quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Jornal O Dia em PDF, Quinta, 01 de Setembro de 2011

Salário mínimo nacional vai a R$ 619,21 em 2012:
Brasília - Mais de 18,9 milhões de segurados do INSS, entre aposentados e pensionistas, que recebem salário mínimo (R$ 545) terão reajuste de 13,61%, em 2012. Pela proposta de orçamento apresentada pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), o piso será R$ 619,21. Para facilitar o saque em bancos, o governo deve arredondar centavos para mais. Assim, benefícios subirão a R$ 620.

“O reajuste leva em conta o acordo fechado com as centrais e os sindicatos, baseado na recomposição da inflação e na variação do PIB”, lembra João Batista Inocentini, presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados. O sindicalista se refere à fórmula acordada entre governo e trabalhadores que contempla a variação do PIB de 2010, que foi de 7,49%, segundo o IBGE, e a previsão do INPC (inflação) do ano anterior.

Mas o governo acabou alterando a proposta. Inicialmente, ao enviar a LDO para 2012, em abril, o valor previsto era de R$ 616,34. De acordo com o governo, o mínimo serve de referência para 47 milhões de trabalhadores no País.

Os aposentados vão fazer manifestação em 6 de setembro, no Cristo Redentor, contra o veto da presidenta Dilma Rousseff da concessão de reajuste real a segurados com benefícios acima do mínimo. Haverá missa no local. Segundo Inocentini, ficou acordado com a Arquidiocese do Rio que 250 aposentados ficarão no Corcovado das 16h30 às 22h. “Será a campanha ‘Só Cristo para iluminar a mente dos governantes e abençoar os aposentados’”, diz o sindicalista.

Entre as metas, tirar 16 milhões da extrema pobreza

O Projeto de Lei do Plano Plurianual (PPA) de 2012-2015, enviado ontem ao Congresso, prevê despesas de R$ 5,4 trilhões. Entre os destaques, estão: retirar 16 milhões de brasileiros da condição de extrema pobreza, construir 2 milhões de moradias, 6 mil creches e pré-escolas, abrir acesso à Internet banda larga a 40 milhões de casas, oferecer 75 mil bolsas de graduação e pós-graduação, construir e reformar 11 mil unidades de saúde, tornar 14,7 mil quilômetros de rodovia adequados e produzir 3,1 milhões de barris de petróleo por dia no País.

Formato: PDF
Tamanho: 20.77 MB

Época Especial: 100 Melhores Empresas Para Trabalhar – 2011 / 2012

Jornal O Globo em PDF, Quinta, 01 de Setembro de 2011

BC surpreende e reduz a taxa de juros após apelo de Dilma

Dividida, diretoria do banco anuncia corte de 0,5 ponto, para 12%

Por cinco votos a dois, a diretoria do Banco Central aprovou a redução da taxa básica de juros de 12,50% para 12%, após cinco altas consecutivas. A baixa dos juros surpreendeu o mercado, que previa manutenção da Selic. Na véspera, de 11 instituições ouvidas, todas apostavam que a taxa continuaria em 12,5%, diante da alta da inflação. No mesmo dia, a presidente Dilma Rousseff defendera abertamente o corte nos juros, o que foi interpretado por analistas como uma ingerência política no Banco Central. Num longo comunicado ao mercado, divulgado após a reunião, o BC tenta justificar o corte dizendo que houve uma "substancial deterioração do cenário internacional", com uma crise que pode demorar mais que o previsto, o que reduziria de forma significativa as pressões inflacionárias no Brasil. Dilma quer baixar os juros reais (descontada a inflação) de 6,5% para 2% a 3% ao ano. (Págs. 1, 23 a 25 e Miriam Leitão)

Entre o dito e o escrito

O Orçamento da União para 2012 indica que haverá um rigor fiscal menosr: a meta de superávit primário é de R$114,2 bilhões, abaixo dos R$127,9 bilhões previstos para este ano. Mas a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, disse que deverá haver uma economia extra de R$25 bi. (Págs. 1 e 3)
Bondes: Estado vê 'esculhambação', mas não pune

Apesar de admitir problema gerencial em Santa Teresa, Cabral mantém secretário

Quatro dias, cinco mortes e 57 feridos depois, autoridades há anos responsáveis pelos sistemas de transporte no Rio chegaram à conclusão de que os bondinhos de Santa Teresa estão mesmo no fim da linha. O governador Sérgio Cabral admitiu que houve "problema de gerência", mas calou-se ao ser perguntado três vezes se demitirá o secretário de Transportes, Júlio Lopes, a quem é subordinada a empresa que cuida dos bondes. O secretário alegou que havia "muitas prioridades no governo" e por isso não foram feitos os investimentos necessários. Já o interventor que assumiu a empresa, o presidente do Detro, Rogério Onofre, disse que encontrou "uma esculhambação". (Págs. 1 e 13)


Mobilização geral contra dengue

Ao alertar para algo que os especialistas já vinham dizendo há muito tempo – o Rio enfrentará neste verão a maior epidemia de dengue da história -, o prefeito Eduardo Paes lançou ontem pacote de medidas de prevenção contra a doença. Agentes de saúde entrarão à força em imóveis fechados, multas serão aplicadas em caso de reincidência de focos de mosquito e os fumacês voltarão à cena. (Págs. 1 e 14)


Consignado: Cade abre processo contra BB

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu abrir processo contra o Banco do Brasil por práticas que inibem a concorrência no mercado de crédito consignado. O banco tem contratos de exclusividade desses empréstimos com desconto em folha de servidores públicos federais. (Págs. 1 e 26)


Filhos de Kadafi se contradizem sobre fim dos confrontos (Págs. 1 e 32)


Lá não é como cá

A líder estudantil chilena Camila Vallejo participou de protesto organizado em Brasília pela União Nacional dos Estudantes. Os manifestantes pediram a redução de juros, na frente do BC, e depois foram recebidos pela presidente Dilma. Diferentemente do movimento que sacode o Chile há mais de três meses, com estudantes nas ruas protestando contra o governo, aqui a UNE é alinhada com o Planalto. (Págs. 1, 12 e Demétrio Magnoli)

Formato: PDF
Tamanho: 26.68 MB

Mundo Estranho – Edição 115 – Setembro 2011 (Scan)




Jornal O Estado de SP em PDF, Quinta, 01 de Setembro de 2011



Pressionado, BC alega crise externa e baixa juros para 12%

Após apelo do governo, Copom interrompe ciclo de alta iniciado em janeiro e corta 0,5 ponto porcentual da Selic

Em meio à pressão do governo para que reduzisse os juros, o Banco Central alegou ter havido "substancial deterioração" do quadro global nas últimas semanas e decidiu interromper o ciclo de alta iniciado em janeiro. O Comitê de Política Monetária do BC anunciou a redução da taxa básica de juros em 0,50 ponto porcentual, para 12% ao ano. Os diretores do BC mostram que, após meses de trabalho para segurar a alta da inflação e esfriar a economia, agora é necessário acelerar a atividade econômica em reação à crise global. "O Comitê avalia que o cenário internacional manifesta viés desinflacionário no horizonte relevante", cita o comunicado. Se economias centrais crescerem menos, a demanda por produtos brasileiros seguirá fraca. Com isso, o BC ignora a inflação que segue em ritmo elevado. Nos últimos 12 meses, o IPCA tem alta acumulada de 6,87%, acima do teto da meta, que é de 6,50%. (Págs. 1 e Economia B1, B6 e B8)

Análise
José Paulo Kupfer

Afobação

O pessimismo em relação à economia global, muito mais do que as dúvidas sobre o ritmo da economia brasileira, determinou a surpreendente decisão do Copom. (Págs. 1 e Economia B8)

Dólar registra maior alta mensal

A moeda se valorizou 2,64% em agosto, com a segunda melhor rentabilidade, atrás do ouro. O Ibovespa encerrou o mês com queda de 3,96% e perdeu 18,48% no ano. (Págs. 1 e Economia B9)


Orçamento ignora rigor fiscal; mínimo vai a R$ 619

A proposta do governo para o Orçamento de 2012, anunciada ontem, contraria o prometido endurecimento da política fiscal. O texto afrouxa os gastos, ao reduzir a meta de resultado das contas públicas de R$ 139,8 bilhões para R$ 114,2 bilhões. Não há previsão de maior poupança do governo, uma vez que as despesas crescerão 9,8%, enquanto as receitas subirão 8,9%. A proposta de orçamento prevê um aumento de 13,6% do salário mínimo, que passará dos atuais R$ 545 para R$ 619,21. (Págs. 1 e Economia B3e B4)


Bonde: Cabral vê "problema de gerência"

Garagem dos bondinhos de Santa Teresa: pela primeira vez, o governador Sérgio Cabral falou sobre o acidente que matou 5 pessoas e admitiu que houve "problema de gerência" dos recursos para recuperação da frota "sucateada". (Págs. 1 e Cidades C3)

Fraude no Turismo tem 21 denunciados

A Procuradoria da República do Amapá denunciou 21 pessoas pelo desvio de R$ 4 milhões em convênios do Ministério do Turismo. Entre os denunciados estão dois ex-secretários executivos do ministério, Frederico Silva Costa e Mário Moysés, e Colbert Martins, afastado do cargo de secretário nacional de Programas e Desenvolvimento do Turismo. Os três chegaram a ser presos pela Operação Voucher, da Polícia Federal, em 9 de agosto. (Págs. 1 e Nacional A8)


Convênio em xeque

O Ministério do Esporte define hoje se rompe contrato de RS 8,2 milhões para cadastramento de torcidas, que não saiu do papel. A CGU quer explicações do ministro Orlando Silva. (Págs. 1 e Nacional A4)


Copa justifica desmate, segundo novo código (Págs. 1 e Vida A20)


Países discutem reconstrução líbia

Emissários de 60 países discutirão hoje em Paris o status do Conselho Nacional de Transição e a reconstrução da Líbia. Governos disputam o espólio de guerra. (Págs. 1 e Internacional A14)



Tutty Vasques

Muito barulho pra nada

A indignação popular da maneira como é praticada no País tem se mostrado absolutamente ineficaz no enfrentamento da corrupção. (Págs. 1 e Cidades C6)


Notas & Informações

O ato indecoroso da Câmara

Quem votou contra a cassação agiu como quem faz um seguro para proteger a carreira. (Págs. 1 e A3)

Formato: PDF
Tamanho: 40.15 MB

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Época - Ed. 693 26/08/2011 (Scan)



Jornal O Dia em PDF, Quarta, 31 de Agosto de 2011

Fabiana Murer conquista ouro no salto com vara:
Seul (Coreia do Sul) - A brasileira Fabiana Murer brilhou nesta terça e conquistou a medalha de ouro no Mundial de atletismo de Daegu. A brasileira igualou seu recorde pessoal, saltando 4,85 m. A russa Yelena Isinbayeva, bicampeã olímpica e recordista mundial, decepcionou e ficou fora do pódio, assim como no Mundial de Berlim, em 2009.

A medalha de prata ficou com a alemã Martina Strutz, que saltou 4,80 m, e o bronze foi para a russa Svetlana Feofanova, que ficou nos 4,75 m.

Fabiana começou com o sarrafo já em 4,55 m e realizou seus dois primeiros saltos de primeira. Isinbayeva começou com 4,65 m e também não teve dificuldade para superar o obstáculo. O caminho das duas para o título ficou mais livre quando a campeã do último Mundial, a polonesa Anna Rogowska, não conseguiu superar os 4,70 m.

Daí em diante, Isinbayeva sofreu e não conseguiu completar nenhum outro salto. Já a brasileira brilhou e conseguiu superar a marca dos 4,80m em seu segundo salto, e os 4,85 m logo na primeira tentativa.

Isinbayeva é recordista mundial da prova. Feito, aliás, que conseguiu por impressionantes 27 vezes. O atual, em que marcou 5,06 m, foi conquistado na Liga de Ouro de Zurique, na Suíça, há dois anos. O feito ocorreu 11 dias depois de ela ter desperdiçado suas três tentativas no Mundial de Berlim, na Alemanha, quando voltou para casa sem medalhas.

O recorde do Mundial de Atletismo, que também pertence à russa, veio em 2005, após um salto de 5,01 m em Helsinque, na Finlândia.

Fabiana Murer tem como melhor salto da carreira 4,85 m. Neste ano, sua melhor marca foi 4,74 m. A brasileira fez alguns estágios com Vitaly Petrov, técnico de Isinbayeva e que também treinou ninguém menos que Sergei Bubka, maior nome do salto com vara mundial e ídolo da brasileira. A melhor marca do ano pertence à americana Jennifer Suhur, que obteve 4,91m em Nova York.

Formato: PDF
Tamanho: 25.19 MB

Jornal O Globo em PDF, Quarta, 31 de Agosto de 2011

Dilma pede juros menores; líderes querem 'nova CPMF'

Analistas, no entanto, acreditam que BC hoje deve manter taxa

Na véspera da divulgação da nova taxa básica pelo Banco Central, a presidente Dilma Rousseff defendeu ontem abertamente a redução dos juros. Os analistas, no entanto, são unânimes ao prever que a taxa de 12,50% ao ano será mantida hoje pelos diretores do BC, diante da preocupação com a inflação, que encosta em 7% nos últimos 12 meses. A declaração de Dilma foi dada no dia seguinte ao anúncio de que o governo poupará mais R$ 10 bilhões para engordar o superávit fiscal e ajudar o país a manter a expansão econômica. "A melhor resposta à crise é o crescimento do país, mas também precisamos melhorar as condições nas quais nós crescemos. Se tem uma coisa que o Brasil quer é que haja diminuição de impostos. Não posso dizer quando vamos ter, mas abrimos o caminho para ter isso e queremos ter juros que comecem a cair", disse a presidente. Apesar disso, governo e partidos aliados já discutem no Congresso fontes alternativas de financiamento para a Saúde, que podem trazer de volta a CPMF ou até mesmo a legalização dos bingos para aumentar a arrecadação no setor. (Págs. 1, 23, 26 e editorial "Austeridade terá grande teste em 2012")

Câmara ignora propina e livra deputada

Filha de Roriz escapa de cassação com apoio de 265 parlamentares, apesar de flagrante de corrupção

Flagrada recebendo propina de R$ 50 mil, em 2006, no esquema do mensalão do DEM, a deputada federal Jaqueline Roriz (PMN-DF), filha do ex-governador Joaquim Roriz, foi absolvida pela Câmara. Dos 451 presentes, 265 votaram contra a cassação; 166, a favor; e 20 se abstiveram. Prevaleceram o espírito de corpo - pois, se ela fosse cassada por crime anterior ao mandato, abriria precedente - e o fato de a votação ser secreta. Um projeto para acabar com o voto sigiloso em casos de cassação está parado há cinco anos. Desde 2005, de 33 deputados processados, só quatro perderam o mandato. Diretora do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), Jovita José Rosa classificou o resultado como um conchavo para favorecer outros parlamentares em futuros processos de cassação. (Págs. 1, 3 a 9 e Merval Pereira)

Rebeldes dão ultimato para forças de Kadafi

Concentrados nos arredores de Sirta, cidade natal de Kadafi, rebeldes líbios fixaram até sábado o prazo para que os seguidores do ditador se rendam; do contrário, partirão para uma solução militar. Os opositores consideraram um ato de agressão a Argélia ter recebido parte da família do ditador. Sua filha Aisha deu à luz uma menina. (Págs. 1, 33 e 34)


Blogueiro diz que Fidel está em UTI

O colunista venezuelano Nelson Bocaranda, que revelou o câncer de Chávez, assegurou que Fidel Castro, de 85 anos, está internado numa UTI em Havana e chegou a ficar em coma. No Twitter, houve rumores de sua morte. (Págs. 1 e 35)


Especialistas: banco de dados é fundamental para políticas públicas (Págs. 1 e 10)


Após tragédia, xerife das vans assume os bondes

Considerado o xerife das vans no estado - por ter comandado a apreensão de 15 mil veículos irregulares -, o presidente do Detro, Rogério Onofre, foi designado pelo governador Sérgio Cabral interventor do sistema de bondes do Rio. A tarefa de Onofre será apresentar uma solução rápida para os bondes, após o acidente que matou cinco pessoas e deixou 57 feridas. Um vídeo na internet mostra um bonde andando na contramão em Santa Teresa. (Págs. 1, 14, 15 e editorial “Pede-se seriedade na apuração do acidente”)

Formato: PDF
Tamanho: 21.46 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Quarta, 31 de Agosto de 2011

Governo paga por projeto fantasma para a Copa

Sindicato de dirigentes de futebol leva R$ 6,2 milhões para cadastrar torcedores, mas trabalho não é realizado

O governo federal repassou R$ 6,2 milhões a uma entidade de dirigentes de futebol para um projeto fantasma para a Copa, informam os repórteres Marta Salomon, Leandro Colon e Fernando Gallo. Sem licitação, o Ministério do Esporte contratou o Sindafebol, liderado pelo ex-presidente do Palmeiras Mustafá Contursi, para fazer um cadastramento das torcidas organizadas. O contrato foi assinado em 31 de dezembro de 2010 e o dinheiro foi liberado em 11 de abril deste ano. Mas as empresas que aparecem como responsáveis pelos serviços do projeto nunca foram efetivamente contratadas. O Ministério do Esporte alega que escolheu o Sindafebol por ser o mais "adequado", mas o próprio Mustafá admitiu que a entidade é despreparada para tocar o convênio. O dinheiro está depositado numa conta controlada por ele. (Págs. 1 e Nacional A4)

Mustafá Contursi
Dirigente da entidade contratada

"Dissemos ao ministério que nunca tínhamos feito isso". (Pág. 1)

Câmara absolve Jaqueline Roriz, que ataca imprensa

A Câmara livrou ontem a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) da ameaça de perder o mandato. Por 265 votos a 166, com 20 abstenções, ela foi absolvida da acusação de corrupção. Jaqueline havia sido flagrada em vídeo de 2006 recebendo dinheiro de Durval Barbosa, pivô do "mensalão do DEM" no Distrito Federal. Em sua defesa, disse que, na época, não era deputada. Ela atacou a imprensa: “Lamentavelmente, vivemos um período em que parcela da mídia devora a honra de qualquer pessoa". (Págs. 1 e Nacional A8)

Venda de imóveis novos em SP cai 31% no semestre

O mercado de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo caiu 31% no primeiro semestre. De janeiro a junho foram vendidas 11.680 unidades, ante 17.005 no mesmo período de 2010. É o menor número para o período desde 2005. A expectativa para o ano também é de retração. O presidente do Sindicato da Habitação do Estado de São Paulo (Secovi-SP) ,João Crestana, atribui o recuo a antecipação de vendas em 2010, morosidade do Minha Casa Minha Vida 2 e avanço da inflação. (Págs. 1 e Economia B1 e B3)

8,6% foi a alta
média dos preços de imóveis em São Paulo no primeiro semestre de 2011.

Polícia chilena se desculpa por morte de aluno, mas crise segue

A polícia chilena pediu desculpas à família do adolescente morto durante protestos estudantis. Já o governo marcou para sábado o diálogo com os estudantes. Enquanto a polícia fazia o “mea-culpa", alunos ocupavam prédio do governo e gritavam: "A educação de Pinochet vai cair". (Págs. 1 e Internacional A13)

Rebeldes dão ultimato às tropas leais a Kadafi

Os rebeldes da Líbia deram prazo até o próximo sábado para que as tropas leais ao ditador Muamar Kadafi se rendam. Do contrário, dizem os insurgentes, eles invadirão os últimos bastiões da resistência de Kadafi. Em Sirte, cidade natal do ditador, bombardeios da Otan já preparam terreno para o ataque. Rascunho de plano da ONU para o pós-guerra prevê colaboração da Otan. (Págs. 1 e Internacional A10 e A12)

Drogaria SP e Pacheco criam a maior rede do País (Págs. 1 e Economia B14)

Rolf Kuntz

Embromação 29

O governo não precisa de mais impostos para a saúde, nem é necessário vincular verbas quando se quer, de fato, dar prioridade a uma política pública. (Págs. 1 e Economia B6)

Notas & Informações

BC sob pressão política

O Copom anunciará hoje se já está preparado para afrouxar a política anti-inflacionária. (Págs. 1 e A3)

Roberto DaMatta

Cafezinhos e parábolas

Aeroporto é um mero nome. Nada tem a ver com a modernidade dos aviões que despejam passageiros aturdidos pela ineficiência do lugar. (Págs. 1 e Caderno2 D8)

Formato: PDF
Tamanho: 32.64 MB

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Jornal O Globo em PDF, Segunda, 29 de Agosto de 2011

Falha em freio de bonde pode ter causado acidente

Engenheiro do Crea encontra até arame em lugar de parafuso

Uma falha no freio, aliada à superlotação, pode ter provocado o acidente com o bonde de Santa Teresa, que matou cinco pessoas e deixou outras 57 feridas anteontem. Coordenador da Comissão de Análise e Prevenção de Acidentes do Crea, o engenheiro Luiz Antônio Cosenza disse que há possibilidade de ter ocorrido um vazamento de ar no sistema de freios. Na vistoria que fez ontem, ele encontrou ainda um arame no lugar de um parafuso na tampa da caixa de óleo do eixo da roda. O presidente do Sindicato dos Ferroviários da Central do Brasil, Valmir de Lemos, diz não ter dúvidas de que o freio não funcionou. Segundo a comerciante Bianca Melo Costa, que mora em Santa Teresa, o condutor do bonde que morreu na tragédia - gritou para os passageiros pularem e fez de tudo para frear antes de a composição tombar. (Págs. 1 e 13 a 15)
SUS: 11 anos à espera de um exame

A série "Apagão de Informações" mostra que usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) são vítimas da falta de um banco de dados integrado. No Rio, onde a regulação de leitos hospitalares ainda é feita por fax, paciente esperou 11 anos para fazer um exame. (Págs. 1 e 3)

Até furacão nos EUA é rebaixado. NY volta à rotina

Aliviada pela passagem mais calma que o esperado do furacão Irene - rebaixado a tempestade ao passar pela cidade -, Nova York corre para retomar a rotina. Os transportes públicos só devem voltar a operar totalmente hoje, e os aeroportos, até amanhã. (Págs. 1 e 26)

Rebeldes tentam saída honrosa para cidade de Kadafi (Págs. 1 e 24)

Formato: PDF
Tamanho: 15.96 MB

Jornal O Dia em PDF, Segunda, 29 de Agosto de 2011

Bondinho tinha arame no lugar de um parafuso:
Rio - O bondinho acidentado em Santa Teresa, que matou cinco pessoas e feriu 57, sábado, estava com um arame substituindo um parafuso acima da roda traseira esquerda e uma sapata (espécie de pastilha de freio) completamente desgastada na mesma roda. Os problemas foram constatados pela Comissão de Análise e Prevenção de Acidentes do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Estado do Rio de Janeiro (Crea-RJ), que vistoriou o que sobrou do veículo.

A cena causou indignação até nos integrantes da comissão. “Mesmo que não seja nenhuma peça de importância para o sistema de segurança, demonstra falta de manutenção. É inadmissível”, disse o engenheiro Luiz Antônio Cosenza, coordenador da comissão, que acredita que o sistema de freios falhou.O governador Sérgio Cabral emitiu nota lamentando o acidente. Disse que o transporte ficará interrompido e a Secretaria de Transportes conduzirá plano de modernização dos bondes.

Cerca de 100 moradores fizeram manifestação após a perícia do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE). Eles sentaram no chão impedindo o reboque dos destroços. Depois, caminharam na frente do reboque até a oficina.

A advogada Marilda Nunes, 65, viu o acidente: “Muita gente no lado esquerdo do bonde pulou para se salvar. Mas caiu na escadaria e se machucou”. O laudo do ICCE está previsto para 30 dias. Peritos adiantaram que havia peças desgastadas. O engenheiro do Crea constatou não haver marcas de travamento das rodas e viu indícios de solda recente. Ele descartou a superlotação como causa do desastre.

O deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ) afirmou que o estado foi obrigado a fazer a manutenção dos bondes em 2009. “Se não fez, vai responder criminalmente”.

Funcionário: ‘peças são remendadas’

O advogado Sebastião Rodrigues, presidente da Companhia Estadual de Engenharia de Transportes e Logística (Central), responsável pelos bondes, alegou que eles passam por manutenção semanal na oficina da empresa, que tem 110 funcionários. Ele lamentou que os avisos para não viajar no estribo sejam desrespeitados. Rodrigues afirmou que entregara ao Instituto Estadual do Patrimônio Cultural projeto para alterar o bonde. Mas funcionários disseram ontem que a reposição de peças não é adequada. “Nenhuma é comprada nova. Só remendadas. A mão de obra especializada foi demitida”, denunciou um empregado, sem se identificar.

Formato: PDF
Tamanho: 24.58 MB

Revista Veja Edição 2232• 31 de agosto de 2011 (Scan)



domingo, 28 de agosto de 2011

Bob

Jornal O Estado de SP em PDF, Domingo, 28 de Agosto de 2011

Rebeldes avançam para tomar cidade natal de Kadafi:

Depois de consolidar o domínio sobre Trípoli, insurgentes líbios atacam Sirte, reduto do ditador - As forças rebeldes declararam ontem ter assumido o controle total sobre Trípoli, depois de rechaçar as tropas de Muamar Kadafi no sul da capital. Agora, os insurgentes se concentram na caçada a Kadafi e na tomada de Sirte, cidade natal e reduto do ditador, principal base de operações das forças leais a Kadafi. Ontem, o Estado testemunhou novos indícios de massacres e crimes de guerra. Corpos de mais de 150 dissidentes do regime líbio, a maioria carbonizados, foram achados na periferia de Trípoli. (Págs. 1, A18 a A21)

Esportes: Blatter quer abertura da Copa no Maracanã

Para o presidente da Fifa, Joseph Blatter, “o futebol brasileiro é o Rio”, o que faz a cidade ser o local mais atraente para abrir a Copa de 2014. Em entrevista exclusiva ao correspondente Jamil Chade, Blatter disse que brigas políticas podem atrapalhar a organização do mundial. E afirmou: “Era mais fácil para a CBF trabalhar com Lula do que é com Dilma”. (Págs. 1 e E5)

PT discute meios de captar mais recursos

Seis anos depois do mensalão, que alvejou o governo Lula e dizimou a cúpula do PT, os petistas tentam encontrar um modelo próprio de sustentação financeira. A questão será discutida na reforma do estatuto do partido, durante o congresso da legenda, em setembro.
Uma proposta estabelece uma taxa semestral para filiados sem cargo. Mas divergências na corrente majoritária do PT ameaçam deixar tudo como está. (Págs. 1 e A4)

Oposição não reage

A concentração de denúncias colocou a corrupção na ordem do dia, mas a oposição, que teve 44 milhões de votos em 2010, não aparece. “Os eleitores oposicionistas estão órfãos”, diz o historiador Marco Antonio Villa. (Págs. 1 e A8)


Projeto quer tirar da União terrenos à beira-mar

Propostas em tramitação no Senado transferem a propriedade de terrenos litorâneos do governo federal para Estados e municípios. Com isso, moradores do litoral têm chance de serem donos das propriedades e se livrar da briga judicial para pagar menos taxas. (Págs. 1 e C7)

País ganhará mais nove montadoras

Nove montadoras vão construir fábricas no Brasil, um dos países preferidos para investimentos do setor automotivo. O aporte será de quase US$ 5 bilhões até 2014. (Págs. 1 e B1)

Tutty Vasques: Carona de jatinho

Basta desembarcar com mandato em Brasília para já não lembrar direito como chegou lá. Na Roma antiga, salvo engano, a turma chegava de biga. (Págs. 1 e J2)

Notas & Informações: Uma lei que deu certo

Os resultados da Lei de Recuperação de Empresas surpreendem até seus defensores. (Págs. 1 e A3)

Subsídios à economia valem 8 Bolsas-Família (Págs. 1 e B5)

Principal
Formato: PDF
Tamanho: 62.23 MB

Jornal O Globo em PDF, Domingo, 28 de Agosto de 2011

Falta de cadastro permite até 27 identidades por habitante
Sem dados integrados, Brasil não sabe sequer quantos são foragidos da Justiça - Quem sofre com a violência nas ruas não imagina, mas um dos maiores entraves da política de segurança no Brasil é a informação -, ou melhor, a falta dela. O país não tem hoje um banco de dados confiável e nacionalmente integrado, com registros sobre criminosos e seus crimes. Não sabe quantas pessoas estão foragidas da Justiça e quantas estão desaparecidas. Não tem nem mesmo um cadastro nacional de informações digitais, e essa falha permite que um cidadão faça uma carteira de identidade em cada um dos 27 estados brasileiros. O mapa de ocorrências criminais do Ministério da Justiça, usado para planejar políticas públicas, tem por base dados de três anos atrás. O resultado desse apagão de informações é que apenas entre 7% e 8% dos homicídios são esclarecidos. (Págs. 1, 3 e 4)
Do sonho americano à luta líbia

Formado em sociologia e psicologia, jovem de 22 anos é um dos que esperam um novo país.(Pág. 1)

‘Maior vingança é ver Kadafi se esconder’

O poeta libio Giuma Bukleb, preso por dez anos apenas porque participaria de um festival literário proibido, diz a Fernando Duarte que “é hora de olhar para a frente”. (Págs. 1 e 43)


Agora, até açougue dá empréstimo

Com a explosão do crédito, o número de lotéricas, correios, açougues e supermercados que fazem operações de bancos cresceu 64% em cinco anos, para 151 mil. Eles já dão metade dos empréstimos: R$ 394 bilhões. (Págs. 1 e 35)

Propina no Turismo era de até 60%

Nos bastidores do escândalo no Ministério do Turismo, empresários, ex-funcionários de ONGs e da pasta contam detalhes do esquema de corrupção. Segundo eles, a propina cobrada para liberar verba da pasta chegava a 60% - a taxa mais alta de Brasília. (Págs. 1 e 9)

De jatinho, pelo lado cinzento da ética

Caronas em jatinhos particulares e doações de empresas a políticos são alguns dos temas em que legalidade e promiscuidade estão próximas. (Págs. 1, 10 e 11)

Frei Betto

Após 40 anos de militância político-religiosa, um romance histórico é a 54ª obra do frade amigo de Lula e Fidel. (Págs. 1 e 14)

Formato: PDF
Tamanho: 43.01 MB


Jornal O Dia em PDF, Domingo, 28 de Agosto de 2011

Acidentes nos bondes teriam se tornado frequentes a partir de 2008:

Rio - "Acidentes passaram a ser comuns de 2008 para cá", essa foi a afirmação feita por um condutor de bondes, que preferiu não se identificar. Há cerca de seis anos na função, ele garantiu que o principal motivo de tantas ocorrências é a falta de manutenção nos carros que percorrem Santa Teresa. No início da manhã deste domingo, técnicos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) realizaram a perícia no local do acidente ocorrido na tarde do último sábado, que matou cinco pessoas e deixou 55 feridos. Em seguida, o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio de Janeiro (CREA-RJ) começo inspeção no .

Entretanto, antes mesmo de fazer a inspeção, o coordenador da Comissão de Análise e Prevenção de Acidentes do CREA-RJ, Luiz Antônio Cozenza disse que a superlotação em si, não explica o acidente ocorrido no sábado. "Pode contribuir, mas não é o suficiente pra tombar um bonde, se ele estiver com a manutenção em dia". Durante a vistoria, Cozenza encontrou irregularidades. Ele disse que no lugar onde deveria haver um parafuso na estrutura do bonde acidentado existe um remendo feito com arame. Além disso, afirmou que a borracha de uma das sapatas de freio do veículo está desgastada, permitindo que o ferro da peça encostasse diretamente na roda.
A presidente da Associação de Moradores de Santa Teresa, Elzbieta Mitkiewicz, reforçou a queixa quanto a conservação dos veículos, já que eles trafegam de hora em hora. "Em fevereiro enviei email para a Companhia Ferro-Carril de Santa Teresa (administradora do serviço), cobrando um plano de recuperação de todoo sistema, com metas e prazos. Dois meses depois houve uma reunião, mas, de lá para cá não tive resposta".

O acidente

Cinco pessoas morreram e 55 ficaram feridas na tarde de sábado em acidente com um bondinho de Santa Teresa que fazia o trajeto Largo da Carioca-Dois Irmãos. A tragédia ocorreu na Rua Joaquim Murtinho, próximo ao número 250. Entre os mortos, há uma menina de 12 anos. Moradores fizeram mutirão para socorrer vítimas e dois ônibus serviram de ambulância para levar feridos ao hospital. O serviço existe há 115 anos.

Dez pessoas estão internadas em estado grave. Feridos foram atendidos nos hospitais Souza Aguiar, Miguel Couto, do Andaraí e em uma UPA.

Segundo testemunhas, o bondinho teria perdido o freio, descido a ladeira e colidido com um poste, tombando. Um grupo de 26 passageiros foi levado para os hospitais em dois ônibus e outros 27 em ambulâncias do Corpo de Bombeiros. O resgate contou com a participação de 60 bombeiros dos quartéis de Santa Teresa, São Cristóvão e Central.

Superlotação e suspensão do serviço

Após o acidente, a Secretaria Estadual de Transportes suspendeu a circulação dos bondes até o resultado final da perícia. O secretário Julio Lopes esteve no local e foi hostilizado por moradores. Ele disse que o bonde colidiu com um ônibus antes do acidente, mas que o próprio maquinista avaliou que havia condições de uso do veículo. “Não podemos dizer se foi uma falha mecânica ou humana. Precisamos recuperar e melhorar o sistema. A superlotação é um problema que também preocupa”, disse. O bonde tinha capacidade para 44 pessoas, 32 sentadas e 12 em pé. Lopes ressaltou que a superlotação é “cultural”.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões, acredita que a superlotação tenha contribuído para o acidente: “Sem dúvida que a superlotação influenciou no acidente. É claro que precisamos aguardar a perícia”, afirmou.

Formato: PDF
Tamanho: 52.18 MB

Gato bota cachorro prá correr

35 tons de vermelho


100 Melhores cenas de dança | 1921 - 2010