sábado, 19 de março de 2011

Imagens engraçadas/curiosas - 19/03/2011

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Islands - Abril 2011

>

PhotoPlus - Abril 2011

A erupção do vulcão Shinmoedake

Murmurs Of Middle-Earth (LOTR Remix)

Playboy - USA (2011-04)

Download_Green_Day_–_Awesome_As_F**ck (2011)


Lista de Músicas

01 21st Century Breakdown - (London, England)
02 Know Your Enemy - (Manchester, England)
03 East Jesus Nowhere - (Glasgow, Scotland)
04 Holiday - (Dublin, Ireland)
05 Gloria - (Dallas, Texas)
06 Cigarettes And Valentines - (Phoenix, Arizona)
07 Burnout - (Irvine, California)
08 Pasalaqua - (Chula Vista, California)
09 JAR - (Detroit, Michigan - August 23rd 2010)
10 Holden Caulfield - (New York, New York)
11 Geek Stink Breath - (Saitama-shi, Japan)
12 When I Come Around - (Berlin, Germany)
13 She - (Brisbane, Australia - December 8th 2009)
14 21 Guns - (Mountain View, California)
15 American Idiot - (Montreal, QUE)
16 Wake Me Up - (Nickelsdorf, Austria)
17 Good Riddance - (Nickelsdorf, Austria)

Os melhores EpicWin’s de fevereiro

Jornal O Dia em PDF, Sabado, 19 de Março de 2011

Piso: reajuste de 6,86%
Líder do governo confirma fórmula que será usada para corrigir as nove faixas do salário regional. Mensagem já está na Alerj. Trabalhadores apresentarão emendas

Rio - O deputado André Corrêa (PPS), líder do governo na Assembleia Legislativa do do Rio (Alerj), confirmou ontem que o reajuste do piso regional seguirá, neste ano, o mesmo modelo já adotado pela União. A mensagem do governador Sergio Cabral, enviada ontem à Casa, propõe um aumento de 6,8627%. De acordo com o parlamentar, a fórmula de cálculo levará em conta o Produto Interno Bruto (PIB) estadual de três anos antes mais a variação da inflação, conforme antecipou ontem o jornal O DIA, com exclusividade.

Ainda não está definido se o modelo será usado novamente nos próximos anos. A mensagem do Executivo propondo os 6,86% deverá ser publicada no Diário Oficial do Legislativo na segunda-feira. “Essa é só a sugestão do governo. Mas vamos ouvir também o setor empresarial. Ainda não está fechado. A Casa vai discutir os valores, e serão propostas emendas”, afirmou Corrêa.

Na mensagem, Cabral pede que a tramitação do projeto de lei seja tratada em regime de urgência e cita o “amplo alcance social da medida, que já beneficia cerca de dois milhões de trabalhadores”.

Se o novo modelo for adotado para os anos seguintes, a expectativa do estado é que a demora na definição do reajuste, como a que ocorre este ano, seja evitada. Com isso, a discussão política fica de fora do processo de decisão do aumento.

A Justiça definiu ainda que os acordos coletivos vão prevalecer sobre as faixas do piso regional. Com isso, serão contemplados pelo novo salário somente os trabalhadores não organizados ou ligados a sindicatos fracos. As faixas valem também em caso de inexistência de sindicato patronal organizado, como é o caso das domésticas.

Com o reajuste de 6,86%, o menor patamar salarial será de R$ 591,28, contemplando o setor agrícola. O maior vai chegar a R$ 1.586,46, para advogados e contadores.

EMENDA DOS TRABALHADORES

Inconformados com a decisão de Cabral de enviar proposta sem negociar, os representantes dos trabalhadores tentarão convencer deputados a apresentar emendas. Uma delas prevê reajuste de 6,86%, acrescido de 4,5%, que resultará em 11,70%. Isso seria para repor as perdas salariais.

Formato: PDF
Tamanho: 24.5 MB

Jornal O Globo em PDF, Sabado, 19 de Março de 2011

Primeiro Caderno: Cessar-fogo não convence e Obama dá ultimato a Kadafi. Somente a retirada de tropas de cidades rebeldes evitaria um ataque à Líbia.

Segundo Caderno. Salas de cinema prometidas por programas do governo Lula não existem e podem jamais sair do papel.

Esportes. A escolha de Torres. Preparador físico, que será o técnico interino do Flu hoje contra o Boavista, está dividido entre as duas funções e não sabe se deve escalar o atacante Fred desde o início do jogo.

Ela. Em sua estreia como colunista do ELA, Reinaldo Moraes fala do macho light, o homem que não é ogro, nem metrossexual.

Prosa & Verso. Maior nome da poesia árabe moderna, o sírio Adonis fala sobre revoluções populares, conflitos religiosos e arte.

Globinho. Funkeiro de 8 anos teve uma de suas músicas usada sem autorização no “GTA”, game de sucesso mundial.

Formato: PDF
Tamanho: 33 MB

Culpado!

Jornal O Estado de SP em PDF, Sabado, 19 de Março de 2011

Forças de Kadafi desrespeitam cessar-fogo e bombardeiam Benghazi - O líder líbio Muamar Kadafi desrespeitou o cessar-fogo e ordenou um ataque violento a Benghazi neste sábado, 19, apesar da resolução da ONU. Os rebeldes foram atacados de forma intensa e de surpresa. A cidade foi bombardeada em vários pontos - pelo menos oito pessoas teriam morrido. Um avião de combate (foto) foi derrubado pelos rebeldes durante os ataques e que a ofensiva se desenvolveu por terra e por ar. As forças leais a Kadafi, inclusive, já entraram em alguns bairros da periferia do oeste de Benghazi.

Uma grande nuvem negra cobriu a cidade após os ataques. Agências internacionais relataram pelo menos quatro grandes explosões.

Um porta-voz de Kadafi desmentiu as informações da quebra do cessar-fogo e afirmou que foram os rebeldes que desrespeitaram o acordo. O ditador alertou os países ocidentais por meio de seu porta-voz de que qualquer intervenção militar na Líbia é uma "clara agressão". "Isto é uma injustiça, isto é uma clara agressão", disse o porta-voz citando as palavras do líder líbio em uma carta dirigida à França, ao Reino Unido, aos Estados Unidos e à ONU. "Vocês irão se arrepender se derem um passo na intervenção em nossos assuntos internos." Kadafi ainda ameaçou a ONU, afirmando que a resolução "é inaceitável, já que o Conselho de Segurança da ONU não tem mandato para intervir nos assuntos internos dos países".

Neste sábado, acontecerá a cúpula de Paris com os principais participantes dos esforços diplomáticos, entre eles a Secretária de Segurança dos Estados Unidos, Hillary Clinton, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, e o presidente da França, Nicolas Sarkozy . As grandes potências podem iniciar um ataque contra Kadafi depois da reunião, uma vez que o ditador líbio voltou a atacar os rebeldes. (Com AP, Efe e Reuters)

Formato: PDF
Tamanho: 67.7 MB

Japão: Uma semana depois

Resumo da Semana - 18/03/2011

A melhor cena de bullying. Acredite, você vai gostar de ver!

sexta-feira, 18 de março de 2011

Imagens engraçadas/curiosas - 18/03/2011

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Jornal O Globo em PDF, Sexta, 18 de Março de 2011

Após uma semana, Japão tem primriro avanço contra desastre: O governo japonês obteve ontem o primeiro avanço na batalha para evitar uma catástrofe nuclear no complexo de Fukushima:
milhares de litros de água foram despejados por helicópteros e caminhões-pipa para resfriar dois reatores, e uma operação bem-sucedida conseguiu viabilizar o restabelecimento de energia elétrica num outro. Embora o risco de colapso das usinas ainda não esteja descartado, o nível de radiação caiu 20 pontos. O chefe da agência nuclear da ONU disse que a situação é séria, mas estável. O G-7 anunciou uma intervenção conjunta para conter a valorização excessiva do iene que poderia prejudicar ainda mais a economia do país. Páginas 30 e 35 a 38, Arthur Dapieve, Luiz Garcia e editorial “Japão e o mundo numa tragédia histórica

Formato: PDF
Tamanho: 29 MB

Jornal O Dia em PDF, Sexta, 18 de Março de 2011

Estado quer regra fixa para reajuste do piso regional Proposta atenderia trabalhadores sem acordos salariais coletivos e garantiria ganho anual

Rio - O Governo do Estado discute política de reajuste fixo para o piso regional, adotando uma fórmula que dispense a demorada discussão anual entre trabalhadores e empresários. O modelo pode ser enviado à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) com a proposta de aumento do piso deste ano ou seguir logo após a aprovação dos novos salários.

A proposta de política de reajuste mais forte é a que leva em conta a inflação do ano anterior ao de vigência do aumento e um indicador macroeconômico, possivelmente o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do estado de três anos antes. Ao adotar a fórmula, num espelho do que União lançou para o reajuste anual do salário mínimo nacional, o estado atende pedido dos empresários, que querem despolitizar a discussão do reajuste anual do piso.

“Na prática será política de valorização permanente dos vencimentos”, disse um dos envolvidos na discussão do piso regional, lembrando que a referência ao PIB de três anos antes e, não, de dois anos (como na União), se deve à própria característica do indicador — há diferença de meses entre a divulgação do crescimento do PIB nacional e o dos estados.

ACORDOS COLETIVOS

Como a Justiça já bateu o martelo e decidiu este ano que acordos coletivos prevalecem sobre os valores fixados pelo piso regional do Rio, a fórmula atenderá unicamente trabalhadores não-organizados e os ligados a sindicatos fracos. Atenderá também empregadores sem sindicatos patronais organizados, como no caso das donas de casa que contratam domésticas.

Conforme O DIA antecipou com exclusividade na quarta-feira, para o reajuste deste ano o governador Sérgio Cabral decidiu que a fixação do índice não sairia do Conselho Estadual de Trabalho e Renda, órgão representativo que reúne representantes do governo, dos empresários e dos trabalhadores.

A mensagem do governador com o aumento seguirá para Alerj na semana que vem. Ela não trará surpresas: acompanhará o aumento no piso nacional (que foi aumentado em 6,68%, de R$ 510 para R$ 545). Assim, o piso regional da menor faixa, que abrange trabalhadores agropecuários e florestais, passará de R$ 553,31 para valor em torno de R$ 592.

Trabalhadores obtiveram ganho real no ano passado

Pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgada ontem, comprovou que, em 2010, 89% das categorias de trabalhadores na indústria, comércio e serviços tiveram aumento real de salário. É a maior proporção de negociações acima da inflação de toda a série, iniciada em 1996. Conforme o levantamento, a proporção de negociações com ganhos reais (acima da inflação) superiores a 3% alcançou 15% dos acordos. Em 2009, essa parcela foi de apenas 5%.

De um total de 700 de negociações, 88,7% tiveram aumento real de salários, ante 79,61% do ano anterior. O balanço também mostra que 7% de negociações garantiram a reposição da inflação e 3,4% ficaram entre 0,01% e 1% abaixo da inflação.

“Foi a maior proporção de acordos com ganhos reais nos últimos 13 anos”, apontou José Silvestre, coordenador da pesquisa.

De acordo com Fabio Kanczuk, professor de economia da Universidade de São Paulo (USP), o problema é quando os reajustes superam o crescimento da produtividade. “Este ano vimos isso acontecendo em vários setores, como construção civil e varejo”, diz.

Segundo o professor, as eleições motivaram uma política econômica mais frouxa, e isso se refletiu nas negociações. “Teve setores com aumento acima de 10%”, avaliou.

Formato: PDF
Tamanho: 23 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Sexta, 18 de Março de 2011

Potências atacarão Líbia em 'algumas horas', diz França:
PARIS - O ataque militar autorizado pela Organização das Nações Unidas (ONU) contra as forças do ditador da Líbia, Muamar Kadafi, deve começar 'em algumas horas', afirmou nesta sexta-feira, 18, o porta-voz do governo francês, François Baroin, em entrevista à rede RTL. O governo britânico ordenou à cúpula militar que finalize o plano para impor uma zona de exclusão aérea na Líbia e a Força Aérea Britânica (RAF, na sigla em inglês) está de prontidão, segundo o jornal The Guardian. Na noite de quinta-feira, 17, o Conselho de Segurança da ONU aprovou uma resolução que autoriza o uso de "todos os meios necessários" para proteger os civis das tropas leais a Kadafi. Fontes diplomáticas francesas disseram que a ação incluirá a participação da França, Grã-Bretanha, Noruega e possivelmente os EUA e uma ou mais nações árabes.

Os caças Tornados da RAF devem ser os primeiros a atacar a defesa antiaérea de Kadafi. Os aviões, baseados na Escócia e em Norfolk, cidade no leste da Inglaterra, utilizariam bases no sul da França ou no Chipre. O Canadá também ofereceu seis caças CF-18 para a operação.

A Itália, por sua vez, disponibilizou suas bases militares para garantir o cumprimento da resolução, segundo a Reuters. A base aérea de Sigonella, na Sicília, que fornece apoio logístico à Sexta Frota do Estados Unidos, é uma das bases da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) mais próximas à Líbia e poderá ser usada na ação.

"É um desenvolvimento positivo", afirmou uma fonte italiana após a sessão do Conselho de Segurança. Questionada sobre se a Itália iria oferecer suas bases para a aplicação da resolução da ONU, a fonte disse: "Sim, dissemos que estamos prontos para fazê-lo".

O Egito começou a fornecer armas de pequeno porte, como rifles e munição, para rebeldes no leste da Líbia, com o aval dos Estados Unidos, segundo o The Wall Street Journal. É o primeiro esforço conhecido de um governo estrangeiro para armar a oposição a Kadafi.

A votação

Dez dos 15 países-membros do Conselho de Segurança votaram a favor da resolução que autoriza a aplicação de uma zona de exclusão aérea de forma imediata e qualquer medida adicional - menos uma incursão terrestre - para impedir ataques que possam resultar na morte de civis. Eram necessários ao menos nove votos favoráveis, sem nenhum veto. O Brasil se absteve da votação, assim como Alemanha, Índia, China e Rússia.

A embaixadora brasileira na ONU, Maria Luiza Viotti, atribuiu a abstenção do país ao texto da resolução. "As medidas adotadas podem causar mais danos do que benefícios. Mas não significa uma aceitação do comportamento do governo líbio", disse. Além disso, segundo a representante brasileira os movimentos no mundo árabe têm crescido internamente, e uma intervenção externa alteraria esta narrativa, tendo repercussões na Líbia e em outros países.

As negociações estiveram sob o comando da França, da Grã-Bretanha e do Líbano. Os EUA envolveram-se mais intensivamente nos últimos dias depois que a Liga Árabe e a União Africana se posicionaram a favor da zona de exclusão aérea. O desafio, ao longo dos últimos dois dias, foi convencer a China e a Rússia a não vetar a resolução.

EUA cogitam treinar rebeldes

Na avaliação de alguns países, mesmo a zona de exclusão aérea não será suficiente. A embaixadora dos EUA junto à ONU, Susan Rice, disse antes da votação que talvez sejam necessárias medidas ainda mais restritivas para conter o regime líbio. Os EUA e seus aliados poderiam também enviar militares para assessorar e treinar os rebeldes, disse um oficial americano.

Demonstrando a importância da questão para a França, o próprio chanceler Alain Juppé compareceu ao conselho em Nova York e disse que a "obrigação dos franceses não é dar lições, mas ajudar as pessoas a decidir seu futuro. A situação na Líbia é alarmante. Não podemos abandonar a população civil diante da repressão. Temos pouco tempo. É uma questão de dias. Ou mesmo de horas. Cada hora que passa, aumenta o peso sobre os nossos ombros. Não podemos atuar tardiamente".

Kadafi ameaça

Minutos depois de a ONU aprovar a intervenção, Kadafi disse que a decisão do órgão é "um ato flagrante de colonização" ilegal. Isso é loucura, insanidade, arrogância. Se o mundo enlouquecer, enlouqueceremos junto. Vamos responder. Faremos de sua vida um inferno, porque estão fazendo isso da nossa. Eles nunca terão paz", disse o ditador ao canal português RTP.

Mais cedo, o ditador, que está há 40 anos no poder, já havia dito que suas forças estavam prontas para atacar Benghazi, principal reduto rebelde. "Está decidido. Estamos chegando. Não teremos misericórdia".

Formato: PDF
Tamanho: 30 MB

Chinês com raiva destrói Lamborghini Gallardo

Japão - novos medos como a tragédia aprofunda

Outdoor Photographer - Abril 2011


Casa Vale - Edição 16 (2011-03 - PT-BR)

Reebendo de manhã o amor dos leões

Veja - Edição 2208 (16/03/2011)

1 Milhão prá Bethânia

Imagem em 360º da destruição em Kesennuma - Japão

quinta-feira, 17 de março de 2011

Imagens engraçadas/curiosas - 17/03/2011

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Jornal O Estado de SP em PDF, Quinta, 17 de Março de 2011

Níveis de radiação perto de Fukushima estão 'extremamente altos', dizem EUA
Washington instruiu civis e militares a ficar ao menos 80 km longe da usina no nordeste do Japão - WASHINGTON - O diretor da Comissão Reguladora Nuclear dos EUA, Gregory Jaczko, afirmou ao Congresso americano nesta quarta-feira, 16, que os níveis de radiação ao redor da usina nuclear de Fukushima, no nordeste do Japão, estão 'extremamente altos' e podem ameaçar de forma letal os agentes de emergência."Acreditamos que nos arredores do reator há altos níveis de radiação", afirmou Jaczko, durante audiência do Subcomitê de Comércio e Energia da Câmara dos Deputados. "Seria muito difícil para os agentes de emergência chegar perto dos reatores. As doses a que eles poderiam ser submetidos seriam potencialmente letais num curto período de tempo", esclareceu.

Jaczko disse que a agência, o principal órgão regulador nuclear dos EUA, tinha informações muito limitadas sobre o que estava acontecendo na usina de Fukushima e que não queria especular muito sobre o assunto. Ele afirmou ainda que seu país não será afetados pela radiação e que a área de isolamento ao redor da instalação nuclear era menor do que a sugerida pela agência.

Jaczko relatou alguns dos problemas nos reatores de Fukushima. Todos os seis dispositivos apresentaram problemas no sistema de refrigeração. Houve explosões em alguns deles, incêndios em outro e os núcleos de três deles sofreram danos. As autoridades japonesas lutam contra o que poderia se transformar em um desastre nuclear.

Preocupado com a exposição à radiação sobre seus soldados, os EUA informaram que não permitirão que seus militares entrem em uma área que compreende um raio de 80 quilômetros da usina, segundo informações do coronel David Lapan, porta-voz do Pentágono. Os civis que moram nessa área de Fukushima foram instruídos pela embaixada a deixar o local ou ficar dentro de casa.

Formato: PDF
Tamanho: 36 MB

Jornal O Dia em PDF, Quinta, 17 de Março de 2011

Estado legaliza ‘bico’ e PMs vão fiscalizar vans: Rio - O governador Sérgio Cabral instituiu ontem o Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis), que permite que policial militar trabalhe em atividades conveniadas com municípios do estado. A Prefeitura do Rio já sinalizou que pretende assinar o convênio para o uso de policiais na fiscalização de vans. O turno adicional será de oito horas e limitado a 12 dias no período de um mês. O policial deverá ter intervalo de oito horas de repouso antes de retornar à corporação.

Para cada oito horas de trabalho adicional, serão pagos R$ 175, para oficiais, e R$ 150, no caso de praças. A gratificação não sofrerá a incidência de contribuição previdenciária, e o bônus será pago pela prefeitura conveniada. Mas o “bico” não se estende a quem desempenha funções de comando, direção e chefia.

O município interessado deverá solicitar à Polícia Militar o efetivo necessário para determinado evento. Caberá à corporação checar os policiais aptos para a função e colocar as vagas à disposição dos PMs, já que o trabalho adicional não é obrigatório.

O policial não poderá participar do Proeis se estiver respondendo a Processo Administrativo Disciplinar (PAD), entre outras medidas punitivas. Também não poderá estar licenciado, mesmo que para tratamento de saúde ou a fim de sanar problemas com doenças de familiares. O comandante-geral da Polícia Militar será o responsável por instituir uma comissão que acompanhará as atividades do Proeis.

IDENTIDADE FUNCIONAL

O estado recadastra 924 servidores das cidades de Miguel Pereira, Areal e Comendador Levy Gasparian. As informações estão disponíveis no sitewww.idfuncional.rj.gov.br ou pelo telefone 800-2822326.

Formato: PDF
Tamanho: 23.6 MB

Jornal O Globo em PDF, Quinta, 17 de Março de 2011

EUA, União Europeia, França e Rússia preveem o pior nos reatores 3 e 4 da usina de Fukushima, no Japão.
TÓQUIO - Com três reatores do complexo nuclear de Fukushima I (Daiichi) gravemente avariados e os níveis de radiação numa preocupante curva ascendente, organismos internacionais são unânimes em declarar: a situação está fora de controle e os níveis de radiação "extremamente altos" no Japão. Horas depois de o chefe da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano, confirmar danos ao núcleo de três usinas - 1, 2 e 3 - nos Estados Unidos, o chefe da Comissão Reguladora Nuclear americana (NRC), Gregory Jaczko, declarou que a piscina de armazenamento de combustível do reator número 4 estava completamente seca - ou seja, num estágio onde nada mais impediria as varetas de urânio de derreterem completamente, liberando uma nuvem tóxica altamente radioativa. Jaczko não revelou a fonte da informação, mas a NRC tem funcionários envolvidos diretamente nos trabalhos em Fukushima (Entenda o vocabulário atômico) .

- Acreditamos que a região do reator esteja sob altos níveis de radiação. Será muito difícil que trabalhadores de emergência consigam chegar até o local. As doses de radiação às quais podem ser expostos seriam potencialmente letais em um período curto de tempo - declarou Jaczko.

" Acreditamos que a região do reator esteja sob altos níveis de radiação "

Atingida por explosões e dois incêndios que danificaram as estruturas de contenção nos últimos dias, a piscina de combustíveis reciclados do reator 4 já estaria praticamente ao ar livre. Se confirmado a evaporação total da piscina, analistas advertem que a quantidade de radiação liberada seria equivalente à da usina ucraniana de Chernobyl, em 1986. Segundo técnicos, a temperatura da água que ainda resta no local também é alta - em mais de 80 graus Celsius, quando o nível normal é de cerca de 30. - Os próximos dois dias serão decisivos. Estou pessimista, pois desde domingo nenhuma das soluções funcionou. É uma situação de alto risco; uma evaporação completa nos deixaria no mesmo nível de exposição que Chernobyl - alertou o diretor do Instituto de Radioproteção e Segurança Nuclear da França (IRSN), Thierry Charles.

O chefe da AIEA, Yukiya Amano, classificou a situação como "muito séria" e anunciou que viajará pessoalmente ao Japão para obter informações mais de perto. E, advertindo para o pior dos cenários, o chefe da agência nuclear russa, Sergei Kiriyenko, e o chefe de Energia da União Europeia, Guenther Oettinger, também fizeram previsões sombrias para os próximos dias.

- Estamos em algum lugar entre um desastre e um desastre gigantesco - afirmou Oettinger ao Parlamento Europeu.

Outro motivo de alerta máximo foi causado pelo reator 3 - o único que usa plutônio, mais tóxico que o urânio, como combustível. Durante todo o dia, houve escapamento de fumaça da estrutura, provavelmente, da piscina de combustível.

(Momento a momento, a crise nuclear e a repercussão da tragédia no Japão)

(Linha do tempo mostra, dia a dia, as consequências do terremoto e da tsunami)

A batalha travada pelo Japão nesta quarta-feira foi além dos esforços para superar os problemas de superaquecimento das usinas - e envolveu, ainda, uma guerra de versões acerca da possibilidade real de uma hecatombe nuclear no país. Depois de abortar o plano de recorrer a helicópteros para jogar água sobre as estruturas, a Tokyo Electric Power Company (Tepco), operadora do complexo de Fukushima, disse na madrugada desta quinta-feira (hora local) estar prestes a concluir a construção de uma nova linha de transmissão elétrica para restaurar a eletricidade e, assim, religar as bombas d'água elétricas para resfriar os reatores.

Nesta quarta-feira, funcionários voltaram à usina acidentada em Fukushima, depois de terem sido retirados no dia anterior por medida de segurança, mas o resfriamento com helicóptero foi abortado . As autoridades japonesas cogitam agora utilizar um caminhão-pipa com um canhão de água para molhar os reatores.

Formato: PDF
Tamanho: 27.5 MB