sexta-feira, 9 de setembro de 2011

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Jornal O Globo em PDF, Quarta, 07 de Setembro de 2011

Alimentos fazem inflação bater recorde de seis anos

Em 12 meses, taxa ficou em 7,23%, muito longe da meta do governo

Os alimentos voltaram a ser vilões do custo de vida. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), da meta do governo, ficou em 0,37% em agosto e, em 12 meses, acumula 7,23%, o maior em seis anos. O limite para o IPCA é de 6,5% no ano. Com o resultado, economistas subiram o tom das críticas à redução de 0,5 ponto na taxa básica de juros, decretada pelo Banco Central. Os juros menores podem colocar mais lenha na inflação, argumentam analistas. Entre as maiores altas estão o chuchu, que subiu mais de 70% este ano. Ficaram mais caros também serviços como cursos de natação, ginástica, aluguel, asilo e até ingressos para jogos.

O governo elevou tarifas de importação de bicicletas, pneus e aparelhos de ar condicionado para barrar a entrada de produtos chineses. (Págs. 1, 23, 24 e Míriam Leitão)

Europeus protestam nas ruas

Uma greve geral praticamente parou a Itália, no mesmo dia em que o governo de Silvio Berlusconi elevou impostos e alterou o plano de austeridade, causando divisão entre ministros. Houve protestos em mais de 100 cidades. Na Espanha, milhares de pessoas saíram às ruas contra as restrições a benefícios fiscais. (Págs. 1 e 25)

Trabalhadores de SP param montadoras por reajuste salarial (Págs. 1 e 27)

Alemão tem 3ª noite de confronto

Exército troca tiros com traficantes e reforça ocupação de complexo com blindados

Um confronto entre traficantes e militares do Exército, pela terceira noite consecutiva, levou pânico a moradores do Complexo do Alemão, que está ocupado desde novembro. Dois veículos blindados foram usados para que tropas entrassem na favela. Um homem ficou ferido por estilhaços de granada. Moradores viram disparos de balas traficantes e bombas sendo lançadas. O comandante da Força de Pacificação, general César Leme, dissera de manhã que o tráfico pode estar por trás das manifestações que moradores vem fazendo desde domingo contra o Exército. Já no Morro da Coroa, três PMs da UPP, que estavam de folga, foram presos com R$ 13 mil e não souberam se explicar. (Págs. 1, 14, 15 e editorial "UPP precisa de tempo")

"Nova CPMF" ganha mais apoio entre governadores

A maioria dos governadores apoia a presidente Dilma na busca por novas fontes de recursos para financiar a Saúde, mas está dividida sobre a recriação de um tributo como a antiga CPMF. Há outras propostas, como aumentar a taxação de bebidas e cigarros. (Págs. 1, 3 e editorial "CPMF é fantasma não exorcizado")


Israel sob pressão em várias frentes

A Turquia suspendeu o comércio militar com Israel e pôs o país sob mais pressão. O premier Benjamin Netanyahu já enfrenta protestos de indignados israelenses por melhores condições de vida, o possível reconhecimento da ONU à Palestina, este mês, e a queda do aliado Mubarak, deposto do Egito. (Págs. 1 e 30)

Comboio de kadafistas foge da Líbia para o Níger (Págs. 1 e 31)


Comissão da Anvisa regulará terapias de células-tronco (Págs. 1 e 32)


Roberto DaMatta

Vestido de negro dos cisnes excepcionais, Dirceu, na foto, mostra que os donos do poder, à brasileira, estão isentos de culpa. (Págs. 1 e 7)

Formato: PDF
Tamanho: 19.18 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Quarta, 07 de Setembro de 2011

Governo estuda usar dinheiro do pré-sal para financiar saúde

Planalto conclui que não conseguirá aprovar novo imposto e pretende aproveitar royalties do petróleo

Ciente de que no momento não tem condições para aprovar no Congresso um novo imposto para a saúde, o governo estuda como alternativa para o financiamento do setor o uso de royalties do petróleo a ser extraído do pré-sal. A ideia é que uma certa quantia do dinheiro dos royalties entre no fundo do pré-sal e depois seja devolvida aos governos dos Estados para o financiamento a saúde, informa o repórter João Domingos. O valor da parte dos royalties que será destinada a saúde dependerá de cálculos a serem feitos pela União e pelos Estados e da negociação com os governadores. A previsão é que serão necessários R$ 30 bilhões anuais a mais com a regulamentação dos recursos para a saúde por parte da União, dos Estados e dos municípios, que deverá ser votada pela Câmara no dia 28. O governo concluiu que não terá mais condição de impedir a votação do projeto, conhecido por Emenda 29. (Págs. 1 e Nacional A4)

R$ 30 bi
é a previsão do gasto anual extra necessário após a regulamentação dos recursos para a saúde


Inflação em 12 meses é a maior desde junho de 2005

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou em agosto, atingindo 0,37%. O resultado é mais que o dobro do registrado em julho (0,16%). No ano passado, os alimentos foram os principais vilões da inflação. Agora, dentro da alta acumulada de janeiro a agosto (4.42%), os preços administrados e monitorados foram responsáveis por 26% da formação da taxa, enquanto os de serviços corresponderam a 34%. No acumulado de 12 meses, o IPCA subiu 7,23%, a maior variação desde junho de 2005. (Págs. 1 e Economia B1)

Análise
Celso Ming

Mais longe da meta

Parece improvável que o BC consiga reverter prontamente as pressões de alta da inflação num ambiente de afrouxamento monetário. (Págs. 1 e Economia B2)


SP terá Ferroanel de R$ 1,2 bi

Na Estação da Luz, em São Paulo, trem de passageiros tem de dar lugar a trem de carga: os governos federal e paulista firmaram acordo para construção do Ferroanel Norte, exclusivo para cargas; o anel ferroviário de 60 km, que vai circundar a Região Metropolitana de São Paulo, deve ficar pronto até 2014 e custar R$ 1,2 bilhão. (Págs. 1 e Cidades C3)

Aliados de Kadafi levam ouro e dinheiro

Um comboio de pelo menos 50 veículos com ouro, euros e dólares atravessou o Deserto do Saara e chegou ao Níger, país que faz fronteira com a Líbia. Muamar Kadafi não estaria no comboio, mas havia pessoas ligadas a ele, possivelmente filhos. O Conselho Nacional de Transição informou que uma pista do ditador fora localizada a 300 km da fronteira com o Níger e o Chade. (Págs. 1 e Internacional A13)


Projeto prevê duplicação de trecho da Raposo Tavares

Plano para eliminar o gargalo da Rodovia Raposo Tavares no trecho São Paulo-Cotia prevê seis pistas em cada lado - o dobro do número atual - e, sobre o canteiro central, trens rápidos em monotrilho suspenso. Sensores cobrarão a tarifa de pedágio conforme a distância percorrida. A obra, orçada em R$ 1,5 bilhão, seria paga pela concessionária da rodovia. (Págs. 1 e Cidades C1)


Condenado por morte de missionária é preso (Págs. 1 e Nacional A9)


Matrícula de adultos cai pela metade em SP (Págs. 1 e Vida A22)



Turquia anuncia medidas contra Israel

A Turquia interrompeu o comércio ligado ao setor de Defesa com Israel e ameaça enviar navios de guerra para perto da costa israelense. As medidas são consequência da morte de 9 turcos na flotilha que levava ajuda a Gaza. (Págs. 1 e Internacional A18)


Rolf Kuntz

Mais dinheiro para o ralo

Talvez a saúde precise de mais verbas. Mas para que dar mais dinheiro a um governo incapaz de executar até o PAC, filho dileto de Dilma? (Págs. 1 e Economia B10)


Roberto DaMatta

O Brasil é um bonde

A foto estilo bonde do ex-presidente Lula, de Dilma e do guerreiro do Brasil, Zé Dirceu, emoldurando os dois, diz tudo do momento brasileiro. (Págs. 1 e Caderno 2, D 10)


Notas & Informações

Separando posições

Menos mal que a presidente Dilma sabe separar "a posição do partido da posição do governo". (Págs. 1 e A3)

Formato: PDF
Tamanho: 30.44 MB

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Jornal O Globo em PDF, Terça, 06 de Setembro de 2011

Freio na indústria - Montadoras adotam férias coletivas e param produção

Mercado reduz previsão de crescimento do país para 3,67% no ano

Com as restrições ao crédito e a queda das vendas de carros novos no país, montadoras estão parando a produção e dando férias coletivas a cerca de 35 mil trabalhadores. Volkswagen, Fiat, Ford e Scania anunciaram que suspenderam, temporariamente, a produção para diminuir os estoques, que já equivalem a 40 dias de vendas, segundo a Fenabrave, entidade das concessionárias. Existem hoje, nos pátios de montadoras e revendas, mais de 120 mil carros à espera de compradores. Com as paralisações programadas ate meados do mês que vem, mais de 30 mil veículos deixarão de ser fabricados. Analistas ouvidos pelo BC reduziram a projeção de crescimento do país, este ano, de 3,79% para 3,67%. O mercado já admite que a inflação vai estourar o teto da meta (6,5%). (Págs. 1, 19, 20 e Míriam Leitão)
Conflitos mostram dilema das UPPs

Cinco horas após o confronto entre militares do Exército e moradores do Alemão, que deixou dez feridos com balas de borracha, outro conflito ocorreu com PMs na pacificada Cidade de Deus, com o apedrejamento da sede da UPP. Para especialistas, os casos refletem a desconfiança da população numa polícia até recentemente marcada pela violência e o vazio institucional que havia dentro das favelas. O comandante da Força do Alemão, general Cesar Leme, vai apurar se houve excessos. (Págs. 1 e 12)

Erros em inquéritos vão ser investigados

A Corregedoria do Ministério Público vai investigar se houve erros nos arquivamentos de inquéritos de homicídios no Rio, e os promotores poderão ser alvo de medidas disciplinares. Mesmo na central modelo criada pelo MP para analisar antigos inquéritos, a taxa de resolução é insignificante: só 1 % dos criminosos é denunciado. (Págs. 1, 3 e editorial "Crimes sem castigo")
Cabral diz que apoia nova CPMF

O governador do Rio, Sérgio Cabral, disse que extinguir a CPMF foi covardia e comprometeu-se a assinar a carta dos governadores em defesa de nova contribuição para a Saúde. (Págs. 1 e 4)

Morre a 6ª vítima da tragédia com bonde de Santa Teresa (Págs. 1 e 14)


ONU: soldados acusados de estuprar jovem

Quatro capacetes azuis uruguaios foram acusados de estuprar um adolescente numa base no Haiti. A ONU diz que a investigação inicial indica apenas uma "brincadeira pesada". (Págs. 1 e 26)


Razão Social

Brasil é aposta da industria de agrotóxicos, e grupos de consumidores criam saídas para alimentação saudável. (Pág. 1)

Formato: PDF
Tamanho: 28.19 MB

Jornal O Dia em PDF, Terça, 06 de Setembro de 2011

Moradores e militares entram em conflito novamente no Alemão
Rio - Moradores do Complexo do Alemão denunciaram na madrugada desta terça-feira mais um confronto com militares da Força de Pacificação, na região da Alvorada, no alto do morro, no mesmo lugar onde ocorreu um tumulto neste domingo à noite. Os relatos indicam que os soldados do Exército teriam desligado as luzes da Rua 2, perto da Estação do Teleférico Itararé, e disparado balas de borracha em direção das pessoas. "Eles não deixaram ninguém subir nas lajes nem ficar nas janelas. A gente não podia assistir ao que acontecia direito porque eles mandavam bala para cima de nós. A rua estava muito escura porque eles desligaram as luzes. Não sei se tem gente machucada, mas acho que não está certo porque todo mundo está sendo prejudicado. Além do mais, o Exército está mostrando que é tão violento quanto os traficantes que ocupavam o morro", disse uma moradora, que pediu para não ser identificada.

Duas horas antes do novo confronto na Rua 2, os bombeiros do quartel da Penha foram chamados para a Avenida Itaoca, na entrada da Favela Nova Brasília, onde um grupo botou fogo em madeiras no meio da pista. Segundo moradores, o protesto durou aproximadamente 40 minutos. Ônibus chegaram a desviar a rota por outras ruas. De acordo com René Silva, da Voz da Comunidade, um grupo de motoqueiros começou a confusão. O Exército confirmou que algumas pessoas foram detidas, mas não informou quantas. A mãe de Ivo Urbano da Silva, 21 anos, um dos jovens detidos, a empregada doméstica Josicleide Urbano da Silva, 44, esteve na porta da antiga fábrica da Coca-Cola, na Avenida Itararé, em Bonsucesso, onde funciona a base avançada dos militares. "Me disseram que ele foi preso perto da quadra na Fazendinha e foi espancado", disse ela.

Josicleide exibia uma moção de desagravo, expedida em 27 de junho de 2006 pela Alerj, quando o filho sofreu com a violência policial. "Como depois ficou comprovado que os policiais erraram, a Alerj fez essa moção, mas eu entrei com um processo contra o estado e, pelo visto, serei obrigada a entrar com outro. Não sou contra a pacificação, mas apelo para o bom senso: é inaceitável o que está acontecendo por aqui", lamentou. O Exército não comentou os fatos.

Tumulto no domingo

Dez meses após a ocupação da Força de Pacificação, moradores do Complexo do Alemão fizeram a primeira manifestação contra ação do Exército, responsável pela segurança da região. Eles acusam os soldados de terem agido com violência domingo contra um grupo de moradores em bar, quando quatro militares e cinco locais ficaram feridos. Em outra comunidade pacificada, a Cidade de Deus, também houve confusão domingo. PMs foram atacados após baile funk. Um policial e três moradores foram feridos.

Formato: PDF
Tamanho: 22.72 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Terça, 06 de Setembro de 2011

Governo deve recuar de incentivo a montadoras

Indústria resiste a contrapartidas para corte de IPI; imposto pode subir para quem não se enquadrar

O governo deve desistir de reduzir o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os carros conforme previsto na nova política industrial, o Brasil Maior. O problema é a resistência das montadoras a se comprometer com contrapartidas efetivas de inovação, agregação de conteúdo local e eficiência energética, informa Raquel Landim. Outro ponto que incomoda o governo é a resistência das montadoras a repassar a eventual redução de IPI para os preços ao consumidor, como ocorreu na época da crise internacional. A proposta em estudo agora é elevar o imposto para os veículos que não se enquadrarem nas regras do novo regime automotivo brasileiro, que está sendo desenhado pelo governo e o setor privado. A medida funcionaria como proteção e atingiria os modelos importados. (Págs. 1 e Economia B1 e B4)

Freio na produção

As montadoras aproveitam o feriado para suspender a produção nesta semana e ajustar os estoques à demanda menor. (Págs. 1 e Economia B4)
Marta insiste em candidatura e PT de SP aposta em prévias

O PT paulistano aposta nas prévias para escolher o candidato à Prefeitura, a despeito dos esforços do ex-presidente Lula para emplacar Fernando Haddad. A senadora Marta Suplicy, bem colocada em pesquisas, diz que sua pré-candidatura é "forte". Dirigentes querem fortalecer a corrente majoritária do PT nacional para que Haddad vença a disputa. (Págs. 1 e Nacional A4)

Pessimismo derruba bolsas da Europa

O feriado do Dia do Trabalho nos EUA não foi suficiente para levar tranquilidade aos negócios ontem. Com as bolsas de Nova York fechadas, a atenção dos investidores se voltou para a Europa. Preocupações com o déficit da Grécia, com o possível rebaixamento do rating soberano da Itália e com a desaceleração da zona do euro fizeram recuar os mercados europeus, já pessimistas por causa dos EUA. A Bolsa de Frankfurt caiu 5,28%, a de Londres, 3,58%, a de Paris, 4,73%, e a de Milão, 4,83%. Como consequência, a Bolsa de São Paulo teve baixa de 2,71%. (Págs. 1 e Economia B11)
Dilma se opõe a petistas sobre mídia

A presidente Dilma Rousseff rejeita o controle da mídia proposto no Congresso do PT e teme que o caso mine o apoio da classe média ao governo. "É importante separar a posição do partido da do governo" disse o ministro Paulo Bernardo. (Págs. 1 e Nacional A6)
Roubo a caixa eletrônico cresce 58% no interior (Págs. 1 e Cidades C1)


Dia mais seco do ano tem umidade de 12% em SP (Págs. 1 e Vida A15)


Israelenses denunciam humilhação na Turquia (Págs. 1 e Internacional A12)



Arnaldo Jabor

Tenho saudade de mim

Estou com saudades de tudo. Tive nostalgia do passado até com a recente “reprise" de José Dirceu na mídia como poderoso chefão dos soviéticos. (Págs. 1 e Caderno 21, D8)


Notas & Informações

Controle, não: 'democratização'

O PT promove deliberada confusão entre marco regulatório e controle social das comunicações. (Págs. 1 e A3)

Formato: PDF
Tamanho: 39.88 MB

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

domingo, 4 de setembro de 2011

Veja | 19 de Setembro 2001 | O Império Vulnerável - Edição Especial

O império vulnerável: Com ações cada vez mais audaciosas, o terror desafia a nação mais rica e poderosa do mundo - Confrontado com cenas de horror, pânico e perplexidade, Robert Natter, comandante da Frota Atlântica Americana, foi categórico na manhã de ontem. "Não vivemos nada parecido desde o bombardeio japonês a Pearl Harbor", comparou o almirante. Referiu-se ao ataque à base americana no Pacífico, em 1941, ação que deflagrou a Segunda Guerra Mundial. Há 60 anos, o bombardeio obedeceu a uma ofensiva japonesa que entrou para a História como Plano Z. Ontem, a agressão a símbolos de poder dos Estados Unidos jogou por terra tudo o que até então aprenderam os estrategistas militares do Ocidente. Os ataques ao World Trade Center, em Nova York, e ao Pentágono, em Washington, revelam a nova face do terror internacional: em ações rápidas, coordenadas e acima de tudo espetaculares, exibiuse a fragilidade da nação mais rica e poderosa do planeta. Ainda que ao custo de milhares de vidas.

O carro-bomba, arma mortífera inúmeras vezes detonada nos anos 70 e 80 por controle remoto, foi agora substituído pelo jato kamikaze. Ataques antes direcionados a líderes políticos, diplomatas e militares agora miram a robustez de edifícios públicos, freqüentados por cidadãos comuns. No mundo globalizado, o gigante americano não tem como esconder a fragilidade diante de ações tão audaciosas.

"Com o fim da Guerra Fria, a visão americana do mundo preponderou. Agora, os Estados Unidos canalizam a insatisfação de grupos e povos com a ordem mundial vigente", analisa Williams Gonçalves, professor de relações internacionais da Universidade Federal Fluminense. Atiçadas pelo fundamentalismo religioso, as ameaças de hoje superam em muito a violência patrocinada por organizações da esquerda revolucionária nos anos 70 e 80.

Líderes islâmicos vêm acumulando forças no último quarto de século. Em 1975, a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) foi suspeita de explodir uma bomba no aeroporto de La Guardia, em Nova York, matando 11 pessoas. Um atentado com explosivos na embaixada americana em Beirute, que matou 16 cidadãos em abril de 1983, foi atribuído ao Hezbollah, milícia xiita que luta contra a presença de Israel no Líbano. No mesmo ano, também em Beirute, um quartel americano foi bombardeado e 241 pessoas morreram. Novamente o Hezbollah, também conhecido como Partido de Deus, assumiu o feito, patrocinado pelo Irã.

Alvos militares americanos continuaram na mira da organização xiita. Em 1995, sete soldados dos Estados Unidos perderam a vida num quartel em Riad, na Arábia Saudita. No ano seguinte, ataque semelhante ocorreu em Dahran, no mesmo país, matando outros 19 oficiais. Em 1998, explosões nas embaixadas dos Estados Unidos no Quênia e na Tanzânia, atribuídas ao milionário saudita Osama Bin Laden, somaram mais de 220 mortos e 5 mil feridos.

Formato: PDF
Tamanho: 35.19 MB

Melhores imagens da semana | 35


Tomatina festival 2011


Líbia - Gaddafi Vida Familiar revelada




Jornal O Dia em PDF, Domingo, 04 de Setembro de 2011

Dados de aposentados do INSS à venda na web
Empresa comercializa número de benefícios, CPF e endereços de segurados. Entre os clientes estão advogados e financeiras - Rio - Dados pessoais de aposentados e pensionistas do INSS, como número de benefício, CPF, endereço residencial e telefone, são oferecidos livremente na Internet. Essas informações valem ouro para escritórios de advocacia que, ferindo a conduta ética profissional, buscam aposentados para patrocinar ações na Justiça contra o INSS. Agentes de financeiras também se aproveitam aliciando segurados para fechar contratos de empréstimo consignado.

Nesse caso, as empresas vão aos prováveis ‘clientes’ já sabendo quanto eles podem pegar emprestado. Uma vez com os dados, é possível ver no site do INSS a margem consignável no contracheque do aposentado.

Foi assim com o aposentado J., 70 anos, morador de Niterói. Antes mesmo de ter a confirmação de que receberia a revisão administrativa da ação do teto previdenciário, o segurado recebeu com surpresa a ligação de uma instituição financeira informando que, a partir daquele momento, sua margem de empréstimo consignado era maior.

Repórter de O DIA, se fazendo passar por cliente, entrou em contato com o site que oferece listas de endereços de aposentados. Não foi fácil. A empresa orienta que informações são preferencialmente passadas por e-mail, mas após muitas tentativas, a reportagem gravou conversa com a representante do portal Infortexto e obteve, sem comprar os dados, os detalhes da operação.

Na conversa, a “vendedora”, que se identificou como Mércia, conta como suas listagens com endereços e dados de aposentados são usadas (confira abaixo como atua o grupo).

Subprocuradora-geral da República e coordenadora do grupo de trabalho da Previdência da Procuradoria Federal do Direito do Cidadão (PFDC), Darcy Vitorbello explica que escritórios que usam dados pessoais sigilosos respondem por infração ética. Quem comercializa pode responder por infração criminal, pela maneira como obteve as informações. No caso de terem sido repassados por servidor público do Ministério da Previdência, o funcionário responde por crime administrativo também.

Como é a venda de dados

Atendente: Nossa lista Premium 10 vai com o nome, endereço completo, CPF e número do benefício, além do DDD e telefone. Você pode utilizar tanto para telemarketing quanto para fazer mala direta.

Formato: PDF
Tamanho: 56.39 MB

Jornal O Globo em PDF, Domingo, 04 de Setembro de 2011

A Justiça que tarda e falha - Estado do Rio arquiva 96% dos inquéritos de homicídio

A pretexto de cumprir meta de produtividade, crimes ficam impunes pelo país

Diante da meta do Conselho do Ministério Público - concluir os inquéritos de homicídios dolosos abertos até 2007 -, promotores brasileiros escolheram o caminho mais curto: arquivaram em massa, para chegar a dezembro com prateleiras vazias. O Rio engavetou 6.447 casos, 96% dos examinados e 51% do total de arquivamentos do país, informam CHICO OTAVIO e TATIANA FARAH. Com isso, evidências foram ignoradas e crimes ficaram impunes. (Págs. 1 e 3 a 9)

Um processo de 52 anos

O mais antigo processo do Supremo, iniciado em 1959, entra na pauta este mês. Questiona a doação de terras em Mato Grosso - mas a área já virou uma cidade. (Págs. 1 e 11)


Banido, padre Vito quer voltar

Um personagem dos tempos da ditadura baterá à porta da presidente Dilma: o padre Vito Miracapillo, expulso do Brasil em 1980 por se recusar a rezar missa pelo Dia da Independência. Ele irá ao Ministério da Justiça e ao STF para recuperar o visto de permanência no país. (Págs. 1 e 17)


Ex-diretor critica BC por inflação alta

Alexandre Schwartsman, diretor do Banco Central no primeiro governo Lula, critica o BC por ter sido precipitado ao cortar os juros. Para ele, a gestão Dilma caminha "de forma hesitante" para o abandono das metas de inflação. (Págs. 1 e 36)


Crise endivida países, mas bancos lucram

Em três anos de crise mundial, os governos já gastaram US$ 12,4 trilhões para socorrer suas economias. No período, seis dos principais bancos globais, entre eles o Goldman Sachs e o JPMorgan Chase, lucraram 40% mais e deram bônus milionários. (Págs. 1 e 31 a 34)

Formato: PDF
Tamanho: 38.16 MB

Jornal O Estado de SP em PDF, Domingo, 04 de Setembro de 2011

Varejo adota cautela e já prevê Natal moderado

Estoques em alta e desaceleração do consumo fazem as lojas adiarem encomendas para o fim do ano

As lojas decidiram adiar as encomendas de fim de ano e já projetam um Natal moderado. A expectativa é de crescimento de 5% sobre o de 2010 (o melhor da década), mas abaixo do registrado nos últimos tempos - no ano passado, a alta foi de 15%. Estoques elevados, perda de fôlego do consumo e acirramento da crise externa explicam a cautela, mesmo com a redução dos juros promovida pelo Banco Central. A Associação Comercial de São Paulo diz que houve forte desaceleração das vendas nos últimos dois meses. Já na indústria, pesquisa com 14 setores indica que 11 tiveram elevação de estoques em agosto, quase o dobro de julho. Além disso, 36,5% das indústrias esperam alta da produção entre agosto e outubro. (Págs. 1 e Economia B1)


BC fez ação preventiva

O governo tinha indicações da desaceleração do PIB, o que precipitou a decisão do Banco Central de cortar a taxa de juros em 0,5 ponto porcentual, para 12% ao ano, surpreendendo o mercado. O BC já se prepara para reduzir de 4% para 3,5% a previsão de expansão em 2011. (Págs. 1 e Economia B4)


Foto legenda: Nova ferramenta

Alunos usam tablet em aula de física em São Paulo: escolas desenvolvem metodologias e atividades para se adaptar à tecnologia. (Págs. 1 e Vida A28)


Aeroporto no Piauí consome R$ 25 milhões e ainda não existe

O Aeroporto Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato (PI), era para ser um terminal futurista e confortável, com pista de 2,5 km. Em vez disso, o que se vê são ferros retorcidos, concreto aos pedaços, tijolos amontoados, tocos de madeira e pregos enferrujados. As obras estão paradas por falta de verba. O aeroporto, orçado em R$20 milhões, já consumiu R$25 milhões e ainda precisa de R$8 milhões para ser concluído, não se sabe quando. (Págs. 1 e Nacional A4)


2.755 mortos são 'foragidos' da Justiça de SP

Entre as 115 mil pessoas procuradas no Estado, 2.755 já morreram. Os nomes foram localizados em cruzamento de informações para o banco nacional de mandados de prisão, do Conselho Nacional de Justiça. O caso do industrial Emilio Conti é intrigante: nem a polícia sabe oficialmente se ele morreu. A ordem de prisão é de 1923. (Págs. 1 e Metrópole C1)


Ministro apoia regulação da mídia em Congresso do PT (Págs. 1 e Nacional A8)


Aliás, ricos com vergonha

Bilionários se dispõem a pagar mais impostos. Para Eduardo Gianetti da Fonseca, isso pode ser só marketing. (Pág. 1)


Fernando Henrique Cardoso

Tempo difícil

As forças da corrupção estão mais enraizadas no poder do que parece. Sem tática, persistência e visão de futuro, será difícil barrá-las. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)


João Ubaldo Ribeiro

Uniforme para deputado

Enquanto o parlamentar estiver de uniforme, é responsabilizado pelos seus atos ilícitos. Se estiver à paisana, pode fazer o que quiser. (Págs. 1, C2 Domingo e D4)


Notas & Informações

Um verdadeiro espanto!

A Unidade Acadêmica de Garanhuns, festejada por Lula, está em “coma profundo". (Págs. 1 e A3)

Principal:
Formato: PDF
Tamanho: 67.59 MB



Cadernos: Autos & Imóveis
Formato: PDF
Tamanho: 51 MB

Veja – Edição 2233 07 Setembro 2011


Super Interessante | Setembro de 2011 | Edição 295


Placar – Setembro de 2011 – Edição 1358