297,2
4º- Vila Isabel - 297
5º- Salgueiro - 296,2
6º- Imperatriz Leopoldinense - 295,5
7º- Mocidade Independente - 295,5
8º- Porto da Pedra - 293,4
9º- São Clemente - 290,9

Formato: PDF
Tamanho: 43 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Quinta, 10 de Março de 2011

Roberto Carlos chora ao comemorar título da Beija-Flor no barracão:
Roberto Carlos, o homenageado pelo enredo da campeã do carnaval do Rio, chegou ao barracão da Beija-Flor de Nilópolis na noite desta quarta-feira para comemorar o título da escola, onde chorou ao declarar seu amor para a quadra lotada. A plateia retribuiu, cantando em coro Emoções.

Ele chegou à quadra da escola às 20h30 e foi abraçado por Neguinho da Beija-Flor, que cantava o samba campeão. Logo depois, Cláudia Raia, integrante da comissão de frente, foi intensamente aplaudida.

Mais cedo, logo após o anúncio de que a agremiação azul e branca havia vencido, o rei deu uma entrevista ao jornal RJTV, da TV Globo, em que estava emocionado. “Sem dúvida que essa, se não a maior, é uma das maiores consagrações que recebi na vida. E já vivi grandes emoções, mas esta foi realmente uma coisa que eu não encontro a palavra para dizer o que significa para mim”, disse.

Roberto Carlos havia mandado gravar o desfile e fez questão de assistir às imagens. “Ficou maravilhoso. É minha escola. Foi ainda melhor”, afirmou o cantor, que chegou a ter dúvidas se sua história daria samba. “Já chorei muito hoje. Jamais vou esquecer esse carnaval”.

Ele viu a apuração do seu apartamento na Urca, zona sul carioca, acompanhado por funcionários. E se emocionou muito – chegou a chorar, contou o empresário Dody Sirena. O rei também prometeu que no sábado, nos Desfiles das Campeãs, estará de novo no último carro da escola.

Formato: PDF
Tamanho: 32 MB

quarta-feira, 9 de março de 2011

Jornal O Globo em PDF, Quarta, 09 de Março de 2011

Fora da disputa oficial, Ilha leva o Estandarte de Ouro Beija-Flor e Unidos da Tijuca são as favoritas ao título de 2011 - Depois de ter vencido o fogo e incendiado a Avenida com o enredo sobre Charles Darwin e a teoria da evolução, a União da Ilha conquistou ontem o prêmio de melhor escola na 40aedição do Estandarte de Ouro, do GLOBO. A agremiação só havia recebido a homenagem em 1977, no quesito sambaenredo. Este ano, o resultado do prêmio não será repetido na apuração porque a escola está fora da disputa oficial, por causa do incêndio que atingiu seu barracão. A Ilha levou também os prêmios de melhor enredo e melhor puxador, com Ito Melodia. A Mangueira, que homenageou Nelson Cavaquinho, recebeu três Estandartes:
o de bateria; comissão de frente; e o de personalidade, dado a Beth Carvalho.
No Grupo de Acesso, o Estandarte foi para o Império da Tijuca. Última escola a desfilar ontem, a Beija- Flor levou Roberto Carlos à Avenida. Com a Unidos da Tijuca, é favorita para o título. A campeã será conhecida hoje, a partir das 15h, na Sapucaí. Em São Paulo, a Vai-Vai foi a campeã. Caderno Especial

Formato: PDF
Tamanho: 14.6 MB

Jornal O Dia em PDF, Quarta, 09 de Março de 2011

Beija-Flor, tetracampeã do Tamborim de Ouro
Nilópolis leva o principal troféu do prêmio mais popular do Carnaval, que também elegeu os melhores em 11 categorias

Rio - Depois de tantas emoções no Sambódromo exaltando os 50 anos de carreira do Rei Roberto Carlos, a Beija-Flor conquistou ontem mais um troféu Tamborim de Ouro, sagrando-se tetracampeã no quesito Escola da Alegria. A Azul e Branca de Nilópolis foi eleita por voto popular a melhor escola da Sapucaí, igualando o número de títulos ganhos pela Mangueira, campeã do ano passado. “Fizemos um desfile para ganhar e que empolgou o público. Estamos no páreo para conquistarmos o campeonato”, acredita Laíla, da Comissão de Carnaval da Beija-Flor.
Na 14ª edição do prêmio mais popular e democrático do Carnaval carioca, leitores de O DIA, ouvintes da FM O DIA e internautas do DIA Online elegeram os melhores do samba em 12 categorias. A premiação será dia 17, no Vivo Rio, no Aterro.

A Verde e Rosa recebeu mais dois tamborins: um para o Casal Nota 10, o mestre-sala Raphael e a porta-bandeira Marcela; e outro para a bateria do estreante mestre Ailton Nunes, que com sua ‘paradona’ de 20 segundos foi eleita o Batuque do Povo. “Os jurados tinham que ter algo diferente para julgar. A bateria está de parabéns”, diz ele, que é evangélico. Pelo segundo ano seguido, o show de ilusionismo da comissão de frente da Unidos da Tijuca lhe rendeu o Tamborim na categoria Show de Abertura. “O troféu é a prova de que conseguimos repetir a magia de 2010”, vibrou o coreógrafo Rodrigo Negri, que junto com Priscilla Mota fez bailarinos perderem a cabeça para espanto do público. No ano passado, trocavam de roupa num passe de mágica.

A musa do povão foi a Rainha de Bateria do Salgueiro, Viviane Araújo. “Estou muito emocionada. Agradeço ao público que reconheceu toda a minha dedicação ao Carnaval. A gente colhe o que planta”, comemorou. Já a União da Ilha ganhou A Voz da Avenida, com o intérprete Ito Melodia. O jogador Ronaldinho Gaúcho, que desfilou na Mangueira, Grande Rio e Portela, foi eleito no quesito Eu sou o Samba. A Porto da Pedra ganhou o título Beleza de Mensagem para o enredo que homenageou a escritora infantil Maria Clara Machado. “Fico feliz pelo prêmio, pois é a coroação do nosso trabalho. Além disso, muitos passaram a conhecer a autora”, exalta o carnavalesco Paulo Menezes. A Grande Rio levou o Tamborim pelo samba “Y-Jurerê Mirim, a encantadora Ilha das Bruxas”, de autoria de Edispuma, Licinho, Marcelinho e Foca. Pela primeira vez, o melhor bloco foi o da cantora Preta Gil, que arrastou milhares de foliões para a orla. A Imperatriz levou a melhor ala infantil, e a Vila Isabel, a das Baianas.

Formato: PDF
Tamanho: 38.4 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Quarta, 09 de Março de 2011

Documento propõe mudanças no Incra para frear loteamento político e desvios
Minuta que circula no Ministério do Desenvolvimento Agrário sugere reduzir autonomia das superintendências regionais e fortalecer o conselho diretor, órgão acima da presidência do instituto, e a diretoria-geral, para acompanhar e fiscalizar ações no setor - O governo estuda mudanças na estrutura administrativa do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Um dos objetivos, explicitado em minuta de texto que circula no Ministério do Desenvolvimento Agrário, é obter maior controle sobre as superintendências regionais da instituição - cujos chefes são, quase todos, nomeados por indicações de políticos.

O Incra tem 30 superintendências pelo País (uma por Estado, com exceção do Pará, que possui três, e Pernambuco, com duas). Cada uma tem ampla autoridade para definir os planos da reforma agrária e a aplicação dos recursos. Uma das reclamações mais frequentes no comando da instituição é o reduzido poder de Brasília sobre as superintendências. Além disso, a eficiência do órgão vem sendo questionada no contexto do programa nacional de combate à miséria, ainda em gestação.

Os chefes das superintendências têm sido permanente fonte de dor de cabeça para o governo. Há dez dias o presidente do Incra, Rolf Hackbart, teve de exonerar o superintendente do Maranhão, Benedito Terceiro, que chegou ao posto com o beneplácito do senador maranhense Epitácio Cafeteira (PTB), aliado político da família Sarney.

De acordo com investigações da Operação Donatário, conduzida pela Polícia Federal, Terceiro seria um dos cabeças de uma quadrilha que desviava recursos destinados à construção de casas nos assentamentos rurais. Houve um rombo de R$ 4 milhões no período de cinco anos, segundo a investigação. Pelos cálculos da Controladoria-Geral da União (CGU), porém, os desvios chegam a R$ 150 milhões.

Formato: PDF
Tamanho: 19 MB

Imagens engraçadas/curiosas - 09/03/2011

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Superinteressante | Edição 289

Rio de Janeiro | Carnaval 2011

Compilação de acidentes de Rally 2011

Alan Kempster - Um braço, Uma perna, Uma moto..

Jornal O Dia em PDF, Terça, 08 de Março de 2011

Salgueiro brilha, mas estoura tempo em 10 minutos e deve ficar fora da briga
Rio - Segunda escola a desfilar nesta segunda-feira, o Salgueiro entrou na Avenida com todos os ingredientes necessários para fazer uma boa apresentação: bom samba, bom enredo e uma dupla de carnavalesco excelente. A empreitada, no entanto, esbarrou no tamanho de alguns carros alegóricos, que tiveram muitos problemas para entrar na Avenida e acabaram prejudicando a evolução. No fim, a escola acabou estourando o tempo em 10 minutos e, por isso, deverá ficar de fora da briga pelo campeonato. A cada minuto além do tempo previsto pelo regulamento - mínimo de 65 e máximo de 82 minutos -, a escola perde um décimo pela comissão de obrigatoriedades. Desta forma, como terminou o desfile em 92 minutos, o Salgueiro perderá um ponto, exatamente.
A comissão de frente coreografada por Hélio Dejani, trazia um primoroso trabalho de dança e sapateado. O grupo representava baleiros de um cinema, que se encantavam ao ver a estrela Marilyn Monroe à sua frente. Em seguida, o casal de mestre-sala e porta-bandeira Sidclei e Gleici Simpatia, que dançou pela primeira vez junto, completou a belíssima abertura do Salgueiro. Nas alegorias, o carnavalesco Renato Lage, auxiliado pela mulher Márcia, provou porque é considerado um dos melhores do Carnaval. Com luxo e criatividade, o artista contou o enredo, que abordava a relação do Rio com o cinema, de maneira primorosa. Outro grande momento foi a passagem da bateria de Mestre Marcão, que veio fantasiada de Bope. Com seu tradicional tamborim, a Rainha Viviane Araújo esbanjou beleza e samba no pé e foi bastante aplaudida.

Pela primeira vez, o Salgueiro trouxe três intérpretes - Quinho, Leonardo Bessa e Serginho do Porto -, que não tiveram problemas de entrosamento e embalaram os componentes com competência.

No fim do desfile, no entanto, a alegria inicial dos componentes se transformou em tensão e a escola jogou no buraco todo o trabalho de harmonia e evolução. Mesmo com todo o esforço, o Salgueiro estorou o tempo regulamentar e ficou fora da disputa pelo título.

Formato: PDF
Tamanho: 43.5 MB

terça-feira, 8 de março de 2011

Jornal O Estado de SP em PDF, Terça, 08 de Março de 2011

Tropas de Kadafi retomam controle de cidade-chave e detêm avanço rebelde
Opositores afirmam que regime usou armamento pesado e escudos humanos para reconquistar Bin Jawad; em Ras Lanuf, complexo petroquímico em poder da milícia anti-Kadafi, bombardeio lançado pelas forças do governo atinge carro em que viajava família - RAS LANUF (LÍBIA) - Depois da intensa batalha do domingo, os combatentes rebeldes foram expulsos de Bin Jawad e ocupavam neste domingo, 7, posições numa faixa a 2 km de distância a leste da cidade. Aviões MiG, de fabricação russa, sobrevoavam o complexo petroquímico de Ras Lanuf, 45 km a leste, firmemente controlado pelos rebeldes, ocasionalmente disparando mísseis. Dois deles atingiram um carro e feriram o casal, três crianças e a avó que viajavam nele. O carro acabava de passar por um posto de controle dos rebeldes na saída de Ras Lanuf. Muitas famílias deixaram ontem a cidade, um conjunto habitacional construído há 30 anos para os trabalhadores da petroquímica, hoje com 10 mil habitantes.

Os combatentes estavam ocupando algumas casas. Eles atribuem a vitória das forças do governo em Bin Jawad não só ao fato de usarem armamento pesado, mas também de terem ocupado as casas e usado seus moradores como escudos humanos. Não querem que o mesmo aconteça em Ras Lanuf.

À noite, os motoristas eram instruídos pelos combatentes a trafegar com os faróis apagados, por causa dos ataques aéreos. Baterias antiaéreas dos rebeldes e munição traçante eram disparadas intermitentemente, sob o ruído dos aviões.

Segundo uma fonte médica de Benghazi, a principal cidade controlada pelos rebeldes, 380 km a leste, 30 pessoas foram mortas e 169 feridas nas batalhas dos últimos três dias. Mas o número pode ser bem maior. Os soldados leais ao ditador Muamar Kadafi retiraram do campo de batalha não só seus mortos e feridos, mas também parte dos rebeldes no combate de domingo, disse ao Estado Salim Nabuz, que participou da luta por Bin Jawad.

O combatente afirmou que os membros das forças especiais, dispararam foguetes contra uma mesquita onde cerca de 20 rebeldes tinham se refugiado, destruindo o prédio e matando todos. "Muitas pessoas estão desaparecidas", acrescentou. Nabuz, dono de uma loja de pneus em Ajdabiya (200 km a leste), mostrou o furo provocado por um disparo de fuzil em seu carro, que feriu na perna direita seu amigo, o estudante Hassan Sarimi, de 26 anos. À pergunta sobre onde estava o Exército regular que afirma apoiar o levante, Nabuz e seus companheiros, todos voluntários civis, responderam: "Aqui não temos tanques nem Exército. Só temos Alá".

O pedreiro Abdul Monem, de 31 anos, que opera uma peça de artilharia, expressou sua impaciência com o Exército e com a liderança civil rebelde: "Eles só falam. Até hoje não conseguiram (com a comunidade internacional) a zona de exclusão aérea, para evitar esses ataques de Kadafi. Se não fizerem nada, vamos fazer uma nova revolução."

Front oeste. Segundo as agências de notícias, o governo parecia ter consolidado na segunda-feira o controle sobre parte de Zawiya, 50 km a oeste de Trípoli. Mas os confrontos continuam.

Um morador disse que as forças leais a Kadafi atacaram os rebeldes durante toda a manhã com tanques e peças de artilharia. Já os opositores controlam a maior parte de Misrata, a terceira cidade do país, 200 km a leste da capital. Mas falta medicamentos para tratar dos feridos.

Jadallah Azous al-Talhi, primeiro-ministro líbio nos anos 80 e originário do leste do país, fez ontem um apelo pela televisão aos anciãos de Benghazi, para que "deem uma chance a um diálogo nacional e parem o derramamento de sangue".

Um assessor do ex-ministro da Justiça e líder rebelde Mustafa Abdel Jalil respondeu: "Qualquer negociação deve ter como ponto de partida a renúncia de Kadafi. Não pode haver nenhum outro acordo".

Formato: PDF
Tamanho: 30 MB

Jornal O Globo em PDF, Terça, 08 de Março de 2011

Primeiro Caderno. Atraso queima filme do Salgueiro.
Escola da Tijuca leva ‘Bope’; Ilha evolui com Darwin; e Mocidade não surpreende.

* Segundo Caderno. Um tour pela editora portuguesa Babel, do ex-banqueiro Paulo Teixeira Pinto, que desembarca no Brasil este mês.

* Carnaval 2011. Salgueiro sem final feliz. Escola desfila bem, mas protagoniza atraso histórico; Ilha refaz fantasias queimadas e incendeia a Sapucaí.

* Com um enredo sobre o Rio como cenário de filmes, que vestiu a bateria de oliciais
do Bope para lembrar de “Tropa de Elite”, o Salgueiro vinha bem até que o King Kong gigantesco empacou na Sapucaí. A escola atrasou dez minutos

Formato: PDF
Tamanho: 8.6 MB

segunda-feira, 7 de março de 2011

Reabastecendo o A-10 Thunderbolt II

Passei foi por baixo mesmo....

Genebra | International Motor Show

Jornal O Dia em PDF, Segunda, 07 de Março de 2011

Folia renderá R$ 1,5 bi ao Rio
No melhor Carnaval da década, principais beneficiados serão bares, restaurantes e hotéis

Rio - Os dias de folia, tão curtos e intensos, devem render cerca de R$ 1,5 bilhão em consumo na Cidade Maravilhosa. A estimativa é de Daniel Plá, diretor da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), que confirma como principais beneficiados os bares, restaurantes e hotéis. Se o número da associação se confirmar, será o melhor Carnaval dos últimos 10 anos. “Espera-se um movimento até 25% maior do que o do ano passado”, diz Plá.

A Riotur, empresa de turismo da Prefeitura do Rio, espera movimentação de 756 mil turistas na cidade, a maioria brasileiros, que devem gastar juntos US$ 559 milhões (cerca de R$ 922 milhões) na folia. Com isso, a arrecadação tributária do município é beneficiada, e as escolas de samba passam a cobrar ainda mais subsídios.

Neste ano, só as 12 agremiações do grupo especial receberam R$ 1 milhão da Prefeitura do Rio, cada uma, e R$ 400 mil do governo do estado, pela Secretaria Estadual de Turismo. “O Carnaval chegou à sofisticação de hoje pela ostentação dos bicheiros. A prefeitura colabora muito pouco. Temos que tentar negociar um aumento, porque todo esse repasse é uma distribuição de renda”, argumenta Fernando Horta, presidente da Unidos da Tijuca e do conselho fiscal da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa).

Ele afirma gastar em torno de R$ 10 milhões no desfile, mas não revela o balanço da agremiação. Representantes de escolas do Grupo de Acesso pedem mais recursos e equiparação com a elite do Grupo Especial. Hoje, os grupos A e B, que saem na Marquês de Sapucaí, recebem, ao todo, R$ 7,2 milhões da prefeitura e R$ 760 mil do estado.

Já os grupos C, D e E, que desfilam sem cobrança de ingresso na Estrada Intendente Magalhães, Zona Norte do Rio, ganham em subvenção R$ 2,1 milhões do município e R$ 559,2 mil do estado. “Não é possível tanta diferença orçamentária”, lamenta Ronaldo Borges, diretor da Liga das Escolas do Grupo de Acesso (Lesga).

Zona Norte requer mais foco

Um dos maiores estudiosos sobre o Carnaval, o economista Luiz Carlos Prestes Filho diz que uma segunda Cidade do Samba, com barracões para o Grupo de Acesso, levaria turistas à Zona Norte. “Essas escolas germinam o Carnaval do futuro”, diz. A captação de recursos privados ainda é desafio. A Liesa captou R$ 12 milhões, divididos no grupo especial, em patrocínio da Petrobras. Mas agremiações usam pouco leis de incentivo.

Formato: PDF
Tamanho: 38 MB

Às vezes da errado....

Jornal O Globo em PDF, Segunda, 07 de Março de 2011

* Unidos da Tijuca arrepia a Avenida. Portela renasce das cinzas e emociona a Sapucaí. São Clemente canta encantos do Rio.

* Segundo Caderno. Deborah Secco é o cisne negro com tesão num cenário de atrizes comportadas.

* Especial. Carnaval 2011.

* O presidente da Guiné, o 8o- governante mais rico do mundo, ocupa dois andares do Caesar Park. Rio, páginas 10 e 11

* Kadafi inicia bombardeio de propaganda

* Coreógrafos e bailarinos reclamam das dificuldades da dança numa fase de poucos espetáculos.

Formato: PDF
Tamanho: 11.5 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Segunda, 07 de Março de 2011

Rebeldes mantêm controle de Ras Lanuf e combates continuam em Ben Jawad - RAS LANUF, Líbia - Os milicianos rebeldes mantêm nesta segunda-feira, 7, o controle do porto e do terminal petrolífero de Ras Lanuf, 200 quilômetros ao leste de Sirte, seu próximo alvo militar. Os enfrentamentos também ocorrem em Ben Jawad, no meio do caminho entre as duas localidades, informaram fontes rebeldes. No terminal portuário, mais de dez baterias guardam o estratégico enclave e cerca de 100 milicianos protegem seus acessos. Aeronaves, aparentemente em missão de reconhecimento, sobrevoaram nesta segunda-feira o povoado, que caiu em mãos rebeldes na sexta-feira na ofensiva dos milicianos para tomar Sirte, a cidade natal do líder do país, Muammar Kadafi, e uma das principais fortificações em seu poder.

Os feridos nos combates nos dois últimos dias em Ben Jawad e Ras Lanuf foram levados para a cidade de Brega, a 160 quilômetros da localidade, informaram fontes do posto de controle que fecha o acesso à cidade em poder rebelde.

Os milicianos, que no domingo sofreram ataques de aviões em Brega e Ben Jawad, mantêm os enfrentamentos com as forças leais a Kadafi, que pretende conter o avanço rebelde em uma das maiores fortificações ainda em poder do Governo no leste do país.

A contra-ofensiva das brigadas de Kadafi no domingo surpreendeu os rebeldes com uma emboscada em Ben Jawad e conteve o avanço revolucionário pela costa, embora os milicianos tenham tentado manter a iniciativa apesar da concentração de artilharia das tropas do coronel líbio.

Alguns comandantes rebeldes mantêm confiança em beneficiar-se das divisões tribais e dos enfrentamentos entre os próprios partidários de Kadafi em Sirte, mas por enquanto não contaram com ajuda interior para desestabilizar suas defesas.

O contra-ataque de Kadafi se estendeu do domingo a Misrata, onde um porta-voz do hospital elevou a 20 o número de mortos no ataque com carros de combate nessa grande cidade localizada entre Trípoli e Sirte.

As forças leais ao líder líbio mantêm ofensivas também sobre a cidade de Al Zawiyah, 92 quilômetros ao sudoeste da capital, que permanece cercada há quatro dias.

As brigadas de Kadafi asseguraram ter recuperado o controle dessa cidade, embora a informação não tenha sido confirmada por fontes independentes, já que há o bloqueio à imprensa.

Apesar das informações das forças pró-Kadafi, a rede de televisão Al Jazira divulgou na manhã desta segunda-feira imagens supostamente gravadas no domingo no centro de Zawiyah que mostravam a cidade ainda sob o controle dos rebeldes.

Formato: PDF
Tamanho: 25 MB

Costa do Marfim: O medo de que uma guerra civil se intensifique

domingo, 6 de março de 2011

Jornal O Globo em PDF, Domingo, 06 de Março de 2011

* Carnaval 2011. Escolas de samba do Rio vendem carnaval no exterior.

* Segundo Caderno. Galã por trás das câmeras. Sem deixar de atuar, Wagner Moura dirige um clipe e planeja dois filmes.

* Esportes. Alô, torcida do Flamengo. Aquele abraço, de Thiago Neves e Ronaldinho Gaúcho, celebra a melhor atuação da dupla com a camisa rubro-negra. Os dois fizeram os gols da vitória por 3 a 2, ontem, sobre o Olaria.


* Revista da TV. Nos bastidores do poder Como operam as TVs públicas, comprometidas em mostrar o dia a dia das decisões políticas.

* Revista O Globo. Musas da Sapucaí, como Juliane Almeida, com o corpo pintado para encarnar a super-heroína Elektra, mostram que as fortonas roubam a cena mudando a estética do carnaval carioca.

Formato: PDF
Tamanho: 21.9 MB

Jornal O Dia em PDF, Domingo, 06 de Março de 2011

O que as rainhas esperam dos desfiles

Rio Entra ano e sai ano, elas ajudam a deixar a Marquês de Sapucaí cheia de graça. Símbolos do Carnaval dos novos tempos, as rainhas de bateria são esperadas no Sambódromo hoje e amanhã. Durante o ano todo, há um grande falatório em torno do posto mais cobiçado das agremiações: todas querem vir à frente dos ritmistas. Este ano, a Vila Isabel fez o que o Salgueiro já havia feito antes: escalou um time de musas para abrilhantar sua passagem, com direito a atrizes e a BBB ‘transex’ Ariadna. E convidou uma paulista para reinar: Sabrina Sato, que estreia no posto na folia carioca. Da novata à veterana Luiza Brunet, as beldades adiantam o que os fãs poderão ver mais tarde, quando cruzarem a Avenida. Se para a maioria a fantasia é segredo, Adriane Galisteu, outra paulista, não faz mistério depois de 16 anos desfilando e promete figurino minúsculo. Será? É esperar para vê-las passar. A TDB! levou as rainhas para posarem em lugares-símbolo de suas comunidades e, assim, Viviane Araújo ficou soberana numa cachoeira da Floresta da Tijuca e Raíssa parou a estação de trem de Nilópolis. Admire a seguir.
Reinado cercado de beleza

A aclamada beleza do Rio de Janeiro proclamou o encontro de um dos cartões-postais da cidade com a rainha da São Clemente. A bela Bruna Almeida serviu como cenário para o Pão de Açúcar, ou vice-versa, e encaixa perfeitamente com o enredo da escola: ‘O meu, o seu, o nosso Rio, abençoado por Deus e bonito por natureza’. “Sou nascida e criada em Botafogo, é impossível passar e não reparar na beleza dessa enseada”, conta ela, que protagoniza um caso típico de nepotismo. Para o bem, diga-se de passagem. Bruna, de 27 anos, não caiu de paraquedas no Carnaval. Há 12 anos ela vem à frente da bateria por ser a sobrinha do presidente Renato Gomes, o Renatinho. “É uma escola familiar, com vários parentes meus”, assume ela, que virá de gladiadora.

Bela sem prazo de validade

Desfilar por 16 anos e ser a rainha de uma escola pelo mesmo tempo não é para qualquer uma. Luiza Brunet está intimamente ligada ao Carnaval. Ela parou por um ano, mas não conseguiu ficar longe da Sapucaí. “Ser rainha é vestir a camisa. Fico um ano esperando, ansiosa, para chegar nesta época do ano”, conta a eterna musa, que adora receber o carinho da comunidade de Ramos. Mas... e a aposentadoria? Está próxima de chegar? “No Carnaval e em time de futebol, você nunca se aposenta”. Sobre desfilar com sua filha, Yasmin, ela diz que é um sonho. “Ela gostaria muito, algo que nunca teve na Avenida, mas esta é uma decisão que cabe à escola”, afirma Luiza, que usará um vestido com as cores do arco-íris.

Formato: PDF
Tamanho: 45 MB