sexta-feira, 20 de abril de 2012

Imagens engraçadas/Curiosas - 20/04/2012

Clique na imagem abaixo para ver todas as fotos
Via Knuttz/Ueba

Jornal O Dia em PDF, Sexta, 20 de Abril de 2012


Aprovada lei que libera devedores para vistoria
Quem tem dívida com IPVA poderá voltar a marcar a inspeção caso o governador sancione o projeto de lei. Justiça tinha barrado inspeção para os inadimplentes
Rio - Motoristas que estiverem em débito com o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) podem voltar a ter o direito de fazer a vistoria anual do veículo. Projeto de lei foi aprovado ontem em primeira instância na Assembleia Legislativa do Estado (Alerj) e passará em segunda discussão, ainda sem data definida, antes de ir à sanção do governador Sérgio Cabral.

A medida vai na contramão de decisão recente do Supremo Tribunal Federal (STF) que proibiu condutores de fazer vistoria em seu veículo se estiverem com multas atrasadas. Com o projeto aprovado na Alerj, deputados vão tentar novamente liberar o licenciamento para proprietários inadimplentes.
O autor da proposta, deputado Luiz Paulo (PSDB), alega que a exigência do pagamento viola a Constituição Federal. Para ele, o estado dispõe de outros meios para cobrar o imposto. “Ele pode incluir o débito na Dívida Ativa ou cobrá-lo através da execução fiscal”, diz. O deputado defende o direito de ampla defesa. “O Estado não pode apreender um bem pessoal sem devido processo legal. A vistoria é proteção à vida e ao meio ambiente”, defende.

O texto do projeto de lei determina também que o Detran informe a inadimplência do IPVA no Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo. “Desta forma, um futuro comprador poderá saber se o veículo tem dívidas”.

Reprovação nos postos de vistoria chegou a 40% após decisão judicial

Há 19 dias, a decisão do STJ tornou a vistoria anual do Detran mais rígida. Em alguns postos, chegou a 40% o percentual de condutores reprovados devido a multas não pagas, conforme levantamento feito pela Blitz do DIA.

O órgão derrubou liminar do Tribunal de Justiça do Rio que permitia a inspeção e emissão do CRLV a quem estivesse com multas e IPVA em atraso. Quem já estava agendado antes da decisão fez vistoria, mas só recebe documento após quitação.

Formato: PDF
Tamanho: 28.86 MB




Jornal O Globo em PDF, Sexta, 20 de Abril de 2012

Congresso cria CPI inédita de todos para investigar todos
Foco é a ligação do bicheiro Cachoeira com políticos e empreiteira do PAC

Depois de idas e vindas, foi criada ontem no Congresso, com a assinatura recorde de pelo menos 385 deputados e 72 senadores, uma CPI mista para investigar a quadrilha do bicheiro Carlinhos Cachoeira e sua ligação com políticos e empresários. Parlamentares da base e da oposição falaram em passar "o país a limpo", mas, entre aliados, há dúvidas sobre até onde o governo quer chegar. Se de fato for instalada, a CPI do Cachoeira vai apurar as conexões do grupo do contraventor com políticos e com a empreiteira Delta, apontada pela Polícia Federal como braço financeiro do esquema. As investigações mostram que a Delta abastecia empresas fantasmas do grupo de Cachoeira. O PMDB indicou o senador Vital do Rêgo (PB) para presidir a comissão. O Conselho de Ética do Senado manifestou ao Ministério da Justiça preocupação com a segurança de Cachoeira, que divide cela com 22 presos em Brasília. (Págs. 1 e 3 a 9)

Supremo pé de guerra
Barbosa afirma que Peluso foi tirânico e manipulou julgamentos; Ayres Britto assume

No dia em que Ayres Britto tomou posse na presidência do Supremo Tribunal Federal, o novo vice-presidente da Corte, Joaquim Barbosa, expôs o clima de conflagração entre os ministros da Casa. Em entrevista a CAROLINA BRÍGIDO, Barbosa respondeu as críticas do ex-presidente Cezar Peluso, afirmando que o colega manipulou resultados de julgamentos para impor sua vontade. Para Barbosa, relator do mensalão, Peluso foi tirânico e incendiou o Judiciário com sua obsessão corporativista. Acusou ainda o colega de praticar "supreme bullying" com seu problema de saúde. Ayres Britto advertiu que o Judiciário tem que se impor o respeito. (Págs. 1, 12 e 14)

Juro pode dobrar valor a ser pago
As novas taxas de juros de financiamento que estão sendo cobradas pelos bancos - após a pressão do governo - não garantem economia para o bolso. Há casos em que o custo de financiar um carro em 48 meses pode variar 87% no mesmo banco, dependendo da taxa utilizada. (Págs. 1 e 23)

França e Alemanha contra livre trânsito
Os governos da França e da Alemanha propuseram à União Europeia que os países do bloco possam voltar a decidir sobre a imposição de controles internos de fronteiras em casos de fluxo maciço de imigrantes ilegais, quando houver ameaça à segurança. Atualmente, tais casos precisam de aval da UE. (Págs. 1 e 30)

Baía está pior do que em 2007, diz promotora
Após sobrevoo sobre a Baia de Guanabara, o MP exigirá que a Cedae explique à Justiça as obras de despoluição. Promotora diz que está pior do que em 2007, quando foi aberta ação. (Págs. 1 e 16)

MP denuncia 32 taxistas do Galeão
O Ministério Público estadual denunciou à Justiça 32 taxistas acusados de integrar a máfia do transporte ilegal de passageiros no Aeroporto Internacional Tom Jobim. (Págs. 1 e 19)

Rio tem os pedágios mais caros do país
Estudo do Ipea mostra que as estradas estaduais privatizadas do Rio têm o pedágio mais caro do país. Cada l00km rodados custa em média R$ 12,93; a do país é R$ 9,04. (Págs. 1 e 20)

Foto legenda: No mesmo ônibus
O presidente Barack Obama senta-se num banco do mesmo ônibus de que a costureira Rosa Parks foi retirada pela polícia e presa, em 1955, ao recusar-se a ceder lugar a um passageiro branco, no Alabama. O veículo está no Museu Henry Ford, em Michigan. O gesto de Rosa foi um divisor de águas no movimento contra segregação racial nos EUA.

Formato: PDF
Tamanho: 39.30 Mb

Jornal O Estado de SP em PDF, Sexta, 20 de Abril de 2012


CPI do Cachoeira é criada e aliados não sabem como agir
Articulação política do governo é alvo de críticas da base; senador do PMDB será presidente da comissão

No dia em que o Congresso criou a CPI que vai investigar a ligação de políticos e empresas com o contraventor Carlinhos Cachoeira, a articulação política do governo foi alvo de fortes críticas por parte dos próprios aliados, relata a repórter Vera Rosa. Sem orientação do Planalto, até parlamentares do PT passaram a bombardear o “vazio” na coordenação. "A presidente Dilma está muito bem, mas a articulação política do governo é fraca e amadora", reclamou o senador Lindbergh Farias (PT-RJ). Petistas dizem que o PMDB, com o senador Vital do Rego (PB) na presidência da CPI, pode pressionar o governo por mais cargos no primeiro escalão. “Isso não existe. Também somos governo e temos consciência da gravidade de uma CPI como essa", disse o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN). Entre petistas, é forte a disputa pela relatoria da CPI, que será instalada na terça-feira. (Págs. 1 e Nacional A4)

'Deltaduto' faz governador tucano anunciar auditorias
Beneficiado pelo "Deltaduto", operado por Carlinhos Cachoeira, o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), pediu ontem uma auditoria nas licitações e contratos feitos entre o Estado e a Delta Construções. A campanha de Perillo foi abastecida pela rede de empresas de fachada que serviam para redirecionar para políticos e laranjas, segundo a PF, recursos da Delta. (Págs. 1 e Nacional A4)

Promotor: 'morte' a quem divulga dados
Indicado pelo senador Demóstenes Torres (GO), a promotor Tito Amaral sugeriu punir com "pena de morte" os procuradores da República que seriam responsáveis pelo vazamento de dados da Operação Monte Carlo. (Págs. 1 e Nacional A7)

Na briga dos centésimos, BB volta a baixar juros
Quase como um troco à concorrência privada, bancos públicos voltaram a agir na briga instalada no mercado de crédito. Na esteira do corte do juro básico da economia decidido pelo Banco Central, ontem o Banco do Brasil reduziu as taxas pela segunda vez em duas semanas. Hoje, a Caixa Econômica Federal fará o mesmo. A diminuição, bem mais modesta que a anterior, já é tratada como “guerra do centésimo" porque os ajustes fazem com que o juro volte a ficar menor que nos privados na segunda casa após a vírgula. (Págs. 1 e Economia B8)

Influência da poupança

O Banco do Brasil analisa uma redução na taxa de administração dos fundos de investimento por causa de concorrência da poupança. (Págs. 1 e Economia B4)

Modelo de licitação da Copa pode ser usado no PAC
Aprovado pelo Congresso para ser usado estritamente em obras da Copa e da Olimpíada, o Regime Diferenciado de Contratações pode ser uma alternativa para as licitações do Programa de Aceleração do Crescimento, diz a ministra do Planejamento, Miriam Belchior. O instrumento é mais leve em relação às exigências para obras públicas e modifica a Lei de Licitações. (Págs. 1 e Economia B8)

Código Florestal exclui recuperação
Sem consenso, a reforma do Código Florestal será votada nos próximos dias sem prever a recuperação das Áreas de Preservação Permanente e anistia a desmatadores. (Págs. 1 e Vida A18)

Chávez é acusado de manipular tribunais (Págs. 1 e Internacional A10)

Pedágios têm reajuste acima da inflação (Págs. 1 e Cidades C1)

Argentina manda acelerar produção
O governo argentino ordenou à expropriada YPF que aumente a produção de petróleo. O plano é mostrar a "eficiência" da gestão de Cristina Kirchner nas estatais. (Págs. 1 e Economia B9)

Washington Novaes
Faltam estratégias

Qualquer que seja o desfecho da votação do Código Florestal parece não haver razão para otimismo. Faltam estratégias e recursos. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)

Nelson Motta
Malfeitos, mal feitos

A palavra "malfeito” tornou-se marca de sucesso do governo Dilma; serve para designar qualquer coisa entre a incompetência e a fraude. (Págs. 1 e Nacional A8)

Notas & Informações
A reação dos bancos

Só o tempo dirá se a decisão de redução dos juros não passa de jogada de marketing. (Págs. 1 e A3)

Formato: PDF
Tamanho: 32.52 MB

Hot Wheels Gymkhana

O Telescópio Espacial Hubble


Último voo espacial do Discovery

RIDERS ARE AWESOME 2012

Bike India - April_2012