sábado, 2 de abril de 2011

Jornal da Tarde em PDF, Sabado, 02 de Abril de 2011

Prefeito de SP muda, máfia da merenda fica:
O Ministério Público apura supostos pagamentos de propina da chamada máfia da merenda que teria atuado nas gestões de Marta Suplicy (PT), José Serra (PSDB) e Gilberto Kassab (DEM) na Prefeitura. Documentos, planilhas, memorandos, testemunhas e a delação do sócio de uma das empresas investigadas são provas da Promotoria de que o esquema de corrupção teria passado de uma gestão a outra na cidade.

A investigação é sustentada por depoimentos do empresário Genivaldo dos Santos, sócio da Verdurama, envolvida no esquema. Em 26 de março de 2010 ele compareceu primeira vez ao MP para contar detalhes do esquema. O JT teve acesso a sete depoimentos dele. Políticos e empresas citadas negam as acusações (leia ao lado).

O acordo para que o empresário revelasse o que sabia só ocorreu após a revelação da existência de interceptações telefônicas em caso de sequestro. Nelas, diretores de empresas de merenda foram flagrados conversando sobre pagamentos de propina para prefeituras. Santos estava entre eles. Confrontado com as provas, ele decidiu colaborar com o MP.

O empresário contou que as empresas da merenda formavam cartel. A Verdurama, na verdade, seria do empresário Eloizo Durães, dono da SP Alimentação, que também estaria por trás da Gourmaitre. Elas, Nutriplus, Geraldo J. Coan e Convida (grupo Denadai) se reuniriam para combinar preços e áreas de atuação. Usariam notas frias para encobrir propina e obter verbas federais – de 2008 a 2010 o esquema teria movimentado R$ 280 milhões em notas.

Em lobby pela terceirização da merenda, as empresas, segundo o MP, se aproximavam dos candidatos a prefeito e ofereciam dinheiro. No caso da capital, teriam sido feitas doações ilegais de R$ 2 milhões a dois candidatos em 2004. Em 2008, só a SP Alimentação teria pago R$ 1 milhão a dois candidatos.

Na gestão Marta foi iniciada terceirização da merenda – 30% do total –, que continuou nas gestões Serra e Kassab até chegar a 90%. Além de pagar propina sobre o faturamento ou valor fixo mensal, empresas são acusadas de servir merenda de má qualidade. Após o início das investigações, contratos da merenda foram revistos, e, segundo o MP, a Prefeitura economizou cerca de R$ 40 milhões.

Os pagamentos irregulares em São Paulo começaram, segundo o MP, antes da terceirização – as empresas da chamada merenda direta já pagavam propina, mas menor (2% dos contratos). Na gestão Marta, a cobrança teria mais que dobrado – foi quando se decidiu pela terceirização, em 2003.

Secretário e ex são acusados
Santos acusa o ex-secretário de Abastecimento da gestão Marta, o jornalista Valdemir Garreta, de receber o dinheiro. De 2003 a 2004, os documentos mostraram supostos 18 pagamentos que, somados, chegam a R$ 2.830.432,18. Segundo Santos, a administração petista cobrava 5% de propina.

Durães seria o responsável por entregar o dinheiro. Mas ele, segundo Santos, arrecadava 7% entre colegas do suposto cartel e ficava com 2%. Por causa disso teria sido substituído na gestão Serra pelo empresário Fabrício Denadai. Todos negam as acusações.

A propina, segundo a testemunha, deixou então de ser 5% do total do contrato para ser de R$ 600 mil por mês. O dinheiro seria entregue todo dia 10 por dois emissários num escritório da Nutriplus, na zona sul da capital.
Santos então acusa Januário Montone, ex-secretário de Gestão de Serra e Kassab e atual titular da Saúde, de ter recebido R$ 100 mil em duas parcelas em 3 e 23 agosto 2007. Montone nega e diz que vai processar detratores.

Formato: PDF
Tamanho: 71 MB

Folha de São Paulo em PDF, Sabado, 02 de Abril de 2011

Ataque religioso mata 7 da ONU no Afeganistão:
Ao menos 12 pessoas morreram em um ataque a um prédio da ONU ontem em Mazar-i-Sharif, no Afeganistão. Sete eram funcionários do órgão. Foi a ação mais letal desde 2003, quando 22 morreram em Bagdá, entre elas Sérgio Vieira de Mello. Entre os membros da ONU mortos há quatro nepaleses, um sueco, um romeno e um norueguês.

Veja Também:

Ao menos 12 pessoas morreram em um ataque a um prédio da ONU ontem em Mazar-i-Sharif, no Afeganistão.
Sete eram funcionários do órgão.
Foi a ação mais letal desde 2003, quando 22 morreram em Bagdá, entre elas Sérgio Vieira de Mello.
Entre os membros da ONU mortos há quatro nepaleses, um sueco, um romeno e um norueguês.

Emissários do ditador da Líbia negociam com aliança militar

Resposta de livros de escolas estaduais de SP está na internet

Corte de verba prejudica ação contra trabalho escravo no país

Governo de MG convida Agnelli para a Cemig

JOÃO PEREIRA COUTINHO:
A festa acabou em Portugal, a terra das aparências

Remédio trata leishmaniose sem efeito adverso

Mudanças da Fifa atrasam estádios da Copa-2014
Formato: PDF
Tamanho: 86 MB

Jornal O Dia em PDF, Sabado, 02 de Abril de 2011

Maria e Wesley querem triplicar a fortuna e planejam viagem romântica: Rio - Com a conta bancária recheada com R$ 1,5 milhão, Maria Melilo já começa a curtir e a planejar a sua vida de milionária. A vencedora do ‘BBB 11’ levou uma bolada e um ‘filé’, Wesley. “Eu quero triplicar esse milhão, aproveitando as oportunidades que aparecerem”, diz Maria. E os dígitos podem crescer depois de um ensaio nu? “Eu tenho uma reunião na próxima semana com a ‘Playboy’. Vamos ver como fica”, revela. E o Wesley, vai sentir ciúmes? “Não, de jeito nenhum. Ela leva o maior jeito e tem que aproveitar”, conta, seguro.
Maria e Wesley estão vivendo um verdadeiro conto de fadas. “Não poderia ser melhor, é um sonho mesmo”, declara o médico. Daqui para frente, o casal milionário pensa em aproveitar as oportunidades que surgem depois do programa. “Hoje terei uma resposta de como ficará a minha situação na residência médica, mas acho que vou aproveitar o que está aparecendo até o final deste ano e depois voltar para a medicina”, diz o doutor.

Maria quer seguir com a carreira de atriz e sonha em fazer novelas, mas sabe que não será tão simples. “Tenho três anos de formada, fiz a escola do Wolf Maia, mas nada cai do céu. Preciso estudar mais. Sei que o trabalho do ator não é fácil e temos que estar sempre estudando”, afirma. Apesar da agenda lotada e do assédio, os dois também planejam um momento a sós. “Eu quero ir para uma praia deserta, me desligar completamente”, deseja Maria. Quando o assunto é intimidade, Maria e Wesley revelam que estão se curtindo. “Pedi a Maria em namoro, como deve ser, apesar disso ter acontecido naturalmente”, conta o romântico vice-campeão que até ganhou uma comunidade no Orkut, ‘Mãe, quero um Wesley para mim’. E na hora do vamos ver? “Tá tudo ótimo”, se limita a dizer o rapaz. Sobre fantasias sexuais, o médico revela: “A Maria já é a minha fantasia”. Aliás, a moça mostrou o quanto é fogosa dentro da casa do ‘BBB’ e aqui fora? “Sempre gosto de inovar, fazer surpresas, coisas românticas, tudo para que não caia na rotina”.

Já as polêmicas envolvendo a vencedora do ‘Big Brother Brasil 11’, como a declaração de Ariadna de que Maria seria garota de programa, e os vídeos e fotos eróticas que apareceram na Internet, a atriz diz que vai tomar as providências cabíveis. “Sei que minha mãe deu entrada em um processo contra a Ariadna e acho que vou dar continuidade”, revela.

E quando colocar a mão no R$ 1,5 milhão que ganhou, Maria avisa que não vai gastar muito, mas que tem um sonho de consumo. “Gosto muito de viajar e queria conhecer o Havaí”. O príncipe filé também tem a mesma opinião. “Hoje também faria uma viagem, principalmente para descansar”. Mas, o provável é que o paraíso dos surfistas fique, por enquanto, em segundo plano e ela nem gaste um centavo do seu rico dinheiro. Maria ganhou uma viagem para Los Angeles e vai levar o seu doutor junto.

Formato: PDF
Tamanho: 25 MB

Jornal O Globo em PDF, Sabado, 02 de Abril de 2011

* Primeiro Caderno. Juízes alegam até calor para rejeitar
o expediente integral. No Piauí, diz desembargador, ‘é impraticável trabalhar das 12h às 15h’.

* Segundo Caderno. Felipe Hirsch volta ao mundo da música pop com “Trilhas sonoras de amor esquecidas”, no Festival de Curitiba.

* Esportes. Um rato que veio do céu. Roedor cai na arquibancada das Laranjeiras no último treino do Flu antes do jogo com o Volta Redonda.

* Ela. Do bar 24 horas à floricultura tradicional, dez lugares que fazem de Copacabana um dos bairros mais instigantes do Rio.

* Prosa & Verso. Livro feito em uma semana pela internet reúne relatos sobre tragédia no Japão.

* Globinho. Crianças contam por que são fãs de “Chaves”, seriado mexicano criado há 40 anos.

* Revista Pulso. Corredores de vários níveis encontram na meditação e na ioga uma ferramenta para melhorar seu desempenho.

Formato: PDF
Tamanho: 30 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Sabado, 02 de Abril de 2011

Protestos por queima de Alcorão deixam 9 mortos no Afeganistão
País vive segundo dia de protestos contra os EUA; na sexta-feira, 7 funcionários da ONU foram mortos no pior ataque contra a organização no país desde a invasão de 2001.
KANDAHAR, Afeganistão - Nove pessoas morreram neste sábado, 2, em Kandahar em novos protestos contra a queima do Alcorão, um dia depois de sete funcionários da Organização das Nações unidas (ONU) terem sido mortos no pior ataque contra a organização no Afeganistão desde a invasão de 2001. A onda de violência foi despertada pela queima do livro sagrado muçulmano por uma pequena igreja da Flórida, nos EUA, no final de março.
Os novos protestos tiveram início no centro da cidade de Kandahar, sul do país, e se espalharam por outras localidades, enquanto a polícia entrava em confrontos com multidões que marchavam na direção dos escritórios da ONU e sedes administrativas de províncias, informaram testemunhas.
Kandahar é o centro espiritual do Taleban, que tem lutado contra o governo do presidente Hamid Karzai e seu aliados ocidentais desde que foi derrubado pela invasão liderada pelos Estados Unidos. "Morte à América" e "Morte a Karzai" gritavam os manifestantes. "Eles insultaram nosso Alcorão", gritou um deles.

Um repórter da AFP viu dois corpos sem identificação sendo removidos por manifestantes em Chawk Saheedan, área central onde os protestos tiveram início. Fumaça era vista em diferentes partes da cidade em razão do fogo ateado a carros e pneus. Zalmai Ayoubi, porta-voz da administração provincial, disse à AFP que um ônibus e uma escola para meninas também foram incendiados.

Ele disse que "elementos destrutivos penetraram na multidão e tentam fazer com que o protesto se torne violento". Ayoubi disse também que todos os mortos e feridos eram manifestantes. Segundo o governo, 16 pessoas, das quais sete armadas, foram detidas.

O protesto ocorreu um dia depois de sete funcionários da ONU - três europeus e quatro guardas nepaleses - terem sido mortos durante um protesto semelhante na cidade de Mazar-i-Sharif, norte afegão. O Taleban assumiu a responsabilidade pela violência em Mazar-i-Sharif. As informações são da Dow Jones.

Formato: PDF
Tamanho: 53.7 MB

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Imagens engraçadas/curiosas - 01/04/2011

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

The Complete Guide to the iPad 2

Girls Fail Compilation March 2011

Jornal da Tarde em PDF, Sexta, 01 de Abril de 2011

Adriano quer conquistar fiel:
“Quero dar as boas vindas ao amigo e parceiro. Desejo sorte e que conquiste a Fiel, assim tudo isso será mais fácil.” Assim Ronaldo, oficialmente, passou o bastão ao seu sucessor e candidato a ídolo do Timão: Adriano.

O novo jogador do Corinthians, a mais polêmica contratação da temporada, vai colar no seu padrinho para tentar vencer a descrença geral e provar a todos de que o apelido Imperador não morreu.

“O Ronaldo vai sempre me ajudar”, disse Adriano. “Como fez quando cheguei na Inter de Milão, aos 20 anos, e ele me botou dentro da casa dele sem me conhecer. Hoje ele faz parte disso. Quando você está com um amigo do lado isso te tranquiliza.”

Por pouco os dois não jogaram juntos no Corinthians. Adriano esteve muito perto de assinar com o clube ano passado – a ideia era tê-los na Libertadores.

Mas Ronaldo parou de jogar, e Adriano virou um problemão para a Roma, que rescindiu seu contrato. O Imperador ficou livre.

Muitos clubes, segundo seu ex-empresário Gilmar Rinaldi, queriam contratá-lo, apesar de uma certa apreensão. Será que valeria a pena apostar em Adriano, jogador problemático que parece não ter mais jeito?

O Flamengo, para onde Adriano queria voltar, fechou-lhe as portas, mesmo com os insistentes pedidos da torcida. No meio de tudo isso, apareceu Ronaldo estendendo a mão para seu ex-parceiro de Seleção.

“O Ronaldo não influenciou, mas lógico que vocês sabem que ele é meu amigo, e me disse que o Corinthians é uma família, e eu estou muito feliz de fazer parte dessa família, espero fazer de tudo para entrar no coração dos torcedores.”

A empresa de marketing de Ronaldo, a 9ine, pretende ter Adriano como um de seus clientes. Não para empresariá-lo, mas para cuidar da imagem do Imperador. O contrato ainda não está assinado. “Vou pensar com carinho nisso, com certeza ele vai me ajudar nessa parte, se for bom para mim, assino de olhos fechados.”

Adriano pisou no CT para o início da sessão de fotos no horário marcado, às 12h30, ao lado de dirigentes e da família, outra parte importante nessa sua recuperação (leia texto ao lado). Logo depois se dirigiu à sala de imprensa, apinhada de jornalistas (cerca de 200). Pediu, sorrindo, para “pegarem leve” nas perguntas. Mas falou de tudo. De seus atrasos, falta aos treinos, privilégios, doença, problemas psicológicos, bebida, ligação com traficantes e até Seleção.

Adriano, aos 29 anos, só pediu (mais um) voto de confiança. “Depende de mim, já errei muito e aprendi muito nessa vida.” O deslize da coletiva foi ter dito, ao lado do presidente Andres Sanches, que não comemoraria um gol contra o São Paulo, por respeito ao ex-clube.

Formato: PDF
Tamanho: 41 MB

Barriga dura, com gordura mais interna, é a mais fácil de perder

Endocrinologista Marcio Mancini respondeu às perguntas da internet.
Chás que prometem reduzir gordura não devem ser usados como remédio.

O endocrinologista Marcio Mancini, responsável pelo grupo de obesidade do Hospital das Clínicas em São Paulo, disse após o Bem Estar desta sexta-feira (1º) que a barriga dura, com gordura mais interna, é a mais fácil de ser perdida, ao contrário do que muita gente pensa. A mais resistente é a dos culotes e do quadril.

Ainda segundo o especialista, o ganho de peso na infância deve ser motivo de preocupação, independentemente de onde está localizada essa gordura – na barriga ou em todo o corpo. Muitas vezes, quando os pais suspeitam de que a criança está com sobrepeso, já se trata de um caso de obesidade.

Mancini falou que os chás que prometem redução de gordura não têm esse efeito, por isso não devem ser usados como remédio. Esses líquidos não contêm calorias, mas são apenas uma maneira saudável de se hidratar.

Usar cintas, faixas ou macaquinhos no abdômen ajuda a modelar a silhueta, não a perdê-la, destacou o médico. Aparelhos que esfriam ou esquentam o corpo e anunciam que diminuem a gordura também não funcionam, na opinião dele.

Tomar muito líquido não causa barriga, mas é preciso ter cuidado com os tipos de bebida consumidos. Os que contêm muito açúcar e álcool podem ser prejudiciais, pelo excesso de calorias. Água, chá e sucos de baixa caloria – como limonada e suco de maracujá – são os mais indicados.

De acordo com Mancini, os exercícios aeróbicos são mais importantes para quem tem barriga. Às vezes, a pessoa já está com um abdômen musculoso e tonificado – de tanto fazer abdominal –, mas essa região definida está sob uma camada de gordura que precisa ser eliminada.

Calça jeans muito apertada e de cintura baixa, que marca a cintura, não aumenta a barriga, mas faz com que ela fique mais evidente, afirmou o endocrinologista. Ele também falou que a minilipoaspiração, ou hidrolipo, retira apenas a gordura da camada superficial – a interna permanece.

Quem está com barriga e quer eliminá-la fazendo esportes apenas nos fins de semana deve consultar um médico para uma avaliação. Apesar da queda do metabolismo com o passar dos anos, se o indivíduo tiver uma alimentação equilibrada e fizer atividade física, pode perder peso.

Por fim, Mancini disse que a gordura das coxas e do quadril pode ser genética e que o acúmulo na barriga é o pior tipo, pois está relacionado ao aumento das taxas de glicose, à pressão alta e a alterações do colesterol.
Fonte

Folha de São Paulo em PDF, Sexta, 01 de Abril de 2011

Pela 2ª vez, leilão para trem-bala deve ser adiado:
O governo federal já admite informalmente adiar por 90 dias o leilão do trem-bala, marcado para o próximo dia 11. Será o segundo adiamento da licitação. Na semana que vem, a presidente Dilma Rousseff se reúne com técnicos do governo para acertar detalhes e a nova data. As justificativas para o novo adiamento são a realização de ajustes no edital da concorrência e a necessidade de mais tempo para que outros grupos apresentem suas propostas no leilão.

O governo federal já admite informalmente adiar por 90 dias o leilão do trem-bala, marcado para o próximo dia 11. Será o segundo adiamento da licitação. Na semana que vem, a presidente Dilma Rousseff se reúne com técnicos do governo para acertar detalhes e a nova data. As justificativas para o novo adiamento são a realização de ajustes no edital da concorrência e a necessidade de mais tempo para que outros grupos apresentem suas propostas no leilão.

Veja também:

CNPq anuncia comissão contra fraude científica

Interior tem melhores escolas estaduais de SP

Partidos que apoiam Dilma querem limitar atuação do TSE

Vaticano diz que ação aliada já matou 40 civis na Líbia

Oposição ataca maior cidade na Costa do Marfim

RODOLFO LANDIM: Em energia, o difícil é escolher a 'menos ruim'

JOSÉ SIMÃO: Bolsonaro deveria ir ao show de Preta Gil e à The Week

Em forma de batata

Formato: PDF
Tamanho: 62 MB

Jornal O Dia em PDF, Sexta, 01 de Abril de 2011

Está aí a prova da gravação que você queria, Imperador
O DIA envia a Adriano escuta na qual ele zomba de blitz ao passar dirigindo sem carteira - Rio - O Imperador pediu e O DIA atendeu: hoje, o novo atacante do Corinthians deverá receber CD com escutas telefônicas feitas pela polícia com autorização da Justiça, em que debocha de blitz da PM após passar dirigindo sem habilitação. Ontem, em sua apresentação no clube paulista, ele duvidou que o jornal tivesse a gravação, publicada com exclusividade, e pediu provas. O jornal postou, via Sedex, o CD e um exemplar da edição, endereçados ao Sport Club Corinthians.

O DIA publicou as escutas após Adriano admitir em entrevista que foi ao ar domingo, no Fantástico, ter bebido “cinco ou seis cervejas” antes de dirigir e se recusar a soprar o bafômetro em blitz da Lei Seca, no Rio, em fevereiro, quando teve a carteira apreendida.

O grampo foi feito em 2009 e mostra que o episódio do bafômetro não foi caso isolado e as atitudes polêmicas do Imperador no trânsito não são de agora. Ligações de Adriano passaram a ser monitoradas pela polícia, com autorização judicial, a partir de investigação de quadrilha das favelas Furquim Mendes e Dique.

Grampo 1 - Baixe aqui em MP3

“Tá vendo por que às vezes não gosto de falar com a imprensa?”, queixou-se ontem, Adriano, irritado, quando repórter o questionou sobre a gravação. “Eu quero que eles (o jornal) provem isso que eles estão falando. E eu vou processar eles (sic) se não for verdade”, ameaçou.

Ouça a conversa entre o primo e empresário sobre a ida para o Roma
Grampo 2 - Baixe aqui em MP3

Na entrevista de ontem, o craque tentou rebater o conteúdo das escutas. Num trecho, ele dá a entender em conversa com o primo Vagner que, sem carteira, sua ‘cara’ seria suficiente para não ser incomodado pela fiscalização. “Com certeza isso está errado porque não falo com meu primo há anos”, afirmou Adriano. Mas a ligação grampeada entre os dois ocorreu há quase dois anos. O jogador ainda se disse vítima de invenções. “As pessoas hoje são muito maldosas comigo”, chiou.

‘Não tenho mais problemas’

Adriano também revelou na entrevista de ontem que a volta ao Brasil, após desempenho pífio no Roma, da Itália, onde não fez um gol sequer, foi um pedido da família. Numa das escutas divulgadas por O DIA, um empresário diz ao primo Vagner que a mãe de Adriano, Rosilda, queria que ele ficasse aqui para se tratar. “Mas eu não tenho mais problemas. A minha doença hoje é minha família”, garantiu.

Material enviado chegará ao Corinthians até as 10h

Para que não reste dúvida sobre as escutas telefônicas que deixaram uma pulga atrás da orelha de Adriano, O DIA fez uma cópia da íntegra de duas das mais comprometedoras conversas gravadas: a que ele teve com o primo Vagner em 11 de dezembro de 2009, quando ambos debocham da blitz da PM na Barra da Tijuca, e a que foi travada entre Vagner e um empresário, quando os dois comentam o anseio de dona Rosilda para que o filho permaneça no Brasil para se tratar sem dizer de quê.

O CD e o exemplar de ontem do jornal, com a reportagem sobre as escutas telefônicas, foram enviados num envelope timbrado para que o jogador, carioca da Vila Cruzeiro, possa reconhecer imediatamente o logotipo de O DIA.

O Sedex foi carimbado e despachado numa agência dos Correios na Rua de Santana, no Centro do Rio, às 15h48, como não deixa mentir o recibo expedido no guichê. Segundo o funcionário, que preferiu não ser identificado, o material chegará à sede do Corinthians hoje, até as 10h, se não houver nenhum imprevisto.

Da produção da cópia até a postagem do Sedex, tudo foi devidamente registrado em fotos e vídeo pela equipe de O DIA.

Formato: PDF
Tamanho: 23 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Sexta, 01 de Abril de 2011

Tiririca emprega os amigos humoristas, que ficam em SP, com salário de R$ 8 mil
Colegas de profissão e criadores dos slogans da campanha eleitoral do palhaço mais votado do País, José Américo Niccolini e Ivan de Oliveira são pagos sem precisar dar expediente na capital federal - BRASÍLIA - Deputado mais votado do Brasil, com 1,3 milhão de votos, o palhaço Tiririca (PR-SP) usa dinheiro da Câmara para empregar humoristas do programa A Praça é Nossa. Em 23 de fevereiro, foram nomeados como secretários parlamentares os humoristas José Américo Niccolini e Ivan de Oliveira, que criaram os slogans da campanha eleitoral do deputado. Ambos recebem o maior salário do gabinete, de até R$ 8 mil, somadas as gratificações. Niccolini é presença semanal na TV com o personagem Dapena, uma sátira do apresentador da TV Bandeirantes José Luiz Datena. No ano passado, durante as eleições, o humorista foi protagonista de um quadro cômico que interpretava os então candidatos José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT).

Os humoristas nomeados por Tiririca moram em São Paulo e não cumprem expediente diário como servidores da Câmara - até porque Tiririca não tem escritório político na capital paulista. Niccolini e Oliveira ajudaram a fazer dois dos slogans principais da campanha: "Vote no Tiririca, pior do que está não fica" e "O que é que faz um deputado federal? Na realidade, não sei. Mas vote em mim que eu te conto".

Ideias. Procurado pelo Estado, Niccolini justificou a sua contratação na Câmara com a seguinte frase: "A gente é bom para dar ideias". "Ele (Tiririca) escolheu a gente porque ajudamos na campanha, só por isso. Porque acredita que podemos dar boas ideias."

Os dois secretários parlamentares de Tiririca fazem parte do grupo de humor Café com Bobagem, que, entre outras coisas, tem parceria com o A Praça é Nossa, programa da emissora SBT, onde conheceram o palhaço há dez anos. Por sinal, é no escritório do Café com Bobagem, em São Paulo, e não num lugar ligado ao mandato de Tiririca na Câmara, que os humoristas contratados trabalham diariamente.

Formato: PDF
Tamanho: 36 MB

Jornal O Globo em PDF, Sexta, 01 de Abril de 2011

* Primeiro Caderno. Interferência política torna FGTS-Vale a pior aplicação.
No mês, queda foi de 6,81%, impulsionada por decisão de substituir Agnelli.

* Segundo Caderno. Adriano é mais um na via de mão dupla entre Fla e Corinthians.

* Esportes. Os dois principais eventos literários do Brasil, Flip e Bienal do Livro, apresentam seus planos para 2011.

* Revista Rio Show. Entre as novidades do underground carioca estão menu elogiado no “New York Times” e teatro em boate.

Formato: PDF
Tamanho: 23 MB

Veja - Edição 2210 (30/03/2011)


Conversando a gente se entende...

Resumo da semana - 01/04/2011

quinta-feira, 31 de março de 2011

Folha de São Paulo em PDF, Quinta, 31 de Março de 2011

O corpo do ex-vice-presidente José Alencar é velado nesta quinta-feira no Palácio da Liberdade, sede do governo mineiro. Centenas de pessoas já se aglomeram no local aguardando a abertura para visitação pública.

Antes de chegar no palácio, o corpo percorreu as avenidas Antonio Carlos, Afonso Pena e João Pinheiro, em Belo Horizonte, por cerca de 15 km e a cidade parou para acompanhar o cortejo. Na prefeitura, as bandeiras estão hasteadas a meio mastro em sinal de luto.

Na Base Aérea de Minas, o corpo de Alencar recebeu honras militares e foi conduzido até o palácio em uma viatura histórica, modelo de 1959, utilizada em eventos especiais, como o velório do ex-presidente Tancredo Neves, em 1985.

No Palácio da Liberdade, ele foi recepcionado com honras militares.
Segundo a assessoria do ex-vice-presidente, a cerimônia será restrita aos familiares.

Ontem, a cerimônia com honras fúnebres de chefe de Estado ocorrida no Palácio do Planalto foi acompanhada por mais de 8.100 pessoas, segundo o último balanço da Presidência da República.

A presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegaram em Brasília juntos, a bordo do avião presidencial. A presidente tinha ido a Portugal acompanhar a entrega a Lula do título de doutor honoris causa pela Universidade de Coimbra.

Ao chegar, Lula deu um forte abraço em Josué Gomes, filho de Alencar, e beijou a testa do ex-vice.

Dilma, toda de preto, em sinal de luto, conversou durante alguns minutos com Mariza, viúva do ex-vice, que demonstrava cansaço e abatimento por ter passado a maior parte do tempo ao lado do marido.

"Nós todos sentimos muito", disse Dilma.

A presidente observou o rosto de Alencar no caixão durante alguns segundos e deu um leve toque nas mãos do ex-vice-presidente.

Durante todo o tempo em que Dilma e Lula estiveram no velório, o público continuou entrando no salão nobre do Planalto.

A previsão é de que Dilma e Lula também acompanhem o velório em Belo Horizonte.

Formato: PDF
Tamanho: 96 MB

Jornal O Globo em PDF, Quinta, 31 de Março de 2011

BC vê pressão ‘gigantesca’ sobre os preços em 2011:
O Banco Central jogou a toalha e admitiu ontem que não tem como atingir o centro da meta de inflação de 4,5% este ano. A previsão é que o custo de vida chegue a 5,6% em 2011. Pela regra atual, a inflação pode oscilar até dois pontos para cima ou para baixo, de 2,5% a 6,5%. O alerta foi feito na divulgação do primeiro Relatório de Inflação deste ano em que o BC adverte para um choque “gigantesco” de preços das commodities (matérias-primas). O diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton, disse que o objetivo agora é impedir que o custo de vida ultrapasse 6%. Apenas em junho de 2012 poderia convergir para 4,4%. O Banco Central também enfatizou que a cultura da indexação ainda é forte no Brasil: “O Copom entende que há resistências importantes à queda da inflação no Brasil. Existem mecanismos
quase automáticos de reajustes.”

Formato: PDF
Tamanho: 49 MB

Jornal da Tarde em PDF, Quinta, 31 de Março de 2011

A Universidade de São Paulo (USP) coloca em votação nesta quarta-feira, na reunião do Conselho de Graduação (CoG), sete propostas de mudanças para seu próximo vestibular (Fuvest) que devem aumentar a nota de corte em praticamente todas as carreiras.

As propostas incluem medidas para tornar o processo seletivo mais difícil e restritivo, chamando menos estudantes para a segunda fase, e a criação de um mecanismo que permitirá aos melhores alunos não aprovados nas três primeiras chamadas a escolha de outras carreiras da USP, uma flexibilidade inédita.

O grau de dificuldade da Fuvest deve aumentar porque a USP quer subir a nota mínima na primeira fase de 22 para 27 pontos – ou 30% das 90 questões de múltipla escolha da primeira etapa.

Paralelamente, a universidade deseja alterar outro critério de convocação para a segunda fase, chamando entre dois e três alunos por vaga. Hoje, passam à segunda etapa três vestibulandos para cada vaga oferecida, respeitando a nota mínima de 22 pontos.

Se a ideia de um novo índice vingar, o número de convocados à segunda fase seria variável de acordo com a média geral da carreira obtida pelos candidatos na primeira fase, respeitando os seguintes limites: para uma média de 30 acertos, seriam chamados dois por vaga; para uma média de 60 acertos, três por vaga. Para uma carreira com 45 pontos de média, por exemplo, seriam 2,5 por vaga.

Conforme o JT apurou, como mais de 95% das carreiras não obtêm média superior a 60 pontos na primeira fase, os grupos na segunda fase serão menores e mais qualificados, o que deve aumentar a nota de corte em praticamente todas as carreiras. É o que esperam USP e Fuvest.

Sobre o recurso criado para permitir que a USP mantenha sob sua guarda as “melhores cabeças” estudantis, o instrumento proposto permitiria, por exemplo, que um estudante que não tenha sido aprovado em cursos com candidatos mais qualificados, como Engenharia e Medicina, escolha carreiras em que ainda existam vagas ociosas após a terceira chamada.

Assim, um concorrente de Engenharia poderia migrar para Administração ou Arquitetura ou um aspirante a médico poderia se matricular em Biologia, Química ou Jornalismo. Na Fuvest, até agora, o candidato só escolhe outra opção dentro da própria carreira. “Os melhores terão mais chances (de passar na USP)”, disse um professor da instituição, que pediu anonimato.

Primeira fase valorizada

Outra mudança em pauta é voltar a considerar os pontos obtidos na primeira fase para a composição da nota final. Há dois anos, quando a Fuvest passou por uma mudança estrutural, as questões de múltipla escolha da primeira fase passaram a ter caráter exclusivamente classificatório e a nota final do vestibulando ficou limitada às avaliações da segunda fase, com 20 questões dissertativas por dia.

“O formato em vigor ganha em qualidade (com a prova dissertativa), mas perde em abrangência. Ao se fazer a segunda fase com poucas questões, deixa-se de cobrir tópicos.

A primeira fase, com mais questões, tinha essa abrangência”, diz o professor Valdecir de Assis Janasi, presidente da comissão de graduação do Instituto de Geociências, favorável à proposta de considerar a nota da primeira fase.

A USP quer também reduzir de 20 para 16 o número de questões do segundo dia da segunda fase, um pleito de cursinhos pré-vestibulares, e deseja evitar que estudantes sem o ensino médio completo se inscrevam nas carreiras oferecidas pela universidade, por meio de autenticação das informações prestadas na inscrição.

O Inclusp também deve sofrer alterações, encerrando o bônus automático a alunos de escolas públicas. O Conselho de Graduação tem autonomia para aprovar total ou parcialmente as sete propostas, ou mesmo vetá-las.

AS SETE PROPOSTAS DE MUDANÇAS NA FUVEST

1) Alteração da nota mínima para passar à segunda fase (de 22 para 27 pontos)

2) Chamar menos candidatos para a segunda fase (de 2 a 3 candidatos por vaga), sempre respeitando a nota mínima exigida

3) Considerar nota da primeira fase (com o mesmo peso das provas da segunda fase)

4) Reescolha de carreira após a terceira chamada, permitindo mobilidade do candidato durante o processo seletivo

5) Diminuição do número de questões da prova do segundo dia da segunda fase (20 para 16)

6) Autenticação das informações prestadas na inscrição (para evitar que treineiros sejam chamados para a segunda fase)

7) Novas regras para inclusão social (Inclusp)

Formato: PDF
Tamanho: 35 MB
Formato: PDF
Tamanho: 48 MB

Sobrecarregado e superlotadas

Jornal O Estado de SP em PDF, Quinta, 31 de Março de 2011

Em cerimônia na noite desta quarta-feira, 30, no Planalto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prestou de forma emocionada homenagem a José Alencar, seu vice nos dois mandatos. Ao chegar ao velório de Alencar no Salão Nobre acompanhado da presidente Dilma Rousseff e da mulher, Mariza Letícia, por volta de 21h20, Lula, chorando, abraçou demoradamente o filho do ex-vice, Josué Gomes da Silva. Emocionado, o ex-presidente não conseguiu falar e permaneceu um bom tempo segurando a mão do empresário.

O momento de maior emoção ocorreu no momento em que Lula, ao lado do caixão e enxugando as lágrimas, segurou as mãos e beijou a testa do seu ex-vice. A mulher de Alencar, Marisa Gomes da Silva, e o filho Josué consolaram o ex-presidente. Lula fazia gestos com as mãos, demonstrando tristeza e desolação. Dilma se aproximou do caixão e se abaixou, em sinal de reverência. Lula e Dilma desembarcaram em Brasília meia hora antes, vindos de Portugal, onde o ex-presidente recebeu o título de doutor honoris causa da Universidade de Coimbra.Logo após a homenagem de Lula ao seu vice, o secretário geral da CNBB, dom Dimas Lara, iniciou um rito de recomendação de alma de Alencar. Em pronunciamento, Dom Dimas lembrou o otimismo e o esforço do ex-vice na luta contra o câncer. “Era impressionante o seu otimismo. Ele dizia: ‘Não tenho medo da morte. A minha vida está nas mãos de Deus”. Lula, sentado ao lado de Dilma e de Josué, olhava para o alto, sem esconder a desolação.

Nesta quinta-feira, 31, o corpo de José Alencar será levado para Minas Gerais. Segundo o governador mineiro, Antonio Anastasia (PSDB), o velório do ex-vice-presidente também será aberto ao público no Palácio da Liberdade, sede do governo, das 9 horas até as 13horas. Após o velório, o corpo de Alencar será cremado às 14 horas no Cemitério Parque Renascer, em Contagem.

Até as 18 horas, 4,5 mil pessoas haviam enfrentado pequenas filas e um forte esquema de segurança para ver de perto do corpo do ex-vice-presidente. Depois de 13 anos com um câncer no abdômen, Alencar morreu de falência múltipla dos órgãos na tarde de terça-feira, 29.

Em um carro do Corpo de Bombeiros, o corpo de Alencar chegou ao Planalto às 11 horas, pouco depois da esposa Mariza, dos três filhos e quatro netos. O caixão subiu a rampa do Palácio do Planalto e entrou no Salão Nobre, ornado com 132 coroas de flores, debaixo de aplausos de autoridades e funcionários. Na presença de ministros do Executivo e do Judiciário, governadores e parlamentares, Dom Lorenzo Baldisseri, núncio apostólico do Brasil, celebrou uma missa e lembrou que Alencar dava coragem aos outros até o último momento. “Isso é o mais importante. Ele era um homem de uma fé inquebrantável em Deus”, disse o núncio.

A primeira parte do velório foi fechada e teve a presença apenas das autoridades e de familiares. Às 12h50, o velório foi aberto para os populares. O acesso ao público foi limitado por cordas. A cerca de um metro do caixão, cada pessoa podia apenas passar em frente ao corpo, sem permanecer no local. Mesmo assim, centenas populares aproveitaram para tirar fotos com seus celulares em frente ao corpo. Os visitantes também passaram por uma revista rigorosa e por detectores de metais.

Formato: PDF
Tamanho: 48 MB

Jornal O Dia em PDF, Quinta, 31 de Março de 2011

Emoção marca o adeus dos brasileiros a José Alencar
Milhares enfrentaram longas filas para participar do velório no Palácio do Planalto

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula, que estavam em Portugal, chegaram ontem ao Palácio do Planalto por volta das 21h20 para assistir à segunda cerimônia religiosa durante o velório do ex-vice-presidente José. Eles acompanharam a cerimônia muito emocionados.

De Brasília, o caixão seguiria durante a madrugada para Belo Horizonte, onde hoje pela manhã haverá outro velório no Palácio da Liberdade, sede do governo estadual, na capital mineira. O corpo será cremado às 14h, em cerimônia reservada.
De manhã, missa de corpo presente fora celebrada por Dom Lorenzo Baldisseri, núncio apostólico da Igreja Católica, e o secretário geral da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil, Dom Dimas Lara. “Ele foi para nós testemunho de fé inabalável em Deus. Na sua via-crúcis não se deixou abater e, com a alegria própria dos que creem, soube enfrentar com esperança a doença”, disse o núncio.

Durante todo o dia, pessoas emocionadas queriam se despedir do ex-vice-presidente, que morreu de câncer na terça-feira. Mais de seis mil delas, entre amigos, autoridades e anônimos enfrentaram as longas filas.

O caixão chegou pela manhã à Base Aérea de Brasília, num avião da Força Aérea Brasileira. O cortejo fúnebre seguiu em carro aberto do Corpo dos Bombeiros pela principal avenida de Brasília.

CORTEJO FOI APLAUDIDO

Pelas ruas, admiradores aplaudiam e se emocionavam. Na chegada ao Palácio do Planalto, o corpo foi recepcionado pelos Dragões da Independência e por uma salva de 21 tiros de canhão.

O caixão foi levado para o Salão Nobre nos ombros de seis cadetes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, num ritual solene dispensado apenas a chefes de Estado. Um fuzileiro naval desmaiou ao lado do caixão.

Foi a segunda vez que brasileiros comuns subiram a rampa do Planalto, desde a morte de Tancredo Neves, em 1985, para prestar as homenagens a um político. De luto, Senado, a Câmara e o Superior Tribunal Federal (STF) suspenderam as sessões.

Lula dedica título ao ex-vice e diz que seu êxito deveu-se muito a ele

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dedicou ontem a José Alencar o título de doutor honoris causa que recebeu da Universidade de Coimbra, em Portugal. “Perdeu-se um grande homem, que estaria muito feliz por esta distinção”, disse, durante a cerimônia.

Lula fez questão de dizer que o êxito de seus dois mandatos não teria sido possível sem a parceria de seu vice. “Foi o meu parceiro de todas as horas, um dos homens mais íntegros que conheci, inesquecível estadista que perdemos ontem, para consternação de toda a sociedade brasileira”, disse. O ex-vice-presidente deixa esposa, Mariza Gomes da Silva, três filhos, Josué, Maria da Graça e Patrícia, netos e bisnetos.

Repetindo uma tradição secular, Lula caminhou sobre as becas, vestes pretas, usadas por 21 estudantes universitários brasileiros e portugueses e cumprimentou todos os “doutores” da universidade.

O ex-presidente atribuiu a honraria às causas que o Brasil defende no cenário internacional e também aos investimentos feitos durante o seu governo para que os mais pobres tivessem acesso às universidades. No discurso, Lula voltou a pedir uma cadeira no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Participaram da cerimônia a presidente Dilma Rousseff, o presidente de Portugal, Cavaco Silva, e o primeiro-ministro português, José Sócrates.

Formato: PDF
Tamanho: 26 MB

Hora do Planeta 2011

quarta-feira, 30 de março de 2011

Imagens engraçadas/curiosas - 30/03/2011

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos

Via Knuttz/Ueba

Revista Quatro Rodas | Abril 2011

Captain America: The First Avenger - Trailer

Fail Compilation Março 2011

Folha de São Paulo em PDF, 30 de Março de 2011

Crédito cresce, apesar de medidas do governo:
Apesar das medidas tomadas pelo governo federal desde o fim do ano passado -como o aumento da taxa de juros e restrições no financiamento de veículos-, o crédito no país cresceu 21% nos 12 meses encerrados em fevereiro, segundo dados do Banco Central.
Ao favorecer o consumo, essa expansão preocupa, pois contribui para alimentar a inflação.

Executivo Tito Martins será o presidente da Vale

Brasil vai monitorar radiação em alimentos vindos do Japão

FERNANDO RODRIGUES
Vice divergia em público, mas sem causar crise

FERNANDO DE BARROS E SILVA
Foi uma espécie de grilo falante contra os juros

Avós maternos terão de pagar pensão de neto, decide o STJ

Na TV, Bolsonaro associa negros a promiscuidade

Coalizão quer dar a rebelde dinheiro ligado a Gaddafi

Em ranking de produção, cidade de SP sobe 21 posições
Assine já!
Folha Classificados
Clube Folha
Nova Ortografia

Formato: PDF
Tamanho: 78 MB

Jornal da Tarde em PDF, Quarta, 30 de Março de 2011

USP vai propor mudança na Fuvest:
Dois anos após mudar a estrutura de seu processo seletivo, a Universidade de São Paulo (USP) quer fazer novas modificações já para o seu próximo vestibular (Fuvest), que ocorrerá no final deste ano.

As propostas de alterações foram elaboradas por um grupo de trabalho criado sob a coordenação da pró-reitoria de graduação da USP, que passou os últimos meses discutindo o assunto com a ajuda da Fuvest. Amanhã, na reunião do Conselho de Graduação (CoG) da universidade, as propostas de mudanças no vestibular serão colocadas em votação.

O CoG é formado por 42 representantes das unidades ligadas à universidade e por seis representantes dos alunos, todos com direito a voto. Presidente do conselho, a pró-reitora de graduação Telma Maria Tenório Zorn disse, em entrevista ao Jornal da Tarde, que a mudança no vestibular é uma questão prioritária e revelou que as modificações extrapolam o programa da inclusão (Inclusp), atingindo “todo o sistema do vestibular”.

“As propostas deste grupo de trabalho serão apresentadas e adaptações no vestibular devem ocorrer, como também a gente está revendo o Inclusp”, afirmou a pró-reitora, que não quis dar detalhes das propostas. “São modificações absolutamente necessárias que vão melhorar todo o sistema do vestibular, se for necessário. Mas isso depende da aprovação do CoG (Conselho de Graduação)”, afirmou Telma.

Mesmo com apenas duas edições do formato de vestibular em vigor, o modelo foi considerado ineficaz em análises feitas pela Fuvest com base no desempenho dos candidatos. As propostas de alterações no vestibular estão mantidas sob sigilo para que o Conselho de Graduação não se sinta desprestigiado. Ontem, um representante titular do CoG disse desconhecer a ideia da USP de mudar o vestibular. “Sabia só que queriam mudar o Inclusp.”

No ano passado, Telma havia afirmado que sua intenção era acabar com o bônus automático de 3% a que os estudantes que fizeram o ensino médio em escola pública têm direito hoje pelo Inclusp, atrelando toda bonificação do programa (que pode chegar a 12%) a um sistema de mérito.

Ciente de que o conselho pode criar resistência a uma nova mudança estrutural no vestibular, Telma já cogita um plano B. “A gente teria ainda a possibilidade, não chegando a uma conclusão neste conselho, de ter como prazo até o próximo mês de abril para não atrapalhar o cronograma da Fuvest”, disse a pró-reitora.

O formato em vigor na Fuvest foi adotado em 2009 para o vestibular do ano seguinte, com o objetivo declarado de exigir formação mais genérica dos candidatos.

Atualmente, a primeira fase não conta pontos para a nota final e as provas específicas das carreiras escolhidas só ocorrem no último dia da segunda fase.

Formato: PDF
Tamanho: 104 MB

Jornal O Globo em PDF, Quarta, 30 de Março de 2011

Primeiro Caderno. O descanso do guerreiro. Ex-vice-presidente José Alencar morre depois de 13 anos de luta contra o câncer.

* Segundo Caderno. Domenico Lancellotti, do trio +2, lança seu primeiro disco solo, a trilha sonora de um filme imaginário.

* Esportes. CBF acusa Blatter de fazer jogo político ao criticar obras.

* Carro Etc. O teste do novo VW Jetta, sedã de dupla personalidade: há uma versão mansa e outra nervosa.

Formato: PDF
Tamanho: 28 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Quarta, 30 de Março de 2011

Corpo de José Alencar deixa o Sírio-Libanês e segue para Congonhas:
SÃO PAULO - O carro funerário com o corpo do ex-vice-presidente José Alencar deixou no início da manhã desta quarta-feira, 30, o Hospital Sírio-Libanês, na região central de São Paulo, rumo ao Aeroporto de Congonhas, acompanhado por batedores do Exército. O trânsito está parcialmente interditado pelo percurso, que passará pelas avenidas Nove de Julho, Brasil, Vinte e Três de Maio e Rubem Berta. O governador do Estado, Geraldo Alckmin, chegou ao hospital e prestou condolências aos familiares.

Uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) com o corpo de Alencar vai decolar rumo à Brasília. Na capital federal, o trajeto entre o aeroporto e o Palácio do Planalto, pelo Eixão Sul, será em caminhão aberto do Corpo de Bombeiros.

O ex-vice terá dois velórios, um em Brasília, outro em Belo Horizonte. O primeiro, no Palácio do Planalto, se estende até a manhã de quinta-feira, 31, quando o corpo será levado para Belo Horizonte. Na capital de Minas Gerais, o segundo velório acontece no Palácio da Liberdade, antiga sede do governo estadual, das 8h30 às 13 horas.

Formato: PDF
Tamanho: 28 MB

Jornal O Dia em PDF, Quarta, 30 de Março de 2011

Morte comove o País e interrompe evento em Coimbra
Lula dedica prêmio internacional ao ex-vice e volta ao Brasil com Dilma para o adeus a Alencar

Rio - Companheiro de José Alencar por oito anos de mandato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva caiu em prantos ao falar, ontem, da morte do empresário, a quem se referiu como irmão. Ao lado da presidenta Dilma Rousseff, Lula recebeu a notícia em Portugal, onde será nomeado hoje ‘Doutor honoris causa’ pela Universidade de Coimbra e recebeu ontem o prêmio do Centro Norte-Sul do Conselho da Europa. Ele dedicou o título ao seu ex-vice. “O Brasil perde um homem de dimensão excepcional. Eu, com 65 anos de idade, conheço poucos seres humanos com a alma, bondade e lealdade do José Alencar”, disse com a voz embargada o ex-presidente Lula.
Após ser informada pelo próprio médico de Alencar, Raul Cutait, Dilma ligou para o filho dele, Josué Alencar, e ofereceu o salão nobre do Palácio do Planalto para o velório na condição de chefe de Estado, o que foi aceito. O local estará aberto à visitação pública. Foi uma honra ter convivido com o ‘Zé Alencar’. É uma daquelas pessoas que vai deixar uma marca na vida de cada um de nós”, comentou a presidenta, que antecipou a volta ao Brasil e chega no fim da tarde de hoje, com o ex-presidente, para o adeus a Alencar, que ocupou a Presidência da República por 398 dias, enquanto Lula viajava pelo exterior. O governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes decretaram uma semana de luto oficial no Rio. Em Brasília, o presidente em exercício, Michel Temer, também decretou luto no País. “Mesmo nos momentos de maior sofrimento, ele conseguia transmitir otimismo permanente e fé”, elogiou Temer.

A morte de Alencar foi recebida com pesar por governistas e opositores ao PT e PRB, seu partido. “Fica a memória de um homem afável e construtor de pontes. Sempre buscou diálogo com a oposição nos temas que interessavam ao povo”, frisou o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Na Câmara, os parlamentares fizeram um minuto de silêncio no início da sessão plenária, que acabou cancelada em respeito a Alencar.

José Alencar morre aos 79 anos

O ex-vice-presidente da República José Alencar morreu em São Paulo às 14h41 desta terça-feira. Ele tinha 79 anos e lutava há 14 contra o câncer. A causa da morte foi falência múltipla dos órgãos em decorrência da doença. Alencar estava internado desde segunda-feira na UTI do Hospital Sírio Libanês em São Paulo, em estado crítico com quadro de oclusão intestinal e peritonite.

Ao longo do dia, sua pressão arterial chegou a níveis muito baixos, o que impedia a realização de uma intervenção cirúrgica. O ex-vice-presidente deixa esposa, Mariza Gomes da Silva, três filhos, Josué, Maria da Graça e Patrícia, netos e bisnetos.

Formato: PDF
Tamanho: